O consumo de cafeína afeta a fertilidade?

O consumo de cafeína em excesso traz diversos problemas e é possível que tenha alguma incidência na fertilidade.
O consumo de cafeína afeta a fertilidade?

Última atualização: 29 maio, 2022

Circularam relatórios de supostas evidências de que a cafeína afeta a fertilidade. Diz-se que reduz a chance de conceber e também está associada a um aumento do número de abortos espontâneos.

Vamos começar dizendo que há pesquisas afirmando que o consumo de cafeína afeta a fertilidade. No entanto, também existem estudos que sugerem o contrário. Não é fácil chegar a uma conclusão definitiva.

Deve-se notar, em qualquer caso, que um estilo de vida saudável é um dos pilares centrais da fertilidade. Portanto, regular o consumo de cafeína seria uma boa ideia quando alguém decide ter um filho.

O estudo inicial sobre cafeína e fertilidade

A associação entre o consumo de cafeína e a fertilidade começou com um estudo realizado em 1988. Lá foi apontado que as mulheres que bebiam uma xícara diária de café reduziam pela metade as chances de conceber. Esta pesquisa foi amplamente citada, mas nenhuma outra produziu os mesmos resultados.

Por outro lado, a pesquisa liderada pela Dra. Rosemarie Hakim, da Hopkins Hospital School of Medicine, em Baltimore (Estados Unidos), indicou que havia uma associação significativa entre o consumo de mais de 3 xícaras de café por dia e a redução da fertilidade em 26%.

Outro estudo realizado pela Escola de Medicina da Universidade de Nevada (Estados Unidos), em 2011, indicou que o consumo de cafeína reduziu a atividade muscular nas trompas de falópio. Isso dificultaria o trânsito dos óvulos.

Outros especialistas apontam que o consumo de cafeína não parece ter causado nenhum efeito em casais que tentam conceber por meio de tratamentos de fertilidade assistidos. Não tornou esses processos mais difíceis nem os retardou.

Mulher bebe café.
Todos esses estudos se concentraram em mulheres e o café, colocando a hipótese de fertilidade apenas no fator feminino.

Consumo de cafeína e gravidez

O consumo excessivo de cafeína nunca é bom, mas se torna muito mais negativo em condições como a gravidez. Uma investigação da Dra. Kirsten Wisborg, diretora da Unidade de Pesquisa Epidemiológica Perinatal do Hospital Universitário de Aarhus, confirma isso.

O estudo indica que beber muito café durante a gravidez aumenta a chance de o bebê nascer morto ou morrer durante o primeiro ano de vida. Wisborg observou que a cafeína pode endurecer as artérias do útero. Se isso acontecer, o feto não recebe oxigênio suficiente.

Enquanto isso, uma meta-análise descobriu que o consumo de cafeína aumentava o risco de óbito fetal após a 20ª semana. Da mesma forma, observou-se maior frequência de crianças com baixo peso ao nascer.

Um estudo semelhante descobriu que um aumento no consumo de cafeína de 100 gramas por dia aumentou o risco de aborto em 14%. Ele acrescentou que havia uma relação entre o consumo de café e uma diminuição na fertilidade.

Descobertas e controvérsias

Os estudos disponíveis sobre a relação entre consumo de cafeína e fertilidade não são tão extensos quanto se gostaria. Vários especialistas questionam esses achados, uma vez que aspectos como os seguintes são negligenciados:

  • Os estudos, em muitos casos, são baseados em relatos ou lembranças de voluntários. Isso dá origem a dados que não podem ser totalmente corroborados.
  • Não há certeza de que foi o café e não alguma outra substância que causaria redução da fertilidade ou problemas durante a gravidez. Não havia como controlar o que os voluntários consumiam.
  • As investigações não podem atestar as doses que cada um dos voluntários consome. Uma xícara de café em casa pode ter mais ou menos cafeína do que uma em local público.
  • O consumo de cafeína em grandes quantidades é comum em pessoas que sofrem de fadiga. Ao mesmo tempo, a fadiga pode ser uma manifestação de alguma doença subjacente, incluindo endometriose ou depressão. Essas condições alteram a fertilidade.

Quanto café é suficiente?

No momento, não há certeza completa sobre a relação entre o consumo de cafeína e a fertilidade. No entanto, se uma mulher quer ter filhos, é melhor consumir 100 miligramas ou menos de café por dia.

No entanto, não devem ser consumidos mais de 300 miligramas por dia.

O problema é que os dados sobre a quantidade de cafeína em uma xícara de café de 240 ml, que é a média, nem sempre estão prontamente disponíveis. Os indicadores básicos seriam os seguintes:

  • 1 xícara de café moído: entre 55 e 150 miligramas de cafeína.
  • 1 xícara de café instantâneo regular: entre 27 e 173 miligramas.
  • 1 xícara de café expresso: 47 a 75 miligramas.
  • 1 xícara de café descafeinado: entre 1 e 25 miligramas.
  • 1 xícara de café instantâneo descafeinado: 2 a 12 miligramas.
café na gravidez
Seria ideal reduzir o consumo de café se você quiser ter filhos ou durante a gravidez. É mais uma medida de cuidado nesse contexto.

Homens e o café

Consumir cafeína em grandes quantidades também pode afetar os homens. Especificamente, há uma chance de sua contagem de esperma cair. No entanto, como nos demais casos, não há dados conclusivos.

É muito importante reduzir o consumo de cafeína durante a gravidez. Embora não tenha sido dita a última palavra sobre o assunto, a verdade é que o risco existe em certa medida, pelo que seria preferível não ignorá-lo.

Pode interessar a você...
Dor na sínfise púbica na gravidez: o que é?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Dor na sínfise púbica na gravidez: o que é?

A sínfise púbica é a área que une as duas partes do púbis. A gravidez geralmente causa dor nessa área.



  • Joesoef, M. R., Beral, V., Rolfs, R. T., Aral, S. O., & Cramer, P. W. (1990). Are caffeinated beverages risk factors for delayed conception? The Lancet, 335(8682), 136-137.
  • Hakim, R. B., Gray, R. H., & Zacur, H. (1998). Alcohol and caffeine consumption and decreased fertility. Fertility and sterility, 70(4), 632-637.
  • Ricci, E., Viganò, P., Cipriani, S., Somigliana, E., Chiaffarino, F., Bulfoni, A., & Parazzini, F. (2017). Coffee and caffeine intake and male infertility: a systematic review. Nutrition journal16(1), 1-14.
  • McMillin, A. (2011, 1 junio). School of Medicine researcher finds link between caffeine consumption and female infertility. University of Nevada, Reno School of Medicine. https://med.unr.edu/news/archive/2011/caffeine-and-infertility.
  • Wisborg, K., Kesmodel, U., Bech, B. H., Hedegaard, M., & Henriksen, T. B. (2003). Maternal consumption of coffee during pregnancy and stillbirth and infant death in first year of life: prospective study. Bmj, 326(7386), 420.
  • Maslova, E., Bhattacharya, S., Lin, S. W., & Michels, K. B. (2010). Caffeine consumption during pregnancy and risk of preterm birth: a meta-analysis. The American journal of clinical nutrition, 92(5), 1120-1132.