Qual é o nível adequado de colesterol?

17 Outubro, 2020
Manter um nível adequado de colesterol é fundamental para a saúde. Muitas doenças estão associadas a altos valores dessa substância no organismo. Neste artigo, explicamos quais são os patamares adequados para uma vida saudável.

O nível adequado de colesterol para os seres humanos é um tema de discussão na medicina. Não só pela importância de determinar quais são os números aceitáveis, mas também por se tratar de um problema de saúde pública. O colesterol alto está por trás de diversas doenças.

Trata-se de uma substância cerosa, o que significa que tem semelhança com o que conhecemos como gordura. Está dentro das células do corpo, nas paredes dessas células e circulando no sangue.

O colesterol é muito necessário para os seres humanos, e suas funções são diversas:

  • Formação de ácidos biliares para auxiliar na digestão dos alimentos.
  • Proteção da pele através de seu envolvimento no metabolismo de vitamina D.
  • Produção de hormônios, como o da tireoide e os hormônios sexuais.

O nível adequado de colesterol não é alcançado apenas restringindo alimentos ricos nesta substância. Se assim fosse, seria muito fácil tratar pessoas com problemas cardíacos. A abordagem é mais complicada porque parte do colesterol humano é sintetizado pelo próprio corpo.

Tipos de colesterol

O colesterol circula no corpo ligado à proteína. Neste caso, as proteínas são como veículos que movem a substância entre os órgãos e as células que precisam dela. Existem dois tipos de proteínas transportadoras de colesterol:

  • Lipoproteína de baixa densidade, ou LDL: carregam colesterol novo do fígado para o resto das células. É conhecido como “colesterol ruim”, ou seja, aquele que é capaz de entupir as artérias.
  • HDL ou lipoproteína de alta densidade: coleta o colesterol não usado para devolvê-lo ao fígado. É o chamado “colesterol bom” porque remove o excesso de colesterol.
Nível adequado de colesterol
Existem diferentes tipos de colesterol. O LDL, ou colesterol “ruim”, pode entupir as artérias. Por outro lado, o HDL, ou colesterol “bom”, facilita a eliminação do excesso de colesterol.

Além de ser capaz de medir e determinar os níveis adequados de colesterol LDL e HDL, também é possível realizar outras medições bioquímicas para verificar o estado geral do perfil lipídico no corpo. Entre essas outras medidas, temos:

  • Colesterol total: é obtido a partir da soma entre colesterol ruim e colesterol bom. Não é uma medida eficiente sozinha, pois pode ser um número alto devido ao colesterol bom elevado, o que não representaria um risco para a saúde.
  • Triglicérides: são uma forma que os lipídios adquirem no corpo. Medir esses lipídios é importante para os ajustes da dieta e para a prevenção de doenças como a pancreatite.
  • VLDL: é lipoproteína de densidade muito baixa, e seria comparável a outro “colesterol ruim”. É difícil medir com um teste de laboratório, então os médicos muitas vezes o calculam a partir de uma fórmula matemática baseada nos outros resultados lipídicos.

Não deixe de ler: Descubra como você pode combater a obesidade em crianças

Por que você deve medir o seu colesterol?

Não ter os níveis adequados de colesterol é a principal causa de doença aterosclerótica. Ela envolve a formação de placas de gordura dentro das artérias, obstruindo a passagem de sangue. Além disso, as placas podem se romper formando coágulos sanguíneos.

A doença aterosclerótica inclui problemas coronários como angina e infarto agudo do miocárdio, derrames e doença arterial periférica, causando obstrução nas pernas.

Todo adulto deve medir os níveis de colesterol com um exame de sangue pelo menos uma vez por ano. Altos níveis desta substância geralmente não causam sintomas até que ocorra um evento cardiovascular maior. Portanto, a medição torna-se uma ferramenta de prevenção.

Mais importante, o colesterol deve ser medido regularmente por aqueles que:

  • Têm um histórico familiar de ataques cardíacos.
  • Possuem diabetes tipo 1 ou tipo 2.
  • Apresentam hipertensão arterial.
  • São fumantes.
  • Estão acima do peso, em estado de sobrepeso ou obesidade.
Exame de colesterol
É importante que os adultos façam exames de sangue regularmente, pois os altos níveis de colesterol costumam ser assintomáticos até causarem um evento cardiovascular mais sério.

Leia também: Arteriosclerose: sintomas e tratamento

Qual é o nível adequado de colesterol?

Embora a lista de níveis adequados de colesterol apresentados abaixo não seja aplicável para crianças, uma vez que até a adolescência ela varia por idade, é interessante ter referências adultas:

  • Colesterol total: um valor inferior a 200 mg/dL é considerado apropriado. Acima disso, há um quadro de hipercolesterolemia.
  • LDL: para o colesterol ruim, o valor que é assimilado como ideal é inferior a 100 mg/dL. Entre 100 e 140 mg/dL é um valor intermediário, que já representa risco para alguns cientistas, e para outros não deve ser tratado. Quando os valores superiores a 140 mg/dL aparecem, há consenso de que ele deve ser tratado. Atualmente, o tratamento de escolha são as estatinas.
  • HDL: o colesterol bom tem níveis mínimos adequados, e não níveis máximos. É normal quando supera 35 mg/dL.
  • Triglicérides: um valor inferior a 150 mg/dL é considerado normal. A hipertriglicenciemia é diagnosticada com medidas superiores a 200 mg/dL. Pessoas com triglicérides acima de 500 mg/dL estão em grande risco de desenvolver um quadro de pancreatite.

Em suma, não é preciso que você “decore” qual é o nível adequado de colesterol, mas é essencial que você faça um exame de sangue para medi-lo periodicamente. Com os resultados em mãos, o médico poderá lhe dizer se você precisa iniciar um tratamento medicamentoso, mudar seu estilo de vida ou apenas se controlar por algum tempo.

  • Prospective Studies C, Lewington S, Whitlock G, et al. Blood cholesterol and vascular mortality by age, sex, and blood pressure: a meta-analysis of individual data from 61 prospective studies with 55,000 vascular deaths. Lancet 2007;370:1829–39.
  • Corral, Pablo, H. Blanco Gustavo, and M. Waitz Alejo. “El colesterol y sus valores. Cuando” normal” no es lo” fisiológico.” Rev Fed Arg Cardiol 41.3 (2012): 161-164.
  • Legró, Gondres, et al. “Valores de colesterol LDL en una población adulta de referencia.” MediSan 20.5 (2016): 630-637.
  • Feingold KR, Grunfeld C. Cholesterol Lowering Drugs. 2018 Dec 13. In: Feingold KR, Anawalt B, Boyce A, et al., editors. Endotext [Internet]. South Dartmouth (MA): MDText.com, Inc.; 2000-.