Por que não se deve consumir aipo na gravidez?

26 de julho de 2018
O aipo fornece inúmeros nutrientes, mas também contém substâncias como apiol, apigenina e miristicina, ingredientes ativos que produzem hemorragias e até mesmo risco de aborto espontâneo. Continue lendo para saber mais.

O aipo na gravidez é recomendado por vários blogs de saúde. No entanto, esta planta contém algumas substâncias que podem ser perigosas para a mãe e seu bebê.

Por que o aipo é bom

O aipo é uma planta herbácea de haste oca com sulcos externos. O seu uso como remédio remonta a tempos antigos nas culturas chinesa, grega e romana, devido ao seu sabor e cheiro característicos e também pelas suas diferentes propriedades medicinais.

Por outro lado, o aipo tem diferentes usos medicinais. É bom para males internos; por exemplo, é usado para o nervosismo, gota, arritmias, colesterol, como expectorante e sedativo estomacal.

Também serve para tratar o reumatismo, a dor de cabeça, promover a menstruação e aliviar desconfortos, reduzir o fluxo de leite materno, entre outras funções.

Para o uso externo, recomenda-se aplicá-lo por meio de cataplasmas. Eles curam feridas e frieiras. Também pode ser usado como enxaguante bucal ou contra a rouquidão (afonia).

Leia também: Como preparar o aipo para combater a constipação

Contraindicações e efeitos colaterais do aipo

Suco verde com aipo

O consumo e uso de aipo é seguro para a maioria das pessoas, principalmente quando consumido como alimento. No entanto, quando administrado em doses medicinais por um curto período de tempo, pode trazer efeitos colaterais.

Como quase todos os produtos, o aipo apresenta algumas contraindicações. De fato, é possível que cause reações como inflamação da pele e sensibilidade ao sol. No entanto, estes não são os únicos inconvenientes que o uso do aipo pode ter na saúde das pessoas.

Por que você não deve consumir aipo na gravidez

Como vimos, o aipo tem vários benefícios para a saúde das mulheres. É interessante que um grande número de sites na internet promova o consumo do aipo na gravidez e lactação.

No entanto, é importante esclarecer que, dentro da comunidade médica, o consumo do aipo na gravidez é contraindicado.

O aipo tem efeitos abortivos

Entre as primeiras razões, descobriu-se que administrar o óleo de aipo ou altas doses das sementes estimula o útero. Como resultado, existe o risco de causar um aborto espontâneo.

Na verdade, sabe-se há muito tempo que o aipo tem propriedades emenagogas. Este termo se refere a qualquer substância que estimula o fluxo sanguíneo. Por esse motivo, o aipo é usado para promover a menstruação.

No entanto, eles também são conhecidos por este nome no caso de algumas ervas abortivas. Existem aqueles que os classificam como emenagogos naturais leves, moderados e fortes.

O aipo é classificado como um emenagogo moderado. Como resultado, um bom número de especialistas considera preferível evitar consumir o aipo na gravidez.

Substâncias emenagogas

Talos de aipo

Apiol

O apiol é uma substância obtida com a destilação da semente de salsa. No entanto, este ingrediente ativo também é encontrado em algumas outras ervas, como o aipo.

Por muitos anos, o apiol tem sido usado como medicamento para iniciar a menstruação, mas também como uma substância abortiva. Na verdade, essa substância aumenta o tônus ​​e a força da contração do útero e causa a morte do tecido placentário.

De acordo com uma revisão histórica, concluiu-se que o uso oral de óleos essenciais ricos em apiol é um perigo latente para mulheres grávidas, uma vez que apresentam um alto risco de aborto espontâneo.

Apigenina

Esta substância é um flavonoide de origem natural que é encontrado no aipo, mas também em outras frutas e vegetais. De acordo com alguns estudos científicos, apigenina está relacionada com efeitos abortivos.

E isso não é tudo, os efeitos continuam após o tempo de administração. A apigenina tem um metabolismo lento e possivelmente se acumula no corpo. Por este motivo, é importante não ingerir grandes quantidades de aipo durante a gravidez.

Miristicina

É um princípio ativo que possui propriedades alucinógenas e anticoagulantes. Assim como os componentes ativos anteriores, essa substância estimula os músculos do útero. Como resultado, pode criar complicações de risco e até mesmo o aborto.

Em quais outros casos o consumo de aipo deve ser evitado?

Talos de aipo

O aipo também deve ser usado com especial cuidado em casos de alergias, distúrbios hemorrágicos, problemas renais, pressão arterial baixa e casos de cirurgia em que uma anestesia foi usada.

Se você tiver alguma dessas condições e costuma ingerir grandes quantidades de aipo, você deve conversar com o médico. Isso servirá para verificar se não há interação perigosa e prejudicial para a sua saúde.

Não perca: 8 dicas para uma alimentação adequada durante a gravidez

Conclusões

O aipo é uma planta com múltiplos benefícios e propriedades únicas que podem ser seguras para a maioria das pessoas quando consumidas nas refeições.

No entanto, foi demonstrado que o aipo na gravidez deve ser consumido com moderação e responsabilidade. Recomenda-se até mesmo evitar seu uso tanto quanto possível para não se expor a riscos ou interações negativas.

Você já sabia que não é aconselhável consumir aipo durante a gravidez? Em caso positivo ou negativo, compartilhe sua opinião e experiência com a gente e com a comunidade do Melhor com Saúde.

Recomendados para você