Meu filho é egoísta: o que fazer?

· 6 de dezembro de 2018
As crianças vivem uma etapa do desenvolvimento na qual são as protagonistas do egoísmo, já que ainda não desenvolveram a empatia. Os pais são os encarregados de ajudá-las a desenvolver o sentido altruísta.

A palavra egoísmo se define como um defeito ou problema de comportamento. Por esta razão, é atribuído ao amor exagerado por si mesmo e seus pertences.

A consequência disso é que o objetivo de uma pessoa egoísta se torna ficar com tudo ou se apropriar do que gosta.

Por outro lado, não costumam pensar no mundo que lhes rodeia e quando se relacionam com os outros é porque só procuram algum benefício.

Conselhos para quando um filho é egoísta

É importante ter consciência da fraqueza e dos efeitos nocivos que ser egoísta acarreta, por isso te damos alguns conselhos para que seu filho egoísta possa superar esse comportamento.

Converse com seu filho

Se tiver um filho egoísta, converse a respeito disso com ele

Diga-o com palavras claras o que o pertence. Pode indica-lo o que é cada uma das coisas ou objetos que não deve usar. Isso deve ser ensinado quando a criança for visitar um amigo ou quando vocês receberem visitas. Além disso, deve ensiná-la que é melhor compartilhar os brinquedos e se divertir com seus companheiros, ao invés de brincar sozinho.

Leia também: Fatiga escolar: ajude o seu filho a enfrentá-la!

Estabeleça turnos

Recomenda-se estabelecer turnos para usar os objetos com tempos certos, para evitar conflitos. Isso é caso seu filho esteja reunido com várias crianças para se distrair e só tenham poucos brinquedos, livros ou guloseimas.

Ative iniciativas generosas

Quando os adultos tiverem iniciativas generosas, podem permitir que a criança participe delas.

No momento em que estiverem realizam um ato altruísta, explique-o o que estão fazendo e a satisfação que se sente ao ser generoso.

Estimule o pequeno a selecionar alguns brinquedos ou roupas que já não servem. Assim, poderá presentear em ocasiões especiais, como no Natal ou em eventos benéficos. Desta maneira, outras crianças poderão desfrutar dos presentes, seu filho aprenderá a compartilhar e deixará de lado o comportamento egoísta.

Quando lhe for custoso compartilhar, lembre-o o quão felizes ficarão as pessoas que receberão os presentes e o quão orgulhoso você se sentirá ao saber que seu filho é muito generoso.

Ensine com o exemplo

Os pais são o exemplo que as crianças devem seguir. Neste sentido, é genial criar um ambiente de generosidade na família por iniciativa dos pais. Desta maneira, a criança poderá interiorizar esta virtude e começar a ter uma abertura progressiva em seu entorno. Lembre-se que a educação começa em casa.

As primeiras iniciativas de compartilhar que as crianças mostram são em relação aos seus pais.

Por isso estas ações devem ser reconhecidas com muito amor. Assim, você estará encorajando seu filho a tornar esta prática um hábito, inclusive fora de casa.

Fomente o trabalho em equipe

Para que seu filho não seja egoísta é importante fomentaro trabalho em equipe

Quando um filho é egoísta e você o coloca para trabalhar em equipe, pode se enriquecer com a troca de ideias e experiências. Isso lhe permitirá aceitar críticas, ser mais comunicativo, generoso, solidário e responsável. Portanto, terá mais confiança em si mesmo.

A presença de um adulto é fundamental quando os grupos são formados por crianças pequenas.

Porém, ele só deve intervir se for realmente necessário. Poderá orientá-las e ajudá-las, mas são as crianças que devem desenvolver a tarefa principal de maneira exitosa.

Uma forma de explicar à criança a importância e os benefícios de trabalhar em equipe é integrando-a em equipes de basquete, futebol ou qualquer tipo de esporte no qual dependam uns dos outros para conseguir atingir a um objetivo. Assim, se darão conta de que um faz o ponto, mas a partida é ganha por todo o time.

Veja também: Crianças que crescem sem pai

Considerações finais

Finalmente, se considera que as pessoas são egoístas por natureza, já que sua sobrevivência depende disso. No caso das crianças, não significa que sejam egoístas por si, mas sim que estão em uma etapa de desenvolvimento na qual elas são protagonistas devido ao fato de que ainda não desenvolveram a empatia.

Por isso, quando seu filho é egoísta se sugere pôr em prática estes conselhos. E, se ainda persistir neste comportamento, é recomendável que solicite um acompanhamento psicoterapêutico.

Isto permitirá aumentar sua autoestima e compreender a importância do mundo que lhes rodeia. É que na sociedade se obtém melhor benefícios sendo altruísta e generoso.

Sánchez Santos, J. M., & Pena López, J. A. (2006). Altruismo, simpatía y comportamientos prosociales en el análisis económico. Principios: Estudios de Economía Política.

Olivares, R. R. (2005). Estudio e Intervención en la Conducta Prosocial. Universidad De Córdoba.