Metilfenidato: o que é e para que é usado?  

16 de setembro de 2019
O metilfenidato é um medicamento administrado sob prescrição médica, principalmente para o tratamento do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Também é utilizado para tratar outras patologias. 

O metilfenidato é um medicamento indicado para o tratamento do transtorno por déficit de atenção e hiperatividade. Também é usado no tratamento da síndrome da taquicardia ortostática postural e a narcolepsia.

No entanto, também pode ser usado, sempre sob prescrição médica, para tratar casos de fadiga e depressão resistentes aos tratamentos habituais.

Conhecendo um pouco da história do metilfenidato 

O uso de estimulantes para o tratamento sintomático da narcolepsia data da década de 1930, quando começaram a ser indicadas a efedrina e a anfetamina.

Mais tarde, graças à pesquisa clínica, foi observado um progresso significativo em crianças hiperativas que receberam anfetaminas, especificamente benzedrina. Já em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial, o metilfenidato foi sintetizado pela primeira vez.

Durante o combate à doença, havia sido experimentado com muitas variantes químicas da anfetamina, na busca de moléculas com propriedades análogas, mas com menos efeitos adversos ou mais brandos.

Assim, a patente do metilfenidato foi retirada em 1954. A ação desta droga no organismo humano revelou, com respeito às drogas das suas classes conhecidas até o momento, menos efeitos colaterais neurovegetativos.

Para que é usado o metilfenidato? 

Este medicamento pertence à classe de compostos com uma estrutura de piperidina. Aumenta os níveis de dopamina e noradrenalina no cérebro, graças à sua capacidade de inibir a recaptação dos respectivos transportadores de monoamina.

O metilfenidato tem uma estrutura semelhante à anfetamina, mas não é neurotóxico. Dessa forma, seus efeitos não são os mesmos. Vamos ver em mais detalhes para quais patologias este medicamento é indicado.

Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade ou TDAH Remédios podem causar cansaço

O TDAH é uma doença neurobiológica que se origina na infância. Até o momento desconhece-se sua causa exata.

É um distúrbio neurobiológico originário da infância, que afeta mais de 5% das crianças no mundo. Atualmente são desconhecidas as causas exatas do desenvolvimento desta doença. É avaliada a possibilidade de uma combinação de vários fatores de risco agindo em conjunto.

No entanto, embora as causas exatas sejam desconhecidas, foi identificado que fatores genéticos e ambientais exercem uma grande influência em seu desenvolvimento. Além disso, o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tem uma probabilidade de ser herdado de 76%.

Por outro lado, em relação aos sintomas característicos desta doença, podemos citar três sintomas nucleares:

  • Déficit de atenção
  • Hiperatividade
  • Impulsividade

Para que esses sintomas sejam associados ao TDAH, certas condições devem ser atendidas:

  • Devem aparecer antes dos 7 anos de idade.
  • Manter-se no período por pelo menos 6 meses.
  • Devem afetar dois ou mais âmbitos na vida da criança.
  • Ter um impacto significativo, deteriorando seu rendimento de forma importante.

Descubra ademais: 6 dicas para tratar hiperatividade em adultos

Síndrome de taquicardia ortostática postural 

Essa síndrome é caracterizada por tontura ou sensação de desmaio na pessoa que a sofre. É acionada quando o sistema nervoso autônomo não funciona corretamente.

Na síndrome da taquicardia ortostática postural, os vasos sanguíneos não se contraem o suficiente para garantir um suprimento sanguíneo adequado ao cérebro.

Dessa forma, para tentar manter um suprimento sanguíneo suficiente para o funcionamento adequado do cérebro, o sistema nervoso autônomo faz com que o coração aumente a frequência dos batimentos, e as taquicardias aparecem.

Esta doença, para a qual o metilfenidato é indicado, pode ocorrer pela primeira vez após uma infecção por vírus ou após uma lesão. No entanto, é muito difícil saber se uma dessas circunstâncias é a causa dessa condição.

Atualmente estão sendo realizadas pesquisas para entender melhor a causa da síndrome da taquicardia ortostática postural.

Narcolepsia Metilfenidato provoca sonolência

O metilfenidato é administrado em pacientes com narcolepsia, um distúrbio cuja principal característica é a sonolência diurna extrema.

Esse transtorno é caracterizado por extrema sonolência diurna e ataque repentino de sono. Pessoas com narcolepsia geralmente têm dificuldade em permanecer acordadas por longos períodos de tempo, independentemente das circunstâncias.

Como nas outras duas patologias, a causa específica da narcolepsia é desconhecida. No entanto, foi observado que pacientes com esse distúrbio apresentam baixos níveis de hipocretina. Trata-se de uma substância do cérebro que ajuda a regular os estados de vigília e sono.

Leia também: 7 bons hábitos para combater a insônia e descansar melhor

Conclusão 

O metilfenidato é um medicamento administrado sob prescrição médica, principalmente para o tratamento do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Também é usado para tratar outras patologias.

Você deve seguir as orientações do médico e as recomendações do farmacêutico, uma vez que é um medicamento que tem efeitos adversos sérios, e que seu uso incorreto pode levar à sérias consequências para a saúde.

 

  • Vademecum. (2015). Metilfenidato. https://doi.org/Medicamentos Genericos Intercambiables
  • Brant, L. C., & Carvalho, T. R. F. (2012). Metilfenidato: Medicamento gadget da contemporaneidade. Interface: Communication, Health, Education. https://doi.org/10.1590/S1414-32832012000300004
  • Saúde, B. B. de A. de T. em. (2014). Metilfenidato no tratamento de crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. In Portal anvisa.