Criança distraída na aula: o que fazer?

24 de julho de 2019
Há muitas crianças distraídas ou sonhadoras que, enquanto acontece uma explicação em sala de aula, mantêm a mente está em outro lugar. É possível ajudar essas crianças a se concentrarem, mesmo nos casos em que há TDAH.

No século 21 nossos filhos vivem cercados por estímulos. Assim, são tão super-estimulados que, em vez de ocorrer uma evolução cognitiva, pode-se observar uma criança distraída na aula e é comum que ocorram problemas devido à falta de concentração e hiperatividade.

As crianças podem se distrair com qualquer coisa, desde com o que acontece ao seu redor até com os seus próprios pensamentos. E, por isso, para o professor surge o desafio de tornar o processo de aprendizagem estimulante. Mas, neste artigo, queremos mostrar que é possível e como os pais podem ajudar os filhos a serem mais concentrados. Confira.

Criança distraída na aula: causas

Criança cansada e fatigada em aula

Atualmente as crianças têm acesso quase ilimitado à tecnologia, são multitarefas, procuram por informações e possuem uma agenda cheia de atividades extracurriculares. Por isso, se sentar e manter a atenção diante do professor ou terminar uma tarefa pode ser desafiador para elas, bem como para os pais e professores.

No entanto, uma criança distraída na aula também pode ter problemas de saúde que não notamos. Estes podem ser detectados pelos professores e devem ser prontamente atendidos pelos pais. Nesse sentido, os problemas mais comuns seriam os seguintes:

  • Problemas de vista: a criança não enxerga bem o quadro e por isso acaba se distraindo.
  • Problemas auditivos: a criança não escuta bem o que o professor diz e, consequentemente, se distrai.
  • Transtorno de déficit de atenção (TDA ou TDAH quando inclui hiperatividade).

Claro que devemos cuidar das condições físicas que podem estar associadas à distração da criança. Mas, também é importante diferenciar: uma criança distraída não é o mesmo que uma criança com TDA. As crianças podem ser inquietas, sonhadoras, sem noção ou distraídas, mas isso não significa que elas tenham TDA.

Este transtorno só pode ser diagnosticado por pediatras, neurologistas ou psiquiatras. Um professor pode ter experiência com crianças com TDA, mas não é ele quem deve oferecer um diagnóstico do que acontece com o seu filho.

Leia também: Notas escolares: guia para os pais

Como conseguir concentração em sala de aula?

  • Diversificando as tarefas. Mude de matéria de vez em quando para ajudar a criança a reiniciar o processo de atenção. Isso irá mantê-la mais focada.
  • Estabelecendo um período de tempo para cada tarefa ou atividade. Isso exigirá que a criança se concentre para terminar no tempo previsto.
  • Organizando as tarefas. É melhor que a criança realize as tarefas mais difíceis quando estiver descansada, enquanto as mais fáceis e divertidas podem ser deixadas para o final do dia, quando a crianças está mais cansada.
  • Traçando metas e objetivos. É muito importante que a criança saiba quais são os objetivos a serem alcançados em aula, assim, colocará toda a sua atenção em alcançá-los.
  • Intercalando descansos. A atenção segue uma curva que em algum momento decai. É preciso dar alguns minutos de descanso para recuperar a concentração, evitando assim a distração da criança em aula.
  • Peça à criança para sintetizar e resumir o que ouviu da explicação, para escrever frases curtas com os detalhes mais interessantes. Isso a ajudará a exercitar a atenção.

O que fazer em casa para ajudar a uma criança que é distraída?

Criança distraída com dever de casa

Existem alguns aspectos importantes nos quais você pode ajudar seu filho a se concentrar. E é importante transformá-los em rotina:

  • Certifique-se de que seu filho durma e descanse bem, e que alimente bem seu cérebro.
  • Olhe nos olhos quando falar com ele ou pedir algo. É a melhor maneira de ter certeza de que está prestando atenção em você.
  • Estabeleça uma rotina de trabalho em casa, onde fique muito claro qual é o período de tempo que será dedicado para realizar as tarefas.
  • Quando chegar a hora do dever de casa, crie uma área de trabalho tranquila, onde luzes, brinquedos, televisões ou objetos que possam chamar a atenção não interfiram.
  • Evite deixar as tarefas mais difíceis para quando a criança estiver cansada. O cansaço não vai deixar que ela se esforce.
  • Recorra à técnica de sintetizar e resumir. Isso vai levá-la a se concentrar e lembrar do que estudou.
  • Façam juntos jogos de memória e outros que lhes permitam estimular a concentração e a aprendizagem.

E, antes de tudo, é essencial ter muita paciência. Trabalhar a concentração é um processo gradual e os resultados não são vistos de um dia para o outro.

Que exercícios podem ser feitos para estimular a concentração?

Esses exercícios podem ser feitos em sala de aula ou em casa. Cada vez que você conseguir superar a distração da criança em aula, use um reforço positivo com ela por estar atenta. Assim, a encorajará a manter a concentração.

  • Enumere três, quatro ou cinco coisas – dependendo da idade – que a criança pode encontrar na sala de aula ou em casa. Peça que traga essas coisas e confira se ela atendeu a todos os itens da lista.
  • Diga uma palavra ou um número. Peça a criança para fazer um sinal sempre que ela ouvir essa palavra ou número. Em seguida, recite uma lista de palavras ou números, incluindo os que você disse no início.
  • Coloque itens diferentes em uma tabela, em uma determinada ordem. Troque a ordem e peça a ela para colocá-las de volta como estavam inicialmente.
  • Guarde vários objetos em uma caixa. Feche-a e peça a criança para nomear todos os objetos que estão dentro da caixa.
  • Vista alguém com vários adornos. Tire alguns e peça à criança para descobrir quais foram os objetos que desapareceram.

Veja também: Fortaleça as relações familiares

E se a criança tiver TDAH?

Criança distraída em aula

No caso de um diagnóstico de TDAH, é preciso que o professor a ajude a minimizar as distrações. Além disso, esse caso também requer que o processo de aprendizagem seja muito estimulante. Assim, as recomendações básicas para essa criança são:

  • Deve se sentar perto do professor ou com crianças que tenham uma concentração muito boa para que não se distraia.
  • Deve ser integrada a grupos de trabalho com crianças mais calmas.
  • Evite deixar muita informação no quadro.
  • Certifique-se de que ela entendeu as instruções. Deixá-las anotadas é uma ótima opção.
  • Antes de iniciar uma nova tarefa, verifique se ela concluiu o que estava fazendo anteriormente.

Reflexão final

Crianças distraídas ou sonhadoras não devem ser forçadas a prestar atenção, elas devem receber um convite amável e amoroso para isso.

O desafio para pais e professores é fazer do processo de aprendizagem um espaço rico para o despertar da criatividade. Para lidar com a criança distraída na aula, é necessário removê-la de seus pensamentos e ajudá-la a manter o foco.

  • Education, U. S. D. of. (2008). Teaching children with attention deficit hyperactivity disorder: Instructional strategies and practices. Strategies.
  • Rai, N., Samsudin, S. B., & Das, J. (2006). Multiple intelligences in the classroom. In APERA Conference 2006.
  • Birch, S. H., & Ladd, G. W. (1997). The teacher-child relationship and children’s early school adjustment. Journal of School Psychology. https://doi.org/10.1016/S0022-4405(96)00029-5
  • Buyse, E., Verschueren, K., Doumen, S., Van Damme, J., & Maes, F. (2008). Classroom problem behavior and teacher-child relationships in kindergarten: The moderating role of classroom climate. Journal of School Psychology. https://doi.org/10.1016/j.jsp.2007.06.009