Não deixe que mentes pequenas digam que seus sonhos são muito grandes

Nossos sonhos nos mantêm vivos a cada dia e nos impulsionam a ser pessoas melhores. Por isso, não devemos permitir que nada nem ninguém os destrua.
Não deixe que mentes pequenas digam que seus sonhos são muito grandes

Última atualização: 25 Agosto, 2021

Quão grandes são seus sonhos? É engraçado como, à medida que envelhecemos e nos envolvemos em nossas responsabilidades de adultos, nossas aspirações e desejos se tornam menores, muito mais humildes. Qual é a influência das mentes pequenas nesse processo?

Aos poucos, nossos ambientes e as pessoas que fazem parte deles nos determinam. Além disso, pode chegar um momento em que uma grande dissonância surge entre o que somos e o que fazemos.

Nada disso nos agrada ou nos deixa felizes. Nossas expectativas se desvanecem e paramos de sonhar. Talvez seja por isso que se costuma dizer que, quando esse momento chega, realmente começamos a envelhecer. Não devemos permitir que isso aconteça. Sonhar é como respirar. Alimentar planos e esperanças é uma necessidade vital, algo que ninguém deve vetar ou limitar. Sugerimos que você reflita sobre isso.

Os sonhos são a estrutura das nossas vidas

As pessoas nem sempre estão cientes das nossas necessidades vitais. Há momentos em que chegamos a uma encruzilhada complexa, na qual esquecemos as nossas prioridades e acabamos sendo cativos do medo.

Nossa capacidade de aprimoramento e aprendizado é imensa. Acredite ou não, estamos geneticamente preparados para lidar com as adversidades. Portanto, os sonhos devem ser sempre aqueles fios de ouro com os quais tecemos nossos caminhos vitais de esperança.

Para lhe dar um exemplo maravilhoso de enfrentamento e conhecimento pessoal, queremos explicar a você quem são os Senoi. Esta tribo originária da Malásia sempre despertou um grande interesse em psicólogos e antropólogos. Aqui explicamos sua curiosa história e sua íntima união com o mundo dos sonhos.

Os sonhos são a estrutura das nossas vidas

Os Senoi, a tribo que faz terapia em grupo para analisar sonhos

Os Senoi são um povo de 60.000 pessoas que têm um costume profundamente enraizado em sua cultura. Todas as manhãs, eles se encontram como uma família em uma de suas cabanas de bambu. São casas que eles constroem nas alturas, para “fazer contato com o céu”.

O que essas famílias fazem todos os dias é contar umas às outras os sonhos e pesadelos que tiveram durante a noite. Agora, longe de ver nisso um componente mágico ou espiritual, o que existe é uma ideia muito concreta: entender as necessidades pessoais de cada membro.

Além disso, por incrível que pareça, isso é tão útil e catártico para todos que dificilmente há crimes nessa tribo. Também não há quadros de depressão ou transtornos mentais.

Os Senoi acreditam que nossos medos e ansiedades são encontrados nos nossos sonhos. Se os interpretarmos, poderemos nos conhecer melhor e enfrentar nossas dificuldades.

Além disso, eles possuem técnicas muito curiosas para fazer essas interpretações. São abordagens que realmente fazem sentido. Estes seriam alguns exemplos:

  • Se você sonhar que está caindo de uma montanha ou que está afundando de repente, pode significar que está passando por um momento de grande ansiedade. Para se sentir melhor é conveniente visualizar, por várias noites, antes de dormir, que você está caindo em um campo de flores fofas.
  • Quando temos um pesadelo, é necessário identificar o que está por trás dessa ameaça. Porque todo monstro ou sombra é um medo pessoal que deve ser administrado.

Como podemos ver, essas técnicas antigas dos Senoi podem servir como uma metáfora adequada. Para ser feliz é preciso conhecer nossos medos e necessidades, algo que, por mais curioso que pareça, pode estar escondido em nosso mundo inconsciente.

Analisar os sonhos

A pressão das mentes pequenas em nossas vidas

Agora vamos falar sobre as mentes pequenas. Você consegue identificá-las? Podemos defini-las da seguinte forma:

  • Pessoas de pensamento rígido e tradicional que não aceitam mudanças.
  • Personalidades que projetam seus próprios medos nos outros, antecipando o pior.
  • As mentes pequenas apresentam um tipo de personalidade acostumada a vetar liberdades, criticar e extinguir sonhos e expectativas.

Para pessoas com esse tipo de pensamento e atitude, qualquer um dos seus sonhos pode ser considerado bobo. Portanto, eles nos dizem frases como:

“Seu trem já passou”, “Você está velho demais para essas bobagens”, “Aqueles sonhos são ingênuos e mirabolantes demais”, ou “O que você quer não é para você”.

Cuidado com as mentes pequenas

Você pode estar interessado em ler: Todas aquelas vezes em que pensei em deixar tudo para trás

Maneiras de alcançar nossos objetivos e sonhos

  • Lembre-se do que você merece, não do que os outros dizem que você precisa.
  • Confie na sua intuição e no seu bom senso.
  • Se o que você é e faz não lhe traz felicidade, só há uma opção: promover uma mudança.
  • Para realizar nossos sonhos, precisamos dar um passo em direção a esse objetivo todos os dias.
  • Qualquer mudança, por menor que seja, o aproximará dos seus propósitos e o fará se sentir melhor.
  • As mentes pequenas que colocam correntes em seus pés para evitar que você voe rumo aos seus sonhos não o amam e nem o respeitam.
  • Esteja receptivo a tudo que o cerca para identificar as boas oportunidades que surgirem.

Não tenha medo das mudanças. Às vezes, uma pequena alteração abre um caminho maravilhoso por descobrir.

Pode interessar a você...
A felicidade não se sustenta com sonhos, e sim com a realidade
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
A felicidade não se sustenta com sonhos, e sim com a realidade

Os sonhos são importantes, nos fazem ter esperanças e tocar na felicidade. Porém, se queremos que esta perdure, devemos virar nosso olhar para a re...



  • Domhoff, G. W. (1990). The mystique of dreams: A search for utopia through Senoi dream theory. Univ of California Press.
  • Domhoff, G. W. (2003). Senoi dream theory: Myth, scientific method, and the Dreamwork Movement. Retrieved from the World Wide Web: http://dreamresearch. net/Library/senoi. html (2013-10-7).
  • Sulimani-Aidan, Y. (2017). To dream the impossible dream: Care leavers’ challenges and barriers in pursuing their future expectations and goals. Children and Youth Services Review, 81, 332-339.