Memória semântica: o que é e como melhorá-la?

A memória semântica é aquela que nos ajuda a entender o mundo. Saiba mais sobre como ela funciona e como fortalecê-la.
Memória semântica: o que é e como melhorá-la?

Última atualização: 09 Setembro, 2021

A memória é um construto psicológico que algumas pessoas entendem como algo único. Em outras palavras, dizemos que temos uma “boa memória” quando nos lembramos das coisas com alguma facilidade. No entanto, existem vários tipos de memória e cada uma tem uma função específica. Hoje, falaremos especificamente sobre a memória semântica.

Diz-se que ela nos permite dar sentido ao mundo que nos rodeia. Além disso, juntamente com a memória episódica, forma a chamada “memória declarativa”. Para saber mais sobre isso, convidamos você a continuar lendo.

O que é a memória semântica?

A memória semântica é aquela que dá sentido ao nosso ambiente. É, basicamente, uma pirâmide de conceitos que estão à nossa disposição. Por exemplo, quando vamos responder a uma pergunta, fazemos isso usando os conceitos que gerenciamos.

À medida que as pessoas envelhecem, adquirem novos conhecimentos. É essa informação adquirida que compõe a pirâmide de conceitos semânticos. Ou seja, essa memória é responsável por evocar os nomes dos objetos que usamos com frequência.

No entanto, não é responsável por armazenar conhecimentos profundos sobre os conceitos. Em vez disso, ajuda a identificar e diferenciar algumas coisas de outras. Esse é o caso de algumas respostas ao fazermos provas: muitas vezes sabemos as respostas corretas, mas não sabemos por que estão corretas.

Por ser uma memória dedicada a conceitos, não segue uma ordem estruturada. Isso significa que as memórias vêm por meio de associações. Isso a diferencia da memória episódica, que opera seguindo o fio narrativo da vida.

O que é a memória semântica?
Junto com a memória episódica, a memória semântica forma a chamada “memória declarativa”.

Características da memória semântica

O que caracteriza a memória semântica é a sua ambiguidade . Isso significa que os conceitos armazenados podem se referir a vários aspectos da vida. A essência ou significado que atribuímos a algo pode ultrapassar uma profundidade além da nossa compreensão.

Outra qualidade é que ela é uma memória associativa. Nesse sentido, quando encontramos no mundo relações com conceitos que já conhecemos, estabelecemos uma associação. Um exemplo seria quando vamos dirigir um carro diferente do nosso, e usamos a memória semântica para estabelecer relações entre os dois carros.

Dessa forma, entende-se que a experiência desempenha um papel importante. Quando as pessoas aprendem a realizar uma atividade, adquirem conceitos semânticos. Posteriormente, esse aprendizado pode ser extrapolado para outras circunstâncias.

Dicas para melhorar a memória semântica

A seguir, veremos uma lista com algumas recomendações práticas para aprimorar a memória semântica. Para obter bons resultados, é conveniente colocá-las em prática de forma constante.

1. Classifique os conceitos

Por se tratar de um tipo de memória piramidal, podemos aprimorar a classificação das informações. Em outras palavras, vamos atribuir diferentes categorias aos conceitos que aprendemos. Implementando este método, será mais fácil evocar os conceitos quando precisarmos deles.

2. Nomeie as categorias

Depois de classificar os conceitos que queremos lembrar, é importante estabelecer a qual categoria eles pertencem. Em outras palavras, trata-se de especificar as categorias. Dessa forma, reduziremos o espectro de cada conceito. Por exemplo, a categoria de direção abrange carros automáticos e manuais.

3. Faça uma lista de conceitos

Uma maneira de facilitar a categorização é listar os conceitos que estamos incorporando. Escrever ajuda a ordenar a pirâmide da informação. As listas também são úteis para estabelecer maneiras de aplicar o conhecimento.

4. Pratique xadrez

O xadrez é uma atividade que também é considerada uma ciência. Aprender e praticar ajuda a estimular todos os processos cognitivos. Em particular, os benefícios da memória semântica.

Para jogar, você precisa aprender alguns conceitos de forma estruturada. Então, você tem que desenvolvê-los criativamente durante os jogos. Portanto, para melhorar a compreensão do jogo, seus conceitos devem ser estudados separadamente.

5. Aprenda um novo idioma

A linguagem é um processo que envolve o domínio de diferentes conceitos de forma estruturada. Quando incorporamos os significados e regras de uma nova linguagem, nossa memória semântica é exercitada.

Perturbações da memória semântica

As afasias são alterações que prejudicam a memória semântica. Existem três tipos de afasias semânticas. Em primeiro lugar, existe a afasia de Wernicke semântica, a seguir temos a afasia sensorial transcortical e, por fim, a afasia de Luria dinâmica.

Esses distúrbios interferem no sistema semântico, causando distorções na fase de produção da palavra. Ou seja, os pacientes não conseguem expressar os conceitos que conhecem por meio da linguagem.

A doença de Alzheimer também provoca alterações no nível das memórias semânticas. É lógico pensar que um paciente com deficiência cognitiva crônica não consegue fazer associações semânticas corretamente.

Perturbações da memória semântica
Distúrbios como afasias e o mal de Alzheimer afetam a memória semântica.

Como evitar danos à memória?

Para evitar danos à memória semântica, é importante manter bons hábitos de vida. Um exemplo benéfico é dar ao nosso cérebro um bom descanso à noite. Rotinas saudáveis são fatores de proteção contra doenças cognitivas.

Outros hábitos saudáveis que podemos incorporar para cuidar desses processos são uma alimentação balanceada, exercícios físicos e uma vida longe do estresse.

Pode interessar a você...
Confabulação: saiba tudo sobre este erro da memória
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Confabulação: saiba tudo sobre este erro da memória

A confabulação é a incapacidade da memória de evocar algo com precisão. É possível tratá-la? Saiba todos os detalhes neste artigo.



  • Martínez, María Macarena, and I Jaichenco, Virginia. “Evaluación de La Memoria Semántica.” Revista de Psicología 8.16 (2012): 7–23. Print.
  • Peraita Adrados, Herminia, and Miguel Galeote Moreno. “Memoria Semántica y Fluidez Verbal En Demencias.” Revista española de neuropsicología 1.2 (1999): 3–18. Print.
  • Martínez Cuitiño, Macarena. “Teorías de Organización y Procesamiento de La Memoria Semántica.” Perspectivas en Psicología 12.2 (2015): 67–76. Print.
  • Lillo-Crespo M, Forner-Ruiz M, Riquelme-Galindo J, Ruiz-Fernández D, García-Sanjuan S. Chess Practice as a Protective Factor in Dementia. Int J Environ Res Public Health. 2019;16(12):2116. Published 2019 Jun 14. doi:10.3390/ijerph16122116
  • Vivas, Jorge. “Modelos de Memoria Semántica.” Evaluación de Redes Semánticas. Instrumentos y Aplicaciones January 2010 (2010): 20. Evaluación de Redes Semánticas. Instrumentos y Aplicaciones. Web.