Como apagar memórias dolorosas da mente?

Para superar um evento doloroso, é importante perdoar e se perdoar, e também é útil tirar uma aprendizagem do que aconteceu no passado. Veja como apagar memórias dolorosas da mente nesse artigo.

Há episódios na vida das pessoas que marcam por sua natureza triste. Essas memórias dolorosas impedem o desenvolvimento de uma vida saudável, calma e sem sobressaltos. É possível apagar as memórias dolorosas da mente?

O que são memórias?

Memória é uma palavra que vem do latim e cuja etimologia significa “voltar a passar pelo coração”. Lembrar é a maneira pela qual guardamos em nossa mente uma certa situação ocorrida no passado.

Para que servem as memórias?

Pessoas olhando para fotos que trazem lembranças

As memórias servem para organizar a existência de seres humanos. Sem recordações ou memórias, seria impossível viver. Isso implicaria ter que aprender tudo novamente a cada momento, tornando impossível a acumulação e a transferência de experiências.

Como as memórias são armazenadas?

A memória armazena recordações de várias maneiras, estabelecendo um conjunto diferenciado para cada tipo de lembrança. A lista é extensa, no entanto, pode-se dizer que as recordações são divididas entre aquelas que são de curto prazo, de longo prazo e sensoriais.

Memória sensorial

Mulher tentando lembrar memórias dolorosas

É a memória que se manifesta através dos sentidos. Armazena as memórias de forma muito breve, as quais não duram mais do que 300 milissegundos. Depois desse tempo, desaparece imediatamente, a menos que se tornem parte da memória de curto prazo.

Memória de curto prazo

Uma vez que uma experiência da memória sensorial foi selecionada, ela é instalada na memória de curto prazo, também é designada de memória operacional. Pode ter entre 5 e 9 elementos.

Memória de longo prazo

É aquela que armazena recordações de forma duradouraÉ aí que as memórias dolorosas permanecem. Esta é dividida em memória implícita e explícita.

A primeira é a que mantém as experiências inconscientemente e está relacionada com a aprendizagem de diferentes tipos de habilidades. Graças a esta memória, você pode realizar atividades como andar de bicicleta ou dirigir o carro.

A memória explícita está ligada à atividade consciente. Podem se distinguir dois tipos de memória explícita: semântica e memória episódica. A semântica se refere a memórias históricas ou científicas e ao conhecimento de natureza geográfica. Também o nome das pessoas, por exemplo, é armazenado como uma memória neste campo.

A memória episódica é onde memórias dolorosas são armazenadas mais especificamente. É aí que são mantidos os episódios autobiográficos, isto é, nos permite reconhecer certos fatos ou experiências particulares. Por exemplo, o dia de casamento, o dia da formatura, uma luta ou uma ofensa forte, são armazenados na memória episódica.

Recomendamos que você leia: Dicas para melhorar a memória de curto prazo

Podemos apagar as memórias dolorosas?

Homem triste se lembrando de memórias dolorosas

Os seres humanos passam por eventos dolorosos ao longo de suas vidas. Muitas vezes é possível encarar essas memórias e continuar. No entanto, há momentos em que isso pode ser mais complicado. A depressão ou o transtorno de estresse pós-traumático resultante de eventos que marcam o passado das pessoas podem representar um peso muito forte e difícil de suportar.

Devido à forma como as memórias são armazenadas, estas dependem da forma como a memória é consolidada. Esta área de estudo pertence à neurociência.

Pesquisas neste campo indicam que cada vez que você recupera (lembra) um determinado episódio, torna-se maleável ou instável, possibilitando que a pessoa adicione novas informações. Ao voltar a armazenar esse fato, este é alterado em relação ao inicial ou original.

Este mecanismo fornece um espaço para modificar a forma como um evento doloroso e traumático é moldado na memória. Por sua vez, podemos mudar as reações emocionais que estão relacionadas a ele.

Emoções negativas

A psicoterapia também pode ajudar a neutralizar emoções negativas em uma pessoa reinterpretando os fatos que causam dor. Quando os significados são alterados, o fato doloroso é alterado. São adicionadas ou substituídas essas informações por outras diferentes daquelas que causam o sofrimento.

Hoje em dia é possível desenvolver drogas que evitem a fixação de memórias dolorosas. Estas são substâncias capazes de inibir a produção de cortisol, que é a substância que ajuda a “consertar” memórias dolorosas.

No entanto, a maioria das teorias relacionadas ao estudo de memórias dolorosas concorda que os fatos devem ser aceitos e devemos manter a premissa de que o passado não pode ser alterado.

É necessário tirar um aprendizado desse fato doloroso. Por mais forte ou traumático que seja, você sempre tirará uma lição positiva e, por fim, é importante perdoar. Perdoar e se perdoar faz qualquer fato poder ser superado e permanecer no passado.

Recomendados para você