Indicações da maquiagem corretiva em dermatologia

30 de março de 2020
A maquiagem corretiva é útil para disfarçar as imperfeições da pele causadas por várias doenças. Não devemos apenas pensar que esses produtos têm um uso estético, mas que podem ter indicação médica.

A maquiagem corretiva em dermatologia é especialmente pensada e formulada para camuflar imperfeições, além de restaurar a boa aparência da pele afetada por certas dermatoses e condições de saúde. Esse tipo de maquiagem é útil para:

  • Atenuar as sequelas cutâneas deixadas pelas queimaduras
  • Melhorar os procedimentos de dermatologia estética ou cirurgia plástica
  • Minimizar os efeitos colaterais dos tratamentos contra o câncer

A maquiagem corretiva também tem um grande benefício psicológico, porque melhorar a aparência da pele e a imagem percebida contribui para aumentar a autoestima e a qualidade de vida das pessoas afetadas.

Características da maquiagem corretiva

A maquiagem formulada para corrigir manchas, cicatrizes e outras imperfeições possui várias características, incluindo as seguintes:

  • Alto poder de cobertura.
  • Resultado natural: aplicação rápida e fácil.
  • Segurança dermatológica: testes hipoalergênicos e não comedogênicos com estudos clínicos de tolerância.
  • Alta remanência na pele.
  • Resistência à água e ao suor.
  • Sem perfume.
  • Adaptável ao uso facial e corporal.
  • Fácil de remover.

Você conhece os conceitos básicos da maquiagem corretiva?

No círculo cromático, cada cor possui uma cor oposta. O princípio da oposição das cores indica que a intensidade de uma cor é atenuada quando o seu oposto é adicionado. Assim, a cor verde neutraliza o vermelho, e o violeta neutraliza o amarelo.

Esse princípio permite que, para disfarçar imperfeições onde dominam o vermelho ou o violeta, usemos os opostos adequados. Assim, será possível minimizar a quantidade de maquiagem corretiva utilizada.

Maquiagem corretiva para ajudar pacientes oncológicos
A maquiagem corretiva é baseada na teoria das cores. Certas tonalidades são utilizadas para mascarar outras.

Leia também: 8 dicas para evitar manchas solares

Indicações em dermatologia

As possibilidades de usar maquiagem corretiva são muitas e variadas. Algumas das mais comuns são:

  1. Maquiagem de pequenas imperfeições: olheiras, manchas ou tatuagens.
  2. Dermatose: acne, rosácea ou lúpus.
  3. Hiper ou hipopigmentação: lentigo, melasma ou vitiligo.
  4. Afecções vasculares: rubor, rosácea ou angiomas.
  5. Após intervenções em dermatologia estética ou cirurgia plástica: peeling químico, dermoabrasão, laser ou preenchimentos faciais.
  6. Camuflagem: de queimaduras e cicatrizes.

Ao usar maquiagem corretiva em um paciente com câncer, além de aplicar maquiagem, às vezes as sobrancelhas precisam ser desenhadas e recheadas. Para fazer isso, você deve seguir com pequenos traços o desenho da sobrancelha natural. No entanto, se houver alopecia parcial ou total, tome 3 pontos de referência para redesenhar as sobrancelhas.

Se os cílios diminuíram ou desapareceram devido a tratamentos oncológicos, aplique um delineador na base dos cílios superiores. Dessa forma, você poderá definir e recriar a aparência dos cílios.

Como camuflar o vitiligo com maquiagem
Pacientes com vitiligo podem se beneficiar da maquiagem corretiva.

Maquiagem corretiva no paciente com câncer

A maquiagem corretiva é  importante principalmente em pacientes em tratamento contra o câncer. Efeitos adversos na pele do rosto devido aos tratamentos de quimioterapia são muito comuns.

É importante que as pessoas afetadas se sintam bem com a sua aparência, porque isso aumenta a sua autoestima e autoconfiança. Portanto, a maquiagem ajuda a enfrentar os tratamentos com uma atitude mais positiva e a melhorar seus relacionamentos pessoais e sociais.

A maquiagem corretiva ajuda a mitigar as alterações mais comuns na pele facial associadas aos tratamentos contra o câncer. Essas alterações incluem o ressecamento intenso, sinais de fadiga, manchas e hiperpigmentação, vermelhidão, erupções acneiformes, sobrancelhas e cílios ralos ou a queda total deles.

Antes de proceder à maquiagem, uma limpeza suave deve ser realizada com produtos de eficácia e tolerância comprovadas. Para isso, são indicados especialmente leites de limpeza ou óleos relipidantes.

A hidratação do contorno do rosto e dos olhos é essencial, porque a pele seca é um dos efeitos colaterais mais comuns após a quimioterapia. Aliás, é importante priorizar produtos hipoalergênicos com alto nível de emoliência.

Por outro lado, também é aconselhável aplicar uma máscara hidratante 1 ou 2 vezes por semana e, é claro, você nunca deve se esquecer da proteção solar correta. Os tratamentos oncológicos aumentam a sensibilidade da pele contra a radiação solar, e é preciso limitar a exposição ao sol o máximo possível.

Quer mais informações? Então leia: Como eliminar as manchas da idade na pele

Conclusão

Se você sofre de certas condições da pele ou está em tratamento oncológico, a maquiagem corretiva é uma ajuda da qual você pode se beneficiar tanto física quanto emocionalmente. Além disso, esses produtos proporcionam não só um benefício estético, mas também benefícios terapêuticos.

  • Riva Grandal, Á., Santiago Sánchez Mateos, J., & Rodríguez Martín, C. (2009). Maquillaje terapéutico sobre lesiones dermatológicas faciales: revisión bibliográfica. Enfermería Dermatológica.

  • Padilla-España, L., & de Troya-Martín, M. (2013). El maquillaje corrector en la dermatología pediátrica: cuándo y cómo. Piel. https://doi.org/10.1016/j.piel.2013.03.017

  • Alcalde Lorca, I. (2008). Maquillaje dermatológico corrector. Enferm Dermatol.