Informações sobre o coronavírus para pessoas com câncer

22 de março de 2020
O mais importante para as pessoas com câncer é seguir as instruções para evitar o contágio do COVID-19. Não é preciso tomar precauções especiais, a menos que sejam orientadas pelo médico responsável pelo caso.

Existe a ideia equivocada de que o coronavírus afeta severamente apenas os idosos, mas isso não é verdade. Qualquer pessoa que tenha o sistema imunológico enfraquecido corre o risco de desenvolver a forma grave da COVID-19. Entre aqueles que precisam tomar cuidado com o coronavírus, podemos citar as pessoas com câncer ou que estão seguindo determinados tratamentos relacionados a essa doença.

Todos os vírus, incluindo o famoso SARS-CoV-2 ou coronavírus, precisam vencer as defesas do sistema imunológico de cada indivíduo para conseguir se instalar e causar a doença. Tais defesas costumam ser mais fracas em pessoas com câncer e outras doenças crônicas, ou naquelas que fazem algum tratamento com substâncias que reduzem a sua imunidade.

É necessário esclarecer enfaticamente que as pessoas com câncer não têm um maior risco de contrair o vírus. Para elas, o risco é exatamente igual ao de qualquer outra pessoa. O que acontece é que, em caso de contágio, elas podem sofrer um ataque de maior virulência e apresentar sintomas muito mais graves.

Como as pessoas com câncer devem se proteger do coronavírus?

Não existe uma grande diferença para a proteção aplicável às pessoas com câncer. Basicamente, elas devem seguir as mesmas indicações que são dadas às outras pessoas, mas de forma rigorosa. A melhor maneira de se proteger do contágio é evitar o contato social o máximo possível. Isolamento e distância são os meios ideais para evitar a infecção.

Quando se fala sobre evitar o contato com outras pessoas, isso inclui nossos familiares e pessoas que fazem parte da nossa rotina regularmente. Ou seja, essa instrução não se destina apenas a restringir a aproximação com estranhos. Não é adequado dar as mãos ou um beijo ao cumprimentar, a menos que você tenha certeza de que a outra pessoa não possui o vírus.

É aconselhável usar luvas descartáveis, se você tiver acesso a elas, quando receber encomendas ou precisar sair por algum motivo. Essas medidas seguem uma lógica simples: quanto menos uma pessoa se expuser ao vírus, menor é a probabilidade de se ser infectar.

Médico tratando paciente com câncer
Pacientes com câncer que estão em tratamento têm um sistema imunológico enfraquecido que pode complicar a infecção por coronavírus.

Continue lendo: Como limpar o seu celular para prevenir o contágio pelo coronavírus

A higiene: um fator crucial

O vírus SARS-CoV-2 é muito vulnerável à combinação de água e sabão. Esses microrganismos têm uma camada de lipídios, isto é, de gordura, que é destruída pelo sabão. Sem essa camada, o vírus se desintegra. Portanto, mais do que nunca, é importante lavar as mãos com frequência.

Diante dessa medida, muitas pessoas têm se perguntado se elas devem lavar as mãos porque o vírus entra na pele. A resposta é: não. Essa medida de higiene é recomendada por algumas razões que podemos explicar melhor com um exemplo. Suponha que o entregador tenha o vírus e tossiu perto da embalagem que vai entregar. A pessoa que a recebe não sabe que isso aconteceu e pega a entrega sem prevenção.

O vírus pode permanecer nas mãos dela, mas isso não seria suficiente para promover o contágio. No entanto, se a pessoa que recebeu a entrega passar a mão no rosto, o SARS-CoV-2 terá a oportunidade de entrar no organismo pela boca, pelas fossas nasais e pelos olhos. Dessa forma, o contágio vai ocorrer.

Como no dia a dia não conseguimos ficar totalmente atentos a tudo que tocamos, é melhor lavar as mãos com frequência. Se o vírus estiver presente, ele vai desaparecer e não haverá mais riscos. Se não estiver, não importa: é bom adquirir esse hábito, porque talvez hoje não exista mais risco, mas amanhã pode haver.

Lavar as mãos com água e sabão
Lavar as mãos com sabão é uma das medidas mais eficientes no combate ao coronavírus.

Descubra mais: Os alimentos podem estar contaminados com o coronavírus?

Outras medidas para prevenir o coronavírus em pessoas com câncer

O New England Complex System Institute, um dos centros que vem reunindo recomendações há alguns meses, aconselha a criação de áreas seguras, começando em casa. Basicamente, a ideia é garantir que o vírus não entre na casa ou em uma determinada área.

A melhor maneira de conseguir fazer isso é garantir que todas as pessoas que moram em uma casa, ou frequentem a área, sigam as recomendações de contato e higiene. Também significa parar de receber visitas. Caso elas apareçam, a recomendação é pedir para que usem uma máscara, lavem as mãos e mantenham distância física.

É uma boa ideia procurar uma maneira de obter uma reserva de medicamentos, talvez para um mês ou dois. Se o sistema de saúde entrar em colapso, o suprimento pode ser cortado, o que pode ser grave. Da mesma forma, é importante limpar superfícies e objetos do nosso dia a dia com relativa frequência. Basta passar um pano com sabão ou cloro, principalmente nas maçanetas e nos interruptores.

As pessoas que têm câncer precisam ser mais cuidadosas agora, mas isso não significa que devam ficar obcecadas ou assustadas. Tudo se resume à adoção de novos hábitos, que após alguns dias não vão mais parecer tão estranhos.