Macarrão proteico: menos carboidratos e um extra de sabor

O macarrão proteico tem algumas vantagens em relação ao tradicional. Fornece menos carboidratos e mais fibras, mantendo um sabor incrível e proporcionando versatilidade na cozinha.
Macarrão proteico: menos carboidratos e um extra de sabor

Última atualização: 24 Outubro, 2021

O macarrão é um dos alimentos mais apreciados por crianças e adultos. As gôndolas dos supermercados apresentam cada vez mais variedades: macarrão de trigo integral, com legumes, multigrãos, sem glúten…  O macarrão proteico foi um dos últimos a chegar, mas já está fazendo sucesso pelo seu sabor incrível.

Ao contrário das massas tradicionais, contém mais proteínas e fibras, o que pode ser uma vantagem para muitas pessoas e situações. Além disso, em muitos casos, estas são opções sem glúten.

Embora não se trate de trocar a velha massa de trigo por esta novidade, é interessante descobrir as suas características e os seus pontos fortes. Por esse motivo, falaremos mais sobre o macarrão proteico a seguir.

O que é o macarrão proteico?

Simples e direto. O macarrão proteico é exatamente o que seu nome sugere: uma variedade de massa que tem mais proteína em sua composição do que a tradicional (feita de trigo).

Existem dois tipos diferentes. Por um lado, temos a massa feita com farinhas de leguminosas. As mais utilizadas são lentilha, ervilha e grão de bico. Estes produtos costumam ter entre 18 e 25 gramas de proteína e cerca de 10-15 gramas de fibra, dependendo da matéria-prima.

Também existem massas de farinha de trigo que são enriquecidas com isolados de proteínas (soja ou ervilha) e com fibras. Estes têm muito mais proteína (alguns chegam a 60%), mas em compensação contêm mais ingredientes e, às vezes, alguns aditivos.

Em ambos os casos, a textura é ligeiramente diferente da massa tradicional e, portanto, você pode precisar fazer alguns testes com o tempo de cozimento. No entanto, é um alimento delicioso e muito versátil na cozinha.

Costuma ser encontrado na forma de espaguete e parafuso. Com ele, é possível preparar as mesmas receitas que com as massas tradicionais: saladas, gratinados, salteados e macarrão com molho.

Benefícios de consumir macarrão proteico

Massas frescas vs massas secas
O macarrão proteico pode ser uma boa opção para quem tem dificuldade em comer carnes e leguminosas para ingerir a quantidade diária recomendada de proteína.

Contribuição extra de nutrientes

A qualidade nutricional do macarrão proteico é, em princípio, mais atrativa do que qualquer farinha de trigo refinada. Desde que seja uma farinha de leguminosa não refinada ou feita de trigo integral.

O mais notável é que ele tem uma quantidade maior de proteínas, minerais e fibras do que a massa normal. Isso é interessante principalmente no caso da fibra, já que sua presença na dieta é muito favorável.

A fibra alimentar ajuda a regular o trânsito intestinal e sacia mais do que a massa branca. Além disso, as dietas ricas em fibras têm sido associadas a um risco menor de doenças comuns, como problemas cardiovasculares, obesidade e diabetes tipo 2.

Fonte de proteína

A maioria das massas de proteína inclui 20-25 gramas (no mínimo) de proteína por 100 gramas de massa seca. Por isso, podem ser consideradas uma boa fonte de proteínas, como as leguminosas cozidas, tofu, ovos ou carne.

A proteína é um macronutriente muito importante e necessário para o corpo. É essencial porque faz parte dos anticorpos, das enzimas digestivas e da estrutura das células, transporta moléculas pelo corpo e atua como mensageiro.

Completa a gama de fontes de proteína

O macarrão proteico oferece uma gama mais ampla de fontes de proteína, o que é positivo para quem tem dificuldade em consumir outros alimentos que as fornecem.

Macarrão para dietas com baixo teor de carboidratos

Os carboidratos são outro macronutriente necessário para o corpo, assim como as proteínas e as gorduras. No entanto, em algumas ocasiões pode ser interessante seguir dietas com baixo teor de carboidratos.

Os estudos se concentraram em avaliar seus benefícios potenciais na perda de peso, risco de doença metabólica ou fígado gorduroso não-alcoólico.

Desta forma, as massas de leguminosas e, sobretudo, as massas com adição de proteínas são ideais para quem pretende consumir menos carboidratos.

Melhor digestibilidade do que as leguminosas

Para muitas pessoas, consumir leguminosas é sinônimo de má digestão ou gases abdominais. Alguns aplicam truques para facilitar a digestão, mas outros as removem diretamente da sua dieta.

Neste último caso, a massa de leguminosas é uma boa alternativa, assim como o homus ou os dips de leguminosas. Isso porque, em geral, eles não causam nenhum tipo de problema digestivo.

Ajuda a cobrir a ingestão de proteínas

A maioria das pessoas não tem problemas em atender às suas necessidades diárias de proteína. No entanto, o macarrão com mais proteína pode ser útil quando as necessidades desse macronutriente são aumentadas. É o caso de atletas ou pessoas que realizam atividades físicas intensas.

Além disso, quando a dieta é muito hipocalórica, as necessidades diárias de proteína podem não ser atendidas. Isso geralmente acontece em pessoas mais velhas com menos apetite ou dificuldade de comer. Não se esqueça de que, para eles, a proteína é um nutriente fundamental na prevenção da perda muscular.

Em todos esses casos, substituir a massa de trigo usual por uma massa de proteína pode ser uma boa estratégia que ajuda a cobrir as quantidades diárias recomendadas de proteína.

A maioria são opções sem glúten

Sem dúvida, isso é interessante para pessoas com doença celíaca, pois amplia o leque de possibilidades além do arroz, quinoa e milho. Cuidado com as massas com adição de proteínas, pois geralmente elas são feitas com trigo.

Uma refeição completa

Devido ao seu maior teor de proteína do que a massa convencional, uma refeição com macarrão proteico pode ser um prato completo por si só. Isso significa que não é necessário acompanhá-lo com carne ou peixe, por exemplo. No entanto, é imprescindível acrescentar uma porção de vegetais ao cardápio, seja junto com o macarrão ou como entrada.

Receita de macarrão proteico com pesto

Macarrão de trigo integral com molho pesto
O macarrão proteico pode ser acompanhado por diferentes molhos, como o pesto.

Este é um prato que nunca falha pelo seu sabor e aroma incomparáveis. Além disso, é muito rápido de preparar e pode ser modificado para obter uma versão vegana. Para fazer 4 porções, os seguintes ingredientes são necessários:

  • 2 colheres de sopa de pinolis.
  • Um punhado de manjericão fresco.
  • 50 gramas de queijo parmesão.
  • 1 dente de alho.
  • 150 mililitros de azeite extravirgem (aproximado).
  • 350-400 gramas de macarrão de grão de bico (ou qualquer outro macarrão de leguminosas).

Elaboração

  1. Para começar, coloque uma panela com bastante água no fogo.
  2. Quando começar a ferver, adicione o sal e a massa.
  3. Cozinhe por cerca de 7 minutos ou o tempo indicado pelo fabricante. Coe e reserve.
  4. Enquanto isso, prossiga com o preparo do molho. Coloque no liquidificador os pinolis, as folhas de manjericão, o queijo ralado e o dente de alho descascado. Tempere a gosto. Adicione o azeite aos poucos e bata até atingir a consistência desejada. Não precisa ser homogêneo.
  5. Misture o molho com o macarrão e decore com algumas folhas inteiras de manjericão por cima. Pode ser acompanhado por uma salada verde ou um creme de vegetais como primeiro prato.
  6. Para preparar a versão vegana, substitua o queijo por levedura nutricional (entre 4 e 6 colheres de sopa).
  7. Além disso, os pinolis podem ser trocados por castanhas de caju ou nozes, se não estiverem disponíveis.

Macarrão proteico: uma boa fonte de proteína

Os amantes das massas têm neste produto mais uma alternativa a experimentar que oferece algumas vantagens e mais fibras, proteínas e minerais do que uma massa de farinha refinada.

Agora, é importante ler os rótulos. As opções mais saudáveis são as feitas com farinha de leguminosas. Estes podem ser facilmente comprados em lojas de alimentos naturais ou especializadas.

Por outro lado, a massa com proteína adicionada pode ser um pouco mais difícil de encontrar. Neste caso, também é aconselhável prestar atenção aos ingredientes, pois às vezes elas são feitas com farinha refinada.

Também é interessante ressaltar que a massa não substitui o prato de leguminosas e que estas devem continuar presentes em todas as suas formas. No entanto, pode ser uma boa alternativa às fontes de proteína de origem animal.

Em resumo, pode-se dizer que o macarrão proteico de leguminosas e o macarrão à base de trigo integral são dois alimentos com composições distintas, mas ambos são indicados no contexto de uma alimentação saudável.

Pode interessar a você...
Massa fresca e massa seca: diferenças e preparação
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Massa fresca e massa seca: diferenças e preparação

Existe um debate entre a massa fresca e a massa seca. Aqui, listamos as diferenças, o que elas oferecem e como prepará-las. Você escolhe!



  • Deer R. R, Volpi E. Protein intake and muscle function in older adults. Current Opinion in Clinical Nutrition & Metabolic Care. Mayo 2015. 18 (3): 248-253.
  • Dhingra D, et al. Dietary fibre in foods: a review. Journal of Food Science and Technology. Junio 2012. 49 (3): 255-266.
  • Medline plus. ¿Qué son las proteínas y qué es lo que hacen? Biblioteca Nacional de Medicina de los Estados Unidos.
  • Messia M. C, et al. Nutritional and technological quality of hight protein pasta. Foods. Marzo 2021. 10 (3): 589.
  • Oh R, Gilani B, Uppaluri R. Low carbohydrate diet. StatePearls Publishing. Enero 2021.