Kuzu: conheça suas propriedades e descubra como usá-lo

O kuzu é um ingrediente cada vez mais comum em algumas receitas e em alguns remédios caseiros para aliviar doenças menores. Está curioso para saber o que é e como prepará-lo?
Kuzu: conheça suas propriedades e descubra como usá-lo

Última atualização: 01 Setembro, 2021

O kuzu é um amido usado na medicina tradicional chinesa há milhares de anos. Aos poucos, ganhou fama como remédio caseiro em alguns países ocidentais.

A Pueraria lobata, ou kuzu, (também chamada de “kudzu” e “araruta japonesa”, entre outros nomes) é uma planta nativa da China e de outros países asiáticos, como Japão e Coréia. Às vezes é considerada invasora, pois cresce em cima de outras plantas e árvores.

Seu uso mais comum e conhecido é como remédio tradicional para algumas enfermidades, na forma de infusão ou como suplemento. Nos escritos da medicina chinesa, é citado para aliviar diarreia, febre, diabetes e problemas cardiovasculares. No entanto, também é usado na cozinha para engrossar molhos e preparar sobremesas e doces.

Potenciais benefícios do kuzu

Remédios naturais chineses
O kuzu é um remédio tradicional da medicina chinesa antiga.

Os nutrientes que o kuzu fornece como alimento são, principalmente, carboidratos, fibras e minerais. Além disso, estão presentes cerca de mais de 70 compostos fitoquímicos, entre os quais se destacam as isoflavonas.

Por sua presença e suas características, seu uso pode trazer alguns benefícios para o corpo. Da mesma forma, é possível usá-lo como um remédio tradicional para pequenos desconfortos. Vamos detalhar suas melhores aplicações a seguir:

Bom para a microbiota intestinal

O amido resistente é um dos principais componentes dessa raiz asiática. Este é um tipo de carboidrato que o sistema digestivo dos humanos não consegue digerir. Quando atinge o cólon intacto, as bactérias intestinais são responsáveis por degradá-lo.

Como resultado dessa fermentação, são gerados compostos benéficos para o cólon e a saúde em geral. Isso favorece uma melhora da sensibilidade à insulina, o fornecimento de energia para as células intestinais e uma composição adequada da microbiota.

Alívio de alguns sintomas durante a menopausa

Este é outro dos usos derivados da medicina tradicional chinesa devido à presença de vários tipos de fitoestrogênios neste alimento. Esses compostos têm a capacidade de agir de forma semelhante ao estrogênio e produzir os mesmos efeitos no corpo humano.

Por esse motivo, a raiz de kuzu pode ajudar a melhorar os sintomas da menopausa, como ondas de calor, suores noturnos e secura vaginal. No entanto, é necessário levar em consideração que alguns estudos não têm conseguido verificar esta propriedade específica.

Protetor do fígado

Algumas das isoflavonas presentes no kuzu têm atividade antioxidante, podendo proteger as células do dano oxidativo. Este último é responsável por algumas doenças crônicas e degenerativas. Em um experimento com ratos, essa atividade antioxidante ajudou a reduzir os danos ao fígado causados pelo consumo de álcool.

Pode reduzir a dependência do álcool

Alguns estudos indicam o uso potencial do kuzu em pessoas com alto consumo de álcool, pois ele seria eficaz na redução da ingestão desse tipo de bebida. Esses resultados foram observados em pelo menos dois estudos em humanos publicados na Harvard’s Gazette e na Psycopharmacology.

Possíveis efeitos colaterais e precauções

Kuzu visto de perto
A consulta médica é recomendada antes de usar o kuzu como um complemento para o tratamento de qualquer desconforto.

O uso da raiz de kuzu traz benefícios para a saúde, mas pode ser desencorajado em alguns casos. É necessário levar isso em consideração e consultar um profissional de saúde caso haja dúvidas sobre sua conveniência ou a forma adequada de administração.

Em qualquer caso, como ressaltam os especialistas do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, seu uso é contraindicado em pessoas com hipersensibilidade ao kuzu e em pacientes com câncer de mama com receptor de estrogênio positivo.

Da mesma forma, alguns efeitos colaterais negativos foram descritos em várias pessoas após sua ingestão. Eles incluem náuseas, vômitos, desconforto epigástrico e sinais de danos ao fígado.

Além disso, devido aos seus efeitos estrogênicos, pode reduzir a eficácia dos anticoncepcionais. Dadas essas interações medicamentosas, é aconselhável consultar seu médico se você segue algum tipo de tratamento.

Por último, é necessário saber que, como regra geral, os suplementos dietéticos não foram testados em mulheres grávidas, lactantes ou crianças pequenas.

Apresentações e maneiras de consumir o kuzu

Em alguns países é possível comprar a raiz de kuzu fresca. Neles, ela é consumida de forma semelhante à batata-doce. No entanto, o mais comum é encontrá-lo seco na forma de pequenos cubos. É melhor comprá-lo em lojas especializadas.

Ele não deve ser confundido com a araruta. Ela também é um amido, mas vem de outra planta (Maranta arundinacea) que não tem as mesmas propriedades da Pueraria lobata.

Uma vez que o kuzu é moído, ele pode ser preparado executando as seguintes etapas:

  • Pegue um copo pequeno com um pouco de água, caldo ou suco de frutas sem açúcar. Dilua uma ou duas colheres de sopa de raiz de kuzu em pó.
  • Em seguida, ferva com um pouco mais de água por alguns minutos até obter um líquido límpido e gelatinoso. Mexa bem para que não se formem grumos.
  • Está pronto para beber.

Se você quiser engrossar um molho, algum tipo de ensopado ou geléia, despeje a infusão de kuzu diretamente na panela e mexa tudo. Geralmente, uma colher de sopa pode ser usada como um substituto para uma colher de sopa de amido de milho.

Kuzu: um remédio da medicina tradicional chinesa para melhorar a saúde

A Pueraria lobata é um dos produtos tradicionais da Ásia que vem se espalhando por todo o mundo nos últimos anos. Em geral, é considerado seguro quando tomado por via oral e seguindo as recomendações de uso dos profissionais.

Seu principal uso é como adjuvante no tratamento da dependência do álcool, doenças cardíacas e diabetes, e durante o climatério. No entanto, são necessárias mais pesquisas sobre seus efeitos na saúde, tanto positivos quanto negativos.

Por este motivo, é sempre aconselhável buscar aconselhamento especializado e não consumi-lo se sofrer de doenças, situações especiais ou se estiver tomando medicamentos. Lembre-se de que nenhum produto ajuda a melhorar a saúde sozinho; ele deve ser acompanhado de uma alimentação e estilo de vida saudáveis.

Pode interessar a você...
10 alimentos benéficos para quem tem intestino delicado
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
10 alimentos benéficos para quem tem intestino delicado

Embora eles geralmente não apresentem problemas, se estivermos seguindo um tratamento médico para o intestino delicado devemos comer corretamente



  • Cromie W.J. Kudzu cuts alcohol consumption. The Harvard Gazette. Mayo 2005.
  • Dietz B.M, et al. Botanicals and their bioactive phytochemicals for women’s health. Pharmacological Reviews. Octubre 2016. 68(4): 1026-1073.
  • Lukas S. E, et al. A standarized kudzu extract (NP-031) reduces alcohol consumption in non-treatment-seeking male heavy drinkers. Psycopharmacology. Marzo 2013. 226(1):65-73.
  • Maier T. V, et al. Impact of dietary resistant starch on the human gut microbiome, metaproteome and metabolome. MBio American Society of Microbiology. Octubre 2017. 8(5): e01343-17.
  • Memorial Sloan Kettering Cancer Center. Kudzu. Novimebre 2019.
  • Wong K. H, et al. Kudzu root: traditional uses and potential medicinal benefits in diabetes and cardiovascular diseases. Journal of ethnopharmacology. Abril 2011. 134(3): 584-607.