Hiperplasia prostática benigna: sintomas e tratamento

A hiperplasia prostática benigna afeta principalmente os homens com mais de 60 anos. No entanto, em alguns casos raros, ela pode aparecer antes dos 40. Com o tratamento adequado, é possível evitar as suas complicações.
Hiperplasia prostática benigna: sintomas e tratamento

Última atualização: 13 Junho, 2021

A hiperplasia prostática benigna é uma condição que ocorre com frequência conforme os homens vão envelhecendo. É comumente conhecida como “próstata aumentada”. Essa condição causa sintomas incômodos e pode levar a problemas urinários e renais.

A próstata é uma pequena glândula localizada abaixo da bexiga e na frente do reto. Faz parte do sistema reprodutor masculino. Ela produz um líquido que se combina com o esperma para formar o sêmen. Com a idade, ela sofre alterações que podem levar à hiperplasia prostática benigna.

Estima-se que apenas 10% dos homens na casa dos 30 anos tenham a próstata aumentada. Entre os 40 e os 60 anos, a porcentagem começa a aumentar. Aos 60 anos, acredita-se que cerca de metade dos homens tenha a próstata aumentada. Aos 85 anos, 90% dos homens apresentam essa condição.

O que é a hiperplasia prostática benigna?

Hiperplasia prostática benigna
A hiperplasia prostática benigna se refere ao aumento do tamanho da próstata. Conforme os homens envelhecem, o risco dessa condição aumenta.

A hiperplasia prostática benigna se refere ao aumento do tamanho da próstata de natureza não cancerosa. Ao nascer, a próstata é muito pequena. No entanto, durante a puberdade, quando os níveis de testosterona aumentam, essa glândula começa a crescer.

Aos 20 anos, a próstata tem o dobro do tamanho que tinha ao nascer. Durante as duas décadas seguintes, a próstata cresce em um ritmo muito mais lento e raramente causa problemas. Aos 40 anos, ocorre um segundo processo de aumento de tamanho; é neste momento que, na maioria dos casos, surgem dificuldades.

A hiperplasia prostática benigna é mais comum em homens com mais de 50 anos. Conforme a próstata aumenta de tamanho, ela começa a comprimir a uretra. Isso acaba criando uma obstrução no fluxo de urina.

Características

A uretra comprimida e a obstrução no fluxo da urina que isso acarreta fazem com que haja dificuldade para expelir a urina totalmente durante a micção. Como consequência, parte da urina acaba estagnada na bexiga. Com o tempo, isso pode causar infecções do trato urinário ou a formação de cálculos na bexiga.

A ciência não sabe as razões exatas pelas quais a hiperplasia prostática benigna ocorre. No entanto, acredita-se que esse fenômeno se deva às alterações causadas pelos hormônios masculinos. Em particular, a um hormônio chamado dihidrotestosterona, que está intimamente associado à testosterona.

O principal fator de risco é o envelhecimento. Além disso, esse problema é mais comum em pessoas com histórico familiar da condição. Estudos indicam que pessoas com diabetes ou doenças cardíacas têm uma maior probabilidade de desenvolver uma próstata aumentada, assim como aquelas que são obesas e sedentárias.

Sintomas de hiperplasia prostática benigna

Hiperplasia prostática benigna
Os homens com hiperplasia prostática benigna experimentam uma série de mudanças nos seus hábitos de micção, que podem ser desconfortáveis. Com frequência, a urina começa a ficar intermitente.

Os sintomas da hiperplasia prostática benigna podem ser muito incômodos. O mais característico deles é a micção intermitente ou hesitante. Não há força para expelir a urina e o calibre do jato é muito fino. Além disso, muitas vezes há dor ou uma sensação de urgência para urinar, que recebe o nome de disúria.

É comum o aumento da frequência urinária noturna, que recebe o nome de noctúria. Também é comum sentir dificuldade para começar a urinar e ter a sensação de que a bexiga não foi completamente esvaziada após urinar. Às vezes, há a perda do controle sobre a micção ou incontinência.

Os sintomas podem variar de um homem para o outro e não são graves em todos eles. A dificuldade para esvaziar a bexiga completamente leva a infecções ou cálculosSem tratamento, isso pode levar à insuficiência renal.

Tratamento

Atualmente, há uma grande variedade de tratamentos disponíveis para corrigir a hiperplasia prostática benigna. O mais comum é o tratamento medicamentoso, com alfa bloqueadores ou inibidores da 5-alfa-redutase. Às vezes, eles são usados ​​em combinação ou com a inclusão da Tadalafila.

Nos casos mais graves, o tratamento escolhido é a cirurgia. Em geral, é empregado um dos seguintes procedimentos:

  • Ressecção transuretral  da próstata.
  • Incisão transuretral da próstata.
  • Terapia transuretral por micro-ondas.
  • Ablação transuretral por agulha.
  • Terapia a laser.
  • Elevação uretral prostática (PUL).
  • Embolização.
  • Prostatectomia aberta ou assistida por robô.

Em relação aos tratamentos fitoterápicos alternativos, não há resultados conclusivos. Recomenda-se adotar um estilo de vida com baixo consumo de cafeína e álcool, além de uma alimentação saudável, exercícios frequentes e procurar manter a temperatura corporal aquecida.

Pode interessar a você...
Como é um exame de próstata?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como é um exame de próstata?

O exame de próstata é uma espécie de tabu entre os homens. Para muitos, significa uma invasão de privacidade que não estão dispostos a sofrer.



  • Carrero-López, V. M., Cózar-Olmo, J. M., & Miñana-López, B. (2016). Hiperplasia prostática benigna y síntomas del tracto urinario inferior. Revisión de las evidencias actuales. Actas Urologicas Españolas, 40(5), 288-294.
  • Breyer BN, Sarma AV. Hyperglycemia and insulin resistance and the risk of BPH/LUTS: an update of recent literature. Curr Urol Rep. 2014;15(12):462. doi:10.1007/s11934-014-0462-x
  • Naslund, M. J., Costa, F. J., & Miner, M. M. (2006, December). Managing enlarged prostate in primary care. International Journal of Clinical Practice. https://doi.org/10.1111/j.1742-1241.2006.01194.x
  • Oesterling, J. E. (1996). Benign prostatic hyperplasia: a review of its histogenesis and natural history. The Prostate. Supplement. https://doi.org/10.1002/(sici)1097-0045(1996)6+<67::aid-pros13>3.3.co;2-e
  • InformedHealth.org [Internet]. Cologne, Germany: Institute for Quality and Efficiency in Health Care (IQWiG); 2006-. Benign enlarged prostate: Overview. 2008 Oct 13 [Updated 2018 Jan 25]. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK279204/
  • Lee CL, Kuo HC. Pathophysiology of benign prostate enlargement and lower urinary tract symptoms: Current concepts. Ci Ji Yi Xue Za Zhi. 2017;29(2):79–83. doi:10.4103/tcmj.tcmj_20_17