Halotano: você sabe o que é?

25 Dezembro, 2019
O halotano não pode ser administrado a pacientes que sofreram hipertermia maligna em algum momento. Também é contraindicado em pacientes suscetíveis a ele. Saiba mais sobre esse anestésico neste artigo.
 

Halotano é um medicamento amplamente utilizado para induzir anestesia geral. É um anestésico administrado por inalação e induz uma rápida mas leve perda de consciência. Tem um aroma agradável, é incolor e não irrita as mucosas.

É utilizado para indução e manutenção da anestesia em todos os tipos de cirurgia e em pacientes de todas as idades. No entanto, ainda não é conhecido o mecanismo pelo qual os anestésicos inalatórios produzem inibição da percepção sensorial e induzem à inconsciência.

Durante as décadas de 1950 e 1980, foi amplamente utilizado, tanto em pacientes adultos quanto em crianças. Foi sintetizado pelo cientista C.W. Suckling em 1951 e foi usado pela primeira vez como anestésico em 1956. Substituiu o uso de outros anestésicos da época, como éter ou ciclopropano.

No entanto, o uso de halotano foi gradualmente reduzido durante a década de 1980 devido à incorporação ao mercado de novos anestésicos voláteis, como por exemplo, o enfluoran e o isofluorano. No entanto, embora seja muito pouco usado atualmente nos países desenvolvidos, seu uso continua no ramo veterinário nos países do terceiro mundo, uma vez que envolve baixo custo.

Dosagem e modo de administração

Administração de halotano durante uma cirurgia
 

Hoje existem no mercado diferentes sistemas de vaporização para administração de halotano. Por exemplo, existe um sistema de circuito aberto, semiaberto ou fechado. Todos eles são usados ​​indistintamente, porque produzem bons resultados.

Dependendo do grupo populacional ao qual será administrado, as doses variam. Nesse sentido, para adultos e idosos, uma concentração de 2-4% de halotano em oxigênio / óxido nitroso pode ser administrada para induzir a anestesia. Caso o objetivo seja manter o efeito anestésico, será utilizada uma concentração de halotano de 0,5-2%.

Por outro lado, para administração na população pediátrica, é utilizada uma concentração de 1,5-2% para a indução da anestesia e uma concentração de 0,5-2% para a sua manutenção.

Leia também: A epidural reduz o risco de depressão pós-parto?

Contraindicações ao uso de halotano

Este medicamento não pode ser administrado a pacientes que sofreram hipertermia maligna em algum momento. Também é contraindicado em pacientes suscetíveis a sofrer com essa doença. Além disso, se uma vez administrada a droga, o paciente desenvolve um quadro clínico de icterícia e pirexia inexplicáveis, futuras administrações de halotano também são contraindicadas.

Por outro lado, no que diz respeito às mulheres grávidas, não foram realizados estudos suficientes para afirmar a segurança deste medicamento neste tipo de pacientes. Portanto, seria aconselhável evitar anestesia geral com agentes inalatórios durante o início da gravidez, exceto quando esta situação for inevitável.

 

Quanto às mulheres que amamentam, também não há estudos adequadamente controlados com halotano nesse grupo de pacientes. No entanto, a presença deste medicamento foi detectada no leite materno, mas seus efeitos nos lactentes não foram estabelecidos.

Por outro lado, as pessoas que precisam dirigir veículos ou usar maquinários devem ter em mente que a capacidade para essas atividades pode ser alterada após a anestesia geral. Apesar dessas contraindicações, esse anestésico é utilizado há mais de 30 anos, sem consequências aparentes.

Descubra: Doenças do recém-nascido tratadas com cirurgia

Reações adversas do halotano

Anestesia geral

Como todos os medicamentos no mercado, o halotano não está isento de produzir uma série de efeitos adversos. Entendemos como efeitos adversos todos os eventos indesejados e não intencionais que podem ser esperados no tratamento com um medicamento.

Nesse sentido, o halotano, como outros agentes desse tipo, pode desencadear um quadro clínico hipermetabólico do músculo esquelético que, como resultado, pode levar à hipertermia maligna. Por esse motivo, seu uso é contraindicado em pacientes que já tiveram esse problema.

 

Entre os sintomas que acompanham essa síndrome, podemos citar:

  • Hipercapnia
  • Rigidez muscular
  • Taquicardia
  • Taquipneia
  • Arritmias

Como você pode ver, esses são sintomas muito pouco específicos, então é necessário prestar atenção. No caso em que surjam quaisquer destes sintomas, o tratamento com esses agentes deve ser interrompido. No entanto, existem também outras reações adversas causadas por este medicamento, como por exemplo, náuseas e vômitos ou problemas no fígado.

Conclusão

O halotano é um agente que é administrado por inalação para induzir ou manter a anestesia geral. Se tiver dúvidas quanto a esse medicamento ou sobre o processo de anestesia geral, pergunte ao médico para que as esclareça.

 
  • Colinabarranco, M., & Gispert Cruells, N. (1997). Hepatitis tóxica por halotano TT – Toxic hepatitis because of halothane. Med. Interna Méx.
  • Guellec, V., & Orliaguet, G. (2012). Anestesia del lactante y del niño. EMC – Anestesia-Reanimación. https://doi.org/10.1016/s1280-4703(12)61896-9
  • Ponsonnard, S., Cros, J., & Nathan, N. (2014). Anestésicos halogenados. EMC – Anestesia-Reanimación. https://doi.org/10.1016/s1280-4703(14)68945-3