Gripe aviária: sintomas, diagnóstico e tratamento

A gripe aviária é uma doença que pode causar um problema respiratório grave que leva à morte. Felizmente, há poucos casos registrados em humanos.
Gripe aviária: sintomas, diagnóstico e tratamento

Última atualização: 16 Julho, 2021

Os vírus são agentes infecciosos capazes de invadir a maioria dos seres vivos. Os pássaros podem ser afetados por vírus gripais que são transmitidos entre eles e remotamente para os humanos. Você está interessado em saber o que é a gripe aviária, seus sintomas, diagnóstico e tratamento? A seguir, vamos compartilhar todos os detalhes.

A gripe aviária ou influenza aviária é uma doença causada pelo vírus da influenza tipo A. É disseminada entre as aves através da saliva, secreções mucosas e fezes. No entanto, casos em humanos também foram relatados. A Organização Mundial da Saúde (OMS) registrou 2 casos na China em 2017.

Atualmente, mais de 12 cepas diferentes do vírus foram identificadas, mas apenas 3 delas afetaram pessoas. No entanto, as mutações em curso podem aumentar a taxa de infecção humana a longo prazo.

Quais são os sintomas da gripe aviária?

As manifestações clínicas geralmente aparecem 2 a 7 dias após a exposição ao vírus da influenza aviária. Os sintomas variam de condições leves a alterações graves que comprometem a vida.

Na maioria dos casos, tende a se assemelhar à gripe comum, apresentando os seguintes sintomas:

  • Tosse.
  • Dificuldade respiratória.
  • Febre.
  • Mal-estar, incomodo geral.
  • Dor de garganta.
  • Congestão nasal.
  • Dores musculares e articulares.
  • Cansaço inexplicável.
  • Olhos avermelhados e lacrimejantes.

Os casos leves geralmente são acompanhados por manifestações gastrointestinais, como náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal. Por outro lado, uma proporção menor de pacientes infectados pela gripe aviária pode ter uma evolução desfavorável e apresentar as seguintes condições:

  • Insuficiência respiratória grave.
  • Pneumonia.
  • Alteração do estado de consciência.
  • Convulsões
Mulher com febre
Os sintomas mais característicos da gripe são febre e fadiga extrema com dores musculares.

Não deixe de ler: Tratamento para baixar a febre

Qual é a causa?

O agente responsável pela gripe aviária é o vírus influenza tipo A em suas diferentes variantes. As cepas H5N1, H7N9 e H5N6 foram identificadas em humanos, sendo a H5N1 a mais estudada. Mais de 165 casos de gripe aviária foram atribuídos a esta última cepa entre 2003 e 2006, com uma taxa de mortalidade de mais de 50%.

A infecção em humanos ocorre quando o vírus entra em contato com as membranas mucosas dos olhos, nariz ou boca, ou pela inalação de gotas ou poeira que o contenha. Além disso, o contato direto com aves infectadas aumenta muito a probabilidade de infecção.

Da mesma forma, foi demonstrado que a transmissão de pessoa para pessoa é muito baixa, e geralmente ocorre por meio do contato intrafamiliar. Por outro lado, a grande adaptabilidade do vírus ao homem levanta a preocupação com a possível existência de uma nova cepa mais contagiosa no futuro.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco associados à apresentação da gripe aviária em humanos estão relacionados à exposição contínua a aves domésticas e selvagens infectadas. Entre eles estão galinhas, perus, patos e gansos.

Portanto, a incidência desta patologia é maior nos seguintes cenários:

  • Trabalho e atividades com avicultura.
  • Superlotação e condições insalubres em lojas e mercados de produtos avícolas.
  • Viajar para países asiáticos onde a incidência é maior.
  • Contato com secreções, fezes e penas de aves infectadas.
  • Consumo de aves e ovos mal cozidos.

Além disso, estima-se que 90% dos pacientes com gripe aviária tenham menos de 40 anos, com maior mortalidade em jovens de 10 a 19 anos.

Diagnóstico da gripe aviária

A identificação da infecção por influenza aviária em humanos requer a avaliação dos sintomas e sinais associada a testes de diagnóstico laboratorial. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda a coleta de amostras do nariz e da garganta nos primeiros dias.

As amostras extraídas serão enviadas para laboratórios especializados, onde o agente será identificado por testes moleculares ou por cultura de vírus. Da mesma forma, em pacientes com manifestações graves, amostras do trato respiratório inferior devem ser coletadas para confirmar a etiologia viral.

Em alguns pacientes, a determinação de anticorpos contra o vírus influenza tipo A é útil. Para isso, são colhidas duas amostras de sangue: uma no início dos sintomas e outra após 3 ou 4 semanas. Deve-se considerar que os resultados demoram vários dias.

O especialista pode contar com métodos de imagem, como radiografia de tórax, para determinar o envolvimento da árvore brônquica. Da mesma forma, este estudo possibilita avaliar a atitude e o protocolo terapêutico a ser seguido.

Tratamento

O tratamento da gripe aviária visa aliviar os sintomas e eliminar o agente viral responsável. O uso de antivirais inibidores da neuraminidase é eficaz em alguns casos. Essas drogas bloqueiam a liberação do vírus das células infectadas e a colonização do restante das células.

A maioria das cepas dos vírus influenza A e B são suscetíveis ao oseltamivir ou Tamiflu®, peramivir e zanamivir ou Relenza®. No entanto, o CDC relatou alguma resistência a essas medicações por algumas mutações das cepas H5N1 e H7N9 em pacientes asiáticos.

Da mesma forma, o tratamento inclui reposição adequada de fluidos e o uso de medicamentos antipiréticos e analgésicos para reduzir os sintomas associados.

Recuperação da gripe aviária

A evolução da doença dependerá da cepa do vírus que acomete a pessoa e do grau de comprometimento respiratório. Em geral, os pacientes costumam ter um bom prognóstico. No entanto, alguns são complicados e requerem medidas especiais.

Durante o curso da infecção pela gripe aviária, é aconselhável seguir as seguintes diretrizes:

  • Consuma muitos líquidos.
  • Evite bebidas frias.
  • Ventile o quarto ou sala de recuperação.
  • Use uma máscara.
  • Descanse e mantenha um repouso completo.

A doença geralmente desaparece após algumas semanas de tratamento. No entanto, se o paciente perceber novos sinais ou se os sintomas piorarem, é fundamental procurar atendimento médico imediatamente.

Mulher hospitalizada
Os casos graves requerem hospitalização para suporte dos sinais vitais básicos e administração de antivirais.

Prevenção da gripe aviária

Os métodos de prevenção da gripe aviária têm como objetivo reduzir ou eliminar os fatores de risco associados à infecção. Nesse sentido, a principal medida é evitar todas as formas de exposição ao vírus.

Para isso, podem ser seguidas as seguintes recomendações:

  • Evite o contato com aves de capoeira ou aquáticas silvestres.
  • Não toque em superfícies ou objetos que possam conter fezes ou secreções de pássaros.
  • Lave as mãos com bastante água e sabão ao tocar em superfícies ou itens contaminados.
  • Use máscaras e roupas de proteção ao trabalhar com pássaros, principalmente em ambientes fechados.
  • Evite comer ovos sem o cozimento e a higiene adequados.
  • Cozinhe as aves a uma temperatura interna mínima de 75 graus Celsius.

As pessoas que decidem visitar países com risco potencial de infecção da gripe aviária devem evitar mercados ao ar livre e insalubres. Além disso, produtos avícolas mal processados ​​não devem ser consumidos.

Em relação às vacinas, a administração da imunização contra a influenza sazonal não previne o risco de contágio, mas reduz a incidência de coinfecção viral. Atualmente, os Estados Unidos possuem uma reserva de vacinas contra a cepa H5N1 de origem asiática, mas ela não seria eficaz diante de uma possível mutação.

A infecção da gripe aviária não deve ser subestimada

Os sintomas da gripe aviária costumam ser difusos e tendem a ser confundidos com aqueles presentes em outras formas de gripe ou influenza. No entanto, é fundamental consultar o médico especialista o quanto antes para definir o melhor tratamento.

Em alguns pacientes que não são tratados a tempo ou são tratados de forma inadequada, podem surgir complicações letais. Diante de evidências de dificuldade respiratória grave ou piora dos sintomas, a pessoa deve ir ao hospital o mais rápido possível.

Pode interessar a você...
6 doenças dos viajantes
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
6 doenças dos viajantes

A maioria dessas doenças dos viajantes é leve, como diarreia ou infecções respiratórias, mas elas merecem atenção. Saiba mais aqui!



  • Perret C, Dabanch J. Influenza Aviar y Riesgo de Pandemia. Rev. chil. pediatr. 2008;  79( 4 ): 358-363.
  • Barricarte A. Gripe aviar: ¿la pandemia que viene?. Anales del Sistema Sanitario de Navarra. 2006; 29 (1).
  • Godoy P. Pandemia de gripe aviar: un nuevo desafío para la salud pública. Gac Sanit. 2006;20( 1 ): 4-8.
  • Casillas S, Herrero Fernández S, Varon J. Gripe aviar: lo que un intensivista debe conocer. Med Intensiva. 2008;32(4):183-93.
  • Lycett SJ, Duchatel F, Digard P. A brief history of bird flu. Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci. 2019;374(1775):20180257.
  • Li YT, Linster M, Mendenhall IH, Su YCF, Smith GJD. Avian influenza viruses in humans: lessons from past outbreaks. Br Med Bull. 2019;132(1):81-95.