Gordura acumulada: causas e áreas do corpo

25 de novembro de 2019
A gordura acumulada em várias partes do corpo acontece devido a muitos fatores. Em qual área do seu corpo você costuma acumular mais? Descubra o motivo.

Todo mundo tem mais ou menos gordura acumulada em diferentes partes do corpo. Embora isso possa ser devido à genética ou até mesmo ao sexo (por exemplo, as mulheres acumulam mais gordura nos quadris e os homens, na barriga), os hábitos de vida e dieta, podem ter um forte impacto sobre essa acumulação 

Embora a palavra “gordura” seja usada na linguagem popular para descrever toda a gordura corporal, na verdade, existem vários tipos de gordura no corpo. Portanto, enquanto alguns tipos são necessários para a manutenção da saúde, outros podem ter consequências negativas.

Quais são os fatores que afetam o acúmulo de gordura? Em quais áreas do seu corpo ela tende a ficar localizada? Você pode estar se perguntando por que os seus amigos ou familiares armazenam gordura em áreas diferentes da sua.

Portanto, neste artigo, informaremos a que se deve essa gordura acumulada, dependendo da área do corpo em que ela se encontra.

Por que acumulamos gordura?

A gordura é a maneira que o corpo usa para economizar energia. De fato, embora muitos a associem a algo negativo, o corpo precisa de certos tipos de gordura para promover um metabolismo saudável e níveis hormonais estáveis. 

No entanto, devido a fatores genéticos, doenças e fatores ambientais, esse acúmulo de gordura pode ser excessivo e prejudicial.

De acordo com informações publicadas no The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolismalguns dos fatores que afetam a distribuição da gordura corporal incluem:

  • Ingestão de álcool.
  • O consumo de cigarros.
  • Obesidade infantil.
  • Fatores genéticos.
  • Distribuição predominante de gordura na parte superior do corpo, associada a um perfil metabólico anormal.

Outros fatores como dieta inadequada, descontrole hormonal e estilo de vida sedentário também causam o acúmulo de gordura. De acordo com a forma do corpo, com o que ela está associada? Veremos se seguir.

Tipos de gordura acumulada

Tipos de gordura acumulada

De acordo com uma pesquisa publicada na revista científica Molecular Biology of the Cellos principais tipos de células de gordura são as células branca, marrom e bege. Estas podem ser armazenadas como gordura essencial, subcutânea ou visceral.

Visite este artigo: Alimente-se desta maneira e acabe com a gordura corporal

Gordura branca

A gordura branca é composta de grandes glóbulos brancos armazenados sob a pele ou ao redor dos órgãos de áreas como o abdômen, braços, nádegas e coxas.

São as células de gordura que o corpo usa para armazenar energia para uso posterior. Além disso, elas desempenham um papel importante na função dos hormônios, como o estrogênio, leptina, insulina, cortisol e hormônios do crescimento.

Embora seja uma gordura necessária para a saúde, gordura branca em excesso é muito prejudicial à saúde. Seu acúmulo está relacionado ao diabetes tipo 2, doença coronariana, pressão arterial alta, desequilíbrios hormonais, entre outras doenças não transmissíveis.

Gordura marrom

Esse tipo de gordura é encontrado principalmente em bebês, embora os adultos também retenham uma pequena quantidade, geralmente em áreas como pescoço e ombros.

Conforme detalhado em uma pesquisa publicada no Journal of Clinical Investigation, esse tipo de gordura queima ácidos graxos para nos manter aquecidos. Além disso, atualmente está sendo investigando como estimular a sua atividade para prevenir a obesidade.

Gordura bege

Gordura bege

O que está associado à gordura bege é um tópico de pesquisa recente. Conforme explicado na revista científica Cell Reports, certos hormônios e enzimas liberados quando estamos estressados, com frio ou quando nos exercitamos podem ajudar a converter a gordura branca em gordura bege.

Semelhante à gordura marrom, as células de gordura bege podem ser decisivas para ajudar a queimar gordura em vez de armazená-la. Portanto, também está sendo investigado a como estimulá-la.

Gordura essencial

Como o nome indica, é a gordura essencial para a vida e para um corpo saudável. Pode ser encontrada principalmente no cérebro, medula óssea, nervos e membranas que protegem os órgãos.

Gordura subcutânea

Essa gordura acumulada é a mais próxima da pele. É a primeira a ser perdida durante o exercício. A genética e os hormônios têm muito a ver com a área onde a gordura será alojada.

Gordura visceral

É mais internalizada no corpo e se acumula ao redor dos órgãos. Obviamente, isso representa um perigo quando a quantidade é excessiva.

Geralmente, o excesso de gordura visceral é precedido pelo excesso de gordura subcutânea. Portanto, é recomendável não ter uma barriga muito proeminente.

4 regiões onde temos gordura acumulada

A atividade hormonal determina muitos processos do organismo. Dependendo dos seus níveis, eles podem contribuir para a saúde ou muito pelo contrário. Portanto, a sua quantidade afeta fatores como o humor, forma física e distribuição da gordura, energia e assim por diante.

Existem estudos que mostraram que estes podem determinar onde a gordura será depositada. Portanto, devemos prestar atenção aos desequilíbrios hormonais mais frequentes e as suas consequências para a forma do corpo. Abaixo, daremos mais detalhes sobre o assunto.

Gordura no peito e nos braços: testosterona

Quando este hormônio está abaixo do normal, notamos um bíceps mais gordo e um peito “inflado”, mas não necessariamente devido ao exercício e a musculação. Outro dos hormônios masculinos que provocam isso são os andrógenos.

Neste caso, a solução é comer gorduras saudáveis não hidrogenadas, vitamina B e proteínas, além de realizar exercícios de força usando pesos.

Leia também: Rotinas de exercícios para tonificar os braços

Gordura nos ombros e quadril: insulina

Tratamentos contra gordura acumulada

Os desequilíbrios deste hormônio no sangue causam o acúmulo de açúcares que posteriormente se convertem em gordura. É a típica gordura daqueles que amam os doces.

É importante reduzir o consumo de sobremesas, guloseimas e carboidratos de alto índice glicêmico para favorecer o seu controle.

Gordura no abdômen: cortisol

Também é conhecido como o “hormônio do estresse” e é o culpado pelo fato de que a gordura se acumule no abdômen, tanto na mulher quanto no homem. Esse hormônio nos leva a comer demais. É preciso manter uma vida mais relaxada, reduzir a ingestão de açúcar e aumentar as vitaminas B5 e C.

Gordura no quadril: estrogênio

São os hormônios femininos e por isso determinam que as mulheres costumem acumular gorduras nas coxas e no quadril (o que se conhece como corpo em formato de pera). Como a testosterona e os andrógenos, eles influenciam fortemente a distribuição da gordura corporal e diferenciação de adipócitos.

Os níveis de estrogênio podem ser alterados ao longo da vida de uma mulher, como durante a fase da menopausaUm estilo de vida saudável, como comer alimentos com fitoestrogênios, pode ajudar. 

Em conclusão

Podemos concluir que a distribuição de gordura corporal é amplamente determinada por fatores hormonais. No entanto, não podemos deixar de lado outros fatores que também influenciam esse acúmulo. Muita gordura no corpo pode levar a consequências para a saúde, portanto, devemos abordar o sobrepeso e a obesidade com a ajuda de profissionais.

  • Jensen MD. Role of body fat distribution and the metabolic complications of obesity. J Clin Endocrinol Metab. 2008;93(11 Suppl 1):S57–S63. doi:10.1210/jc.2008-1585
  • Santosa S, Jensen MD. Why are we shaped differently, and why does it matter? [published correction appears in Am J Physiol Endocrinol Metab. 2009 Feb;296(2):E403]. Am J Physiol Endocrinol Metab. 2008;295(3):E531–E535. doi:10.1152/ajpendo.90357.2008
  • Cohen P, Spiegelman BM. Cell biology of fat storage. Mol Biol Cell. 2016;27(16):2523–2527. doi:10.1091/mbc.E15-10-0749
  • van der Lans AA, Hoeks J, Brans B, et al. Cold acclimation recruits human brown fat and increases nonshivering thermogenesis. J Clin Invest. 2013;123(8):3395–3403. doi:10.1172/JCI68993
  • Schugar, R. C., Shih, D. M., Warrier, M., Helsley, R. N., Burrows, A., Ferguson, D., … Brown, J. M. (2017). The TMAO-Producing Enzyme Flavin-Containing Monooxygenase 3 Regulates Obesity and the Beiging of White Adipose Tissue. Cell Reports19(12), 2451–2461. https://doi.org/10.1016/j.celrep.2017.05.077
  • De Maddalena, C., Vodo, S., Petroni, A., & Aloisi, A. M. (2012, December). Impact of testosterone on body fat composition. Journal of Cellular Physiology. https://doi.org/10.1002/jcp.24096
  • Björntorp, P. (1997). Hormonal control of regional fat distribution. Human Reproduction (Oxford, England). https://doi.org/10.1093/humrep/12.suppl_1.21
  • Patel P, Abate N. Body fat distribution and insulin resistance. Nutrients. 2013;5(6):2019–2027. Published 2013 Jun 5. doi:10.3390/nu5062019
  • Björntorp, P. (2001). Do stress reactions cause abdominal obesity and comorbidities? Obesity Reviews2(2), 73–86. https://doi.org/10.1046/j.1467-789x.2001.00027.x
  • Hewagalamulage, S. D., Lee, T. K., Clarke, I. J., & Henry, B. A. (2016). Stress, cortisol, and obesity: a role for cortisol responsiveness in identifying individuals prone to obesity. Domestic Animal Endocrinology. Elsevier Inc. https://doi.org/10.1016/j.domaniend.2016.03.004
  • Lizcano F, Guzmán G. Estrogen Deficiency and the Origin of Obesity during Menopause. Biomed Res Int. 2014;2014:757461. doi:10.1155/2014/757461