Glândula pineal: a reguladora de ciclos e o olho vestigial

A glândula pineal tende a se calcificar e perder sua funcionalidade à medida que envelhecemos. É por isso que apresentamos mais problemas para dormir conforme o tempo passa.
Glândula pineal: a reguladora de ciclos e o olho vestigial

Última atualização: 17 Maio, 2021

A glândula pineal ou epífise cerebral tem forma de abacaxi e cumpre uma função fundamental quando se trata de regular os ciclos de sono-vigília. Além disso, regula os ritmos circadianos durante as estações do ano.

Neste artigo, falamos sobre as funções e características desta glândula, além de como cuidar dela. Continue lendo!

Características da glândula pineal

Características da glândula pineal

A glândula pineal é pequena (mede apenas 8 mm) e está localizada em um local muito especial do cérebro, justamente entre os dois hemisférios, na região onde as duas partes do tálamo se encontram. Algo que sem dúvida chama a atenção sobre a glândula pineal é todo o mundo da espiritualidade, magia e tradição que se construiu ao seu redor.

Este assunto não é novo. Inclusive, Descartes disse em sua época que é nela que está a alma do ser humano. Além disso, segundo tradições mais místicas, ela é como um “terceiro olho”.

Além destas abordagens menos científicas, a verdade por trás desta pequena glândula vai muito além do que foram capazes de nos dizer. Trata-se de uma glândula essencial para o nosso bem-estar e que precisa ser conhecida em profundidade.

Seu papel na regulação dos ciclos

A melatonina é um hormônio que facilita o descanso, induz o sono e fortalece o sistema imunológico. Além disso, previne o envelhecimento precoce do cérebro.

É importante saber que é a glândula pineal que cumpre a função exclusiva de produzir melatonina na escuridão e inibi-la quando há luz. Esse processo é regulado pelas células fotossensíveis da retina, que detectam a luz e enviam a informação à glândula pineal. É um processo, sem dúvida, maravilhoso e perfeito.

Além disso, a correta regulação deste hormônio permite desfrutar de uma maior energia e bem-estar. No entanto, o maior problema da glândula pineal é que ela envelhece cedo.

Funcionamento da glândula

Funcionamento da glândula pineal

A glândula pineal trabalha como um relógio biológico perfeito capaz de permitir uma melhor adaptação às mudanças de estação e ao descanso à noite. Além disso, permite estar em sintonia com os ciclos da natureza.

Isto certamente é algo muito complexo atualmente devido ao nosso estilo de vida agitado e, sobretudo, ao fato de estarmos sempre envoltos por luzes artificiais que tanto alteram o equilíbrio da glândula pineal.

  • Esta glândula é muito sensível a fatores como a poluição, a luz elétrica, o estresse e a deficiência de vitamina D.
  • A glândula pineal é a estrutura do cérebro que mais recebe sangue. Inclusive, ela recebe quase a mesma quantidade que os rins.
  • Ela perde sua funcionalidade na adolescência.
  • À medida que você envelhece, a glândula pineal tende a se calcificar.
  • Uma glândula pineal calcificada perde sua funcionalidade. Isso não apenas resulta em alterações no sono, cansaço, fraqueza ou problemas de memória, mas também aumenta a sua probabilidade de chegar à velhice com um cérebro menos ágil no que se refere às capacidades cognitivas.

O “terceiro olho” ou o olho vestigial do ser humano

Como dizemos no início, a glândula pineal simboliza, para muitas filosofias espirituais, um terceiro olho capaz de favorecer um despertar espiritual, assim como as capacidades mais sensitivas ou um elevado estado de consciência. Práticas como o ioga beneficiam esse centro do cérebro.

Além disso, é interessante saber que existem determinados animais que possuem um “terceiro olho”. A tuatara, por exemplo, é um tipo de réptil nativo da Nova Zelândia que têm um pequeno olho justamente sobre sua cabeça que cumpre uma série de funções muito especiais: uma hormonal e outra de termorregulação.

Como cuidar melhor da glândula pineal?

Como cuidar melhor da glândula pineal?

O maior inimigo da glândula pineal é a calcificação. É muito difícil evitar que isso apareça com o passar dos anos, mas você pode retardar seu surgimento através de uma série de atividades e um estilo de vida que podem preservar seu bom estado.

Confira estas dicas:

  • Você deve viver de acordo com os ciclos da natureza e da luz solar. Em outras palavras, é recomendável aproveitar as horas de luz para passear e tomar “banhos” de sol (sempre com segurança e evitando os horários centrais do dia).
  • As luzes de computadores, celulares ou televisões são muito prejudiciais para a glândula pineal.
  • Idealmente, você deve evitar utilizar estes aparelhos pelo menos uma hora antes de ir para a cama.
  • Você deve dormir em completa escuridão.
  • A vitamina D é ideal para o cuidado desta glândula.
  • A poluição, em especial o fluoreto, são prejudiciais para a glândula pineal. Um modo de eliminar o excesso de fluoreto é comendo frutas frescas, principalmente tamarindo.

Não hesite em melhorar seu estilo de vida e cuidar desta pequena estrutura cerebral chamada glândula pineal que tanto favorece seu bem-estar e sua saúde.

Pode interessar a você...
6 curiosidades sobre o cérebro humano que você precisa conhecer
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
6 curiosidades sobre o cérebro humano que você precisa conhecer

Hoje, compartilharemos algumas curiosidades sobre o cérebro humano que você certamente não conhece, mas que irão despertar o seu interesse.