Fototerapia LED: usos, benefícios e cuidados

A fototerapia LED é usada para tratar a acne, a hiperpigmentação e os sinais do envelhecimento. Como funciona? Descubra a seguir.
Fototerapia LED: usos, benefícios e cuidados

Última atualização: 31 Outubro, 2021

A fototerapia LED é uma técnica cosmética aplicada para melhorar a textura e a aparência da pele. Consiste em expor a área desejada à “luz fria” para ativar os fotorreceptores e gerar uma série de respostas biológicas.

Embora costume ser usada como um tratamento facial, pode ser aplicada em qualquer parte do corpo. Em geral, é um procedimento não invasivo, indolor e seguro. Você quer saber mais sobre ele?

O que é a fototerapia LED?

Na fototerapia LED, é utilizada uma tecnologia conhecida como Light Emitting Diode (LED). Para a sua aplicação, uma área da pele é exposta à luz fria por meio de um laser. Essa luz pode ser de cores diferentes, e cada uma delas gera um efeito diferente.

Para ser mais preciso, a técnica usa diodos emissores de luz que estimulam o metabolismo e o crescimento celular. Com isso, provoca um aumento na produção de colágeno e elastina, dois elementos que têm um impacto decisivo na saúde e na aparência da pele.

De um modo geral, as pessoas usam esse tratamento para combater os sinais de envelhecimento, hiperpigmentação e acne. Embora somente seu efeito sobre a acne houvesse sido estudado até recentemente, agora há evidências do seu potencial contra manchas e rugas.

O que é a fototerapia LED?
A fototerapia LED é usada para fins cosméticos. Em particular, ajuda a reduzir as manchas e sinais da idade.

Como a fototerapia LED funciona?

A luz ultravioleta não é usada neste tipo de fototerapia. Em vez disso, é usada uma luz mais fraca que é segura para a pele. São usados diferentes comprimentos de onda e cores que são projetadas na área desejada por meio de lâmpadas.

Às vezes, a exposição à luz é combinada com um medicamento fotossensível aplicado na pele, conhecido como “ácido 5-aminolevulínico”. Sua função é sensibilizar a área do tratamento. O efeito obtido depende da cor da luz utilizada, como veremos em breve.

Luz vermelha

Corresponde a uma luz infravermelha e é usada para tratar a epiderme, que é a área mais superficial da pele. O objetivo é absorver e estimular as proteínas do colágeno.

Favorece a redução de linhas finas e rugas. Também reduz a inflamação e melhora a circulação, tornando a pele mais brilhante.

Luz azul

A luz LED azul é usada para reduzir a atividade das glândulas sebáceas. Elas são encontradas sob os folículos pilosos e fornecem lubrificação para a pele e o cabelo.

Quando se tornam hiperativas, podem causar excesso de produção de óleo ou acne. Essa luz também ajuda a matar as bactérias sob a pele.

Luz amarela

A luz LED amarela tem efeito anti-inflamatório e pode penetrar nas áreas mais profundas da pele. Além disso, estimula a circulação. É indicada para casos de irritação e vermelhidão, rosácea, e todas aquelas condições que causam calor ou ardência na pele.

Luz verde

Este tipo de luz é particularmente adequada para casos de melasma e outros problemas de pigmentação. Com a sua ação, reduz a produção de melanina e, portanto, diminui as manchas escuras. Um estudo publicado em 2018 mostrou a eficácia dessa luz para combater o melasma.

Outros

Os dispositivos de fototerapia LED mais recentes incluem três outras cores:

  • Luz violeta. Combina as propriedades da luz vermelha e azul. Tem um efeito calmante e cicatrizante. É indicada para marcas de acne.
  • Luz azul clara. Melhora o metabolismo da pele e tem um efeito calmante, relaxante e energético. Recomendada para as peles mais sensíveis.
  • Luz branca. Tem um efeito regenerativo e combate a flacidez. Por esse motivo, é indicada para peles envelhecidas.

Como é o procedimento de fototerapia com LED?

Cada sessão de fototerapia LED dura cerca de 20 minutos. Normalmente, são necessárias cerca de 10 sessões para obter resultados visíveis. Esse procedimento quase sempre é feito no consultório de um dermatologista, mas também existem aparelhos caseiros de uso comum.

Entre os dispositivos faciais para a realização de fototerapia LED em casa, estão os seguintes:

  • Máscaras faciais leves.
  • Dispositivos ultrassônicos.
  • Varinhas de luz para tratar manchas específicas.
  • Dispositivos de eletroporação de mesoterapia.
  • Máquinas profissionais de iluminação LED.

O princípio por trás da fototerapia LED é o fato de que a pele usa a luz como fonte de energia para promover a reparação ou rejuvenescimento das células danificadas. A luz acelera a reparação dos tecidos, e também tem o potencial de matar bactérias.

Benefícios e vantagens da fototerapia LED

A fototerapia LED ajuda a combater a acne e o envelhecimento. Da mesma forma, favorece os processos de cicatrização da pele, corrige o tom e, em geral, melhora a sua aparência. Também proporciona mais firmeza, uniformidade e luminosidade.

Outros benefícios notáveis deste tipo de terapia são os seguintes:

  • Atenua as manchas e retarda o seu aparecimento.
  • Reduz as feridas na pele.
  • Promove o crescimento de unhas e cabelos.
  • Retarda o processo de envelhecimento.
  • Ajuda na eliminação de bactérias que causam danos à pele.
  • Melhora cicatrizes de acne.
  • Melhora o metabolismo celular.
  • Contribui para o tratamento das estrias.
  • Reduz a inflamação e o eritema causados por tratamentos mais agressivos.

Vantagens

  • É um tratamento não invasivo.
  • Não provoca queimaduras, desconforto ou dor.
  • Não requer cuidados especiais após a aplicação.
  • Se adapta a todos os tipos de pele.
  • É compatível com outros tratamentos de pele.
  • Pode ser aplicado no verão sem problemas.
  • É adequado para mulheres grávidas.
  • É útil para uma ampla gama de problemas dermatológicos.
  • Não usa raios ultravioleta.
Benefícios e vantagens da fototerapia LED
Embora a fototerapia a LED possa ser aplicada em casa, o melhor é fazê-lo nas mãos de profissionais para uma maior segurança.

Riscos e efeitos colaterais

A fototerapia LED não é isenta de controvérsias, principalmente no que diz respeito ao uso e à segurança dos aparelhos domésticos. Em particular, uma máscara para uso doméstico lançada há algum tempo causou problemas oculares nos usuários. Depois disso, foi retirada do mercado.

Existem várias pesquisas que apoiam a eficácia da fototerapia LED. Porém, estes esclarecem que a luz apropriada deve ser aplicada corretamente para que o efeito desejado seja alcançado.

Muitos eletrodomésticos existentes no mercado não garantem a luz correta nem a aplicação adequada. Portanto, eles não podem ser considerados seguros do ponto de vista técnico. Nesse sentido, apenas procedimentos realizados por um profissional podem ser recomendados.

Não é comum que a fototerapia com LED cause efeitos colaterais. No entanto, em alguns casos, pode causar efeitos leves, como coceira, vermelhidão, secura e inchaço. Isso é mais comum quando medicamentos fotossensibilizantes são usados em conjunto.

Dicas e recomendações

Existem alguns medicamentos que aumentam a sensibilidade à luz. É o caso de alguns antibióticos usados no tratamento da acne, como a isotretinoína. Se esses medicamentos estiverem sendo usados, a fototerapia LED não deve ser aplicada.

É muito importante que os seus olhos fiquem devidamente protegidos durante o tratamento. Essa recomendação se aplica especialmente aos casos em que são usados eletrodomésticos. Este tipo de dispositivo pode causar danos aos olhos.

Também não é aconselhável aplicar este tratamento quando uma erupção ativa estiver em andamento. Pessoas com psoríase devem sempre consultar seu médico antes de usar a fototerapia LED.

Recomendações finais

Embora seja possível que alguns resultados sejam percebidos após a primeira sessão de fototerapia com LED, normalmente as mudanças significativas só ocorrem ao final do tratamento. É importante observar que os resultados não são permanentes.

Portanto, é indicado repetir a aplicação periodicamente para evitar que os problemas reapareçam. Após cada sessão, a recomendação é evitar a exposição ao sol por 48 horas. Além disso, é imprescindível aplicar protetor solar.

Pode interessar a você...
Dermaplaning: benefícios, processo e cuidados
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Dermaplaning: benefícios, processo e cuidados

O dermaplaning remove as células mortas da pele para torná-la mais lisa e suave. Saiba mais detalhes sobre este procedimento neste artigo!



  • Ablon G. Phototherapy with Light Emitting Diodes: Treating a Broad Range of Medical and Aesthetic Conditions in Dermatology. J Clin Aesthet Dermatol. 2018;11(2):21-27.
  • Mpofana N, Abrahamse H. The Management of Melasma on Skin Types V and VI Using Light Emitting Diode Treatment. Photomed Laser Surg. 2018 Oct;36(10):522-529. doi: 10.1089/pho.2018.4486. Epub 2018 Sep 18. PMID: 30227084.
  • Opel DR, Hagstrom E, Pace AK, et al. Light-emitting Diodes: A Brief Review and Clinical Experience. J Clin Aesthet Dermatol. 2015;8(6):36-44.
  • Pei, S., Inamadar, A. C., Adya, K. A., & Tsoukas, M. M. (2015). Light-based therapies in acne treatment. Indian dermatology online journal, 6(3), 145–157. https://doi.org/10.4103/2229-5178.156379.
  • Lee SY, You CE, Park MY. Blue and red light combination LED phototherapy for acne vulgaris in patients with skin phototype IV. Lasers Surg Med. 2007 Feb;39(2):180-8. doi: 10.1002/lsm.20412. PMID: 17111415.
  • Ellizca Medrano, K. B. (2017). Eficacia de la fototerapia Led comparado con la fototerapia convencional para acelerar la reducción de los niveles de bilirrubina en neonatos con ictericia.