Informações nutricionais e benefícios do feijão verde

O consumo de feijão verde reduz o risco de desenvolver prisão de ventre graças a sua quantidade de fibra. Ao mesmo tempo, seu consumo aumenta a sensação de saciedade.
Informações nutricionais e benefícios do feijão verde

Última atualização: 25 Maio, 2021

O feijão verde é um alimento saudável e recomendado para incluir em quase qualquer tipo de dieta. Graças aos seus nutrientes, podemos desfrutar de seus benefícios a médio prazo, desde que seja introduzido no contexto de uma alimentação equilibrada. É um produto que se encontra no grupo das leguminosas, com as quais compartilha características.

O feijão verde é uma semente de planta do gênero Fabaceae. O nome científico da planta do feijão verde é Phaseolus vulgaris, e é popular no Brasil tanto para fins medicinais quanto culinários, especialmente na região Nordeste.

Os especialistas recomendam consumir leguminosas pelo menos uma vez por semana. Um maior consumo deste alimento está relacionado a um menor risco de desenvolver certas doenças complexas, como as cardiovasculares.

Valor nutricional do feijão verde

Para cada 100 gramas de feijão verde, obtém-se 31 calorias, por isso não é um alimento muito energético. Em relação aos macronutrientes, contém 7 gramas de carboidratos e 1,8 gramas de proteínas para a mesma quantidade de produto, sendo praticamente desprovido de lipídios.

Estamos diante de uma leguminosa que se destaca pelo seu teor de fibras e de água. A quantidade de fibras que possui fornece várias de suas propriedades para a saúde.

No que diz respeito aos micronutrientes, podemos destacar a vitamina A (690 miligramas) e a vitamina B9 (33 miligramas). Além disso, possui também 6 miligramas de sódio e uma quantidade significativa de 12,2 miligramas de vitamina C.

Tipos de leguminosas
As leguminosas podem fazer parte da alimentação habitual, e recomenda-se consumi-las pelo menos uma vez por semana.

Benefícios de incluir o feijão verde na dieta

A seguir, apresentaremos os benefícios de incluir regularmente o feijão verde na dieta, juntamente com a posição da ciência sobre o assunto.

1. Redução do risco de problemas intestinais

O consumo de fibras está relacionado a um menor risco de sofrer de prisão de ventre, porque melhora o trânsito intestinal e garante evacuações frequentes e consistentes com pouco esforço.

Além disso, essa substância também conseguiu demonstrar seu poder na prevenção do câncer de cólon. Ao aumentar o tamanho do bolo fecal e ser indigerível, elimina os resíduos que podem permanecer presos às paredes do intestino, evitando que causem danos ao tecido.

A ingestão regular de fibras também gera um aumento da sensação de saciedade, o que reduz o risco de beliscar alimentos não saudáveis ​​entre as refeições. Isso torna mais fácil planejar uma dieta para perder peso.

2. Controle do perfil lipídico

É verdade que a influência da dieta no perfil lipídico é limitada. No entanto, alguns alimentos podem diminuir ligeiramente os níveis de colesterol plasmático ou triglicerídeos. Isso pode estar associado a um menor risco cardiovascular.

O que está claro é que a fibra bloqueia parcialmente a absorção de certos nutrientes, como gorduras e colesterol da dieta, conforme afirmado em um estudo publicado em Postepy Higieny i Medycyny Doswiadczalnej. Desta forma, estimula-se de maneira endógena a síntese desses elementos, sendo esta regulação muito eficaz.

Também tem efeito semelhante quando se trata de modular a absorção de carboidratos, pois retarda sua entrada na corrente sanguínea. Essa pode ser uma estratégia eficaz para controlar a diabetes.

Você também pode estar interessado: Alimentos ricos em fibras que ajudam a perder peso

3. Fortalece o sistema imunológico

Como já destacamos, o feijão verde contém uma concentração significativa de vitamina C em seu interior. Esse nutriente tem a capacidade de melhorar o funcionamento do sistema imunológico, de acordo com as evidências científicas atuais.

Afirma-se que garantir o consumo de 1 grama da substância por dia ajuda a prevenir o desenvolvimento de certas doenças infecciosas, como os resfriados comuns. Por outro lado, quando a patologia aparece, o tempo de presença dos sintomas é reduzido.

Feijão verde enlatado
O feijão verde enlatado mantém as propriedades nutricionais e reduz o tempo de preparação em casa.

Como podemos preparar o feijão verde?

Cozinhar feijão verde é muito simples. Lembre-se de que quanto mais lento for o cozimento, melhor será o resultado final.

O melhor é colocar os feijões em uma panela com um caldo de legumes e depois adicionar água, elevando a temperatura do líquido para ebulição. É necessário deixá-los cozinhar por quase uma hora para que fiquem macios e carnudos.

Você também pode deixá-los de molho na véspera. Assim, o cozimento será mais rápido, mas o tempo pode variar dependendo da safra.

Também é possível encontrar feijão verde em lata, já cozido. Isso aumenta as possibilidades de uso e permite fazer saladas com este ingrediente, farofa de feijão e até refogados com outros alimentos de origem animal.

Portanto, você pode provar várias receitas até encontrar a sua maneira favorita de cozinhar e consumir esta leguminosa.

Feijão verde: um alimento recomendado

Conforme explicamos, o feijão verde é recomendado para a saúde quando introduzido no contexto de uma dieta balanceada. Possui nutrientes essenciais para o corpo e concentrações significativas de fibras em seu interior.

Destaca-se também a sua versatilidade a nível culinário, o que permitirá experimentar e preparar diferentes pratos tendo como protagonista as leguminosas. Os guisados são a opção mais clássica, mas com certeza você poderá preparar sopas, adicioná-lo a saladas, preparar farofas, cremes, etc.

Se tiver pouco tempo, procure comprar este alimento já cozido, enlatado, pois suas propriedades nutricionais permanecem intactas e isso facilitará incluí-lo em preparações culinárias.

Pode interessar a você...
Como as leguminosas nos protegem contra a diabetes?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como as leguminosas nos protegem contra a diabetes?

O consumo de leguminosas tem sido associado a um menor risco de diabetes tipo 2. Por que são recomendadas? Qual é a melhor variedade?



  • Gianfredi V, Salvatori T, Villarini M, Moretti M, Nucci D, Realdon S. Is dietary fibre truly protective against colon cancer? A systematic review and meta-analysis. Int J Food Sci Nutr. 2018 Dec;69(8):904-915.
  • Maćkowiak K, Torlińska-Walkowiak N, Torlińska B. Dietary fibre as an important constituent of the diet. Postepy Hig Med Dosw (Online). 2016 Feb 25;70:104-9.
  • Carr AC, Maggini S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients. 2017 Nov 3;9(11):1211.