5 exercícios durante a gravidez

23 de agosto de 2019
Fazer exercícios durante a gravidez pode promover o bem estar físico e mental da futura mãe, enquanto prepara seu corpo para o momento do parto.    

Fazer exercícios durante a gravidez tem vários benefícios, tanto para a mãe como para o bebê que está a caminho. Embora rotinas vigorosas devam ser evitadas durante este estágio, algumas atividades podem manter afastado o sedentarismo.

Isso permite que a futura mãe enfrente o momento do parto com mais otimismo, pois sentirá seu corpo saudável e mais preparado. Da mesma forma, pode aproveitar este estágio mais plenamente, pois terá menos desconforto ou complicações.

No entanto, é importante levar em conta as recomendações médicas, uma vez que existem casos específicos em que devem ser evitadas certas práticas esportivas. Quais são os exercícios recomendados? Existem riscos ao praticá-los? Descubra!

Benefícios de fazer exercícios durante a gravidez 

Mulher praticando pesas na gravidez

A prática de exercícios durante a gravidez é um assunto que sempre causou dúvidas. Enquanto no passado se pensava que poderia ser prejudicial para o bebê, na atualidade é um dos hábitos mais recomendados para levar uma gravidez saudável.

Claro, não se trata de seguir um treinamento estrito ou de alta intensidade. O que se propõe é manter uma rotina de treinos de baixo impacto, que permita manter o bem estar físico e mental nessa etapa. Vamos ver abaixo seus principais benefícios:

  • Ajuda a reduzir a dor nas costas.
  • Melhora e corrige a postura corporal.
  • Tonifica os músculos das costas, nádegas e coxas.
  • Diminui a constipação, acelerando o movimento do intestino.
  • Previne a deterioração das articulações ativando o líquido sinovial que atua como lubrificante.
  • Reduz o estresse e a ansiedade, que os problemas do sono podem causar.
  • Fortalece os músculos do solo pélvico, e os prepara para o parto.
  • Diminui o risco de diabetes gestacional.
  • Previne o aumento excessivo de peso, o que facilita na recuperação da forma após o parto.
  • Ajuda a controlar a respiração, e melhora a capacidade de lidar com a dor.

Exercícios durante a gravidez que você deve praticar 

É importante notar que os exercícios durante a gravidez podem variar para cada mulher, de acordo com sua idade, estado físico e condições de saúde. O mais conveniente é consultar o médico sobre quais atividades podem ser praticadas, sem que haja algum risco.

Agora, se a mulher grávida não está acostumada a se exercitar, é melhor começar de forma suave e gradual. Embora, em geral, todas as atividades aconselháveis ​​tenham baixo impacto, algumas são um pouco complexas se nunca foram feitas.

1. Caminhar 

Caminhar é bom

É um dos melhores exercícios para ser praticado durante a gravidez, especialmente porque é de pouca exigência, e pode ser praticado do começo ao fim. De fato, é recomendado para reduzir o risco de parto prematuro, e favorecer a chegada do bebê por parto vaginal.

Por outro lado, é ideal para reduzir a pressão sobre as pernas, pois estimula a circulação e combate a retenção de líquidos. A propósito, regula a atividade do sistema nervoso e reduz as crises de ansiedade e estresse, que ocorrem nesta fase.

2. Andar de bicicleta 

Desde que não seja uma gravidez de risco, a bicicleta pode ser aliada para manter práticas esportivas durante a gravidez. Esta atividade tonifica os músculos, melhora a circulação sanguínea e ajuda a manter o peso adequado.

Recomenda-se que seja feita até o quinto mês de gravidez, uma vez que depois pode acarretar em alguns perigos. Não se deve ignorar que o volume da barriga pode causar um desequilíbrio e quedas. Portanto, para evitar isso, no estágio final, devem ser escolhidas outras opções.

Confira ademais: Pressão arterial alta durante a gravidez: sintomas e tratamentos

3. Natação 

Natação

Os exercícios aquáticos têm atraído a atenção de muitas mulheres em estado de gravidez, que se preocupam em manter um estilo de vida saudável. A natação e outras atividades na água favorecem o alívio das dores musculares na gravidez, sem muito esforço.

Outra vantagem é que há menos risco de lesão, porque a água diminui o peso físico. Além disso, reativa a circulação sanguínea, fortalece a saúde respiratória e, por diminuir a ansiedade, promove o bem estar mental.

4. Exercícios de ioga 

A ioga tem rotinas complexas que não são adequadas para mulheres grávidas. No entanto, existem também posições de baixa exigência, que podem ser bastante benéficas ao longo desta etapa. Com estes exercícios, a postura corporal é melhorada e várias doenças são reduzidas.

Também é trabalhada a região pélvica, a fim de reduzir o risco de lacerações ou trauma durante o parto. Por sua vez, melhora a saúde mental e ensina técnicas de respiração que podem ser usadas para minimizar as dores do parto.

5. Exercícios de alongamento 

Grávida fazendo exercícios

Os exercícios de alongamento são essenciais em qualquer plano de exercícios durante a gravidez. Devido aos benefícios que proporcionam são recomendados desde os primeiros meses, até um pouco antes do momento do parto.

Sua prática habitual reduz a dor nas pernas e nas costas, e aumenta a flexibilidade das articulações. Juntamente com os exercícios abdominais e de Kegel, são os mais comuns nas aulas de preparação para o parto.

Leia este artigo: 8 dicas para uma alimentação adequada durante a gravidez

Quais são os riscos dos exercícios durante a gravidez? 

A prática habitual de exercícios de baixo impacto não envolve riscos em uma gravidez normal. No entanto, se a gestante exceder sua prática ou optar por rotinas intensas, aumenta o risco de parto prematuro e retardo do crescimento intrauterino.

Outros efeitos colaterais dos exercícios durante a gravidez são:

  • Hipoglicemia (baixo teor de açúcar no sangue)
  • Lesões musculoesqueléticas
  • Sangramento vaginal
  • Tontura e fraqueza
  • Dores de cabeça

Em conclusão, o exercício físico tem muitos benefícios na gravidez, desde que sua prática seja prudente e apropriada para cada fase. O ideal é ter a supervisão de um profissional para evitar más posturas ou movimentos de risco.