Como o estresse afeta as mulheres?

· 18 de março de 2019
Os hormônios fazem o estresse afetar homens e mulheres de maneira diferente. Embora sejam mais sensíveis a esse fator, as mulheres o administram com estratégias mais inteligentes.

O estresse afeta as mulheres de maneira diferente. Embora seja verdade que esta condição não conhece gênero ou idade, o impacto físico e psicológico apresenta certas particularidades no gênero feminino.

É muito comum ouvir na mídia e nas revistas especializados sobre o estresse em termos genéricos, mas raramente é levado em conta, por exemplo, a particularidade da mulher e como essa dimensão afeta sua realidade pessoal. .

As mulheres têm uma fisiologia diferente da dos homens, onde o peso dos hormônios faz com que o estresse as afete de maneira diferente.

Além disso, se a isso acrescentarmos o fato de que suas responsabilidades, as vezes, vão do campo de trabalho à família (cuidado de crianças e até de parentes idosos), sua realidade é misturada por muitos outros fatores.

Tudo isso faz com que seja necessário abordar essa realidade para oferecer melhores meios de gerenciamento e reação.

Situações mais comuns de estresse nas mulheres

Situações mais comuns de estresse nas mulheres

Os estudos nos dizem que as mulheres são, em média, mais sensíveis que os homens ao estresse, no entanto, graças ao estrogênio, elas o enfrentam melhor e são mais resistentes.

O professor Karl Pibram, da Universidade da Califórnia, argumentou em seus trabalhos que as mulheres enfrentam o estresse de maneira mais lógica e verbal que os homens, estratégias que, sem dúvida, as tornam mais habilidosas diante dessa dimensão.

Vamos ver, no entanto, quais são as fontes mais comuns de estresse.

  • Pressão de trabalho em conjunto com obrigações familiares.
  • A menopausa
  • Ajudar a outros familiares doentes.
  • Problemas no casamento, separações, divórcios.

Estresse nas mulheres: sintomas físicos

O estresse nas mulheres difere do sexo masculino em duas dimensões específicas. A primeira tem como origem o cortisol (o hormônio que liberamos em situações estressantes). Nesse caso, elas são mais sensíveis a este glicocorticoide e, portanto, a sintomatologia é mais ampla.

Em segundo lugar, define sua capacidade de reagir a esses estados. Como indicamos anteriormente, as mulheres sabem administrar melhor esses estados: elas pedem ajuda antecipadamente e se apoiam em amigos e familiares.

Vejamos agora em que consiste esta sintomatologia:

  • Dores de cabeça, especialmente no período pré-menstrual, onde aparecem enxaquecas fortes.
  • Espasmos esofágicos (dor de estômago e dificuldade de engolir).
  • Azia.
  • Queda de cabelo.
  • Náuseas.
  • Dor no peito, nas costas e no pescoço.
  • Sentir desejo de urinar com frequência.
  • Fadiga crônica.
  • Falta de apetite sexual.
  • Alterações na menstruação (especialmente atrasos e até desaparecimento da menstruação, que é comumente chamado de amenorreia).
  • Crise de ansiedade.
  • Insônia.
  • Alteração do sistema imunológico, mais propensão a sofrer doenças como osteoporose, artrite inflamatória, diabetes tipo II…
  • Constipação ou diarreia.
  • Problemas de pele: a pele fica muito sensível em situações de ansiedade e estresse, razão pela qual são comuns as reações inflamatórias como eczema, vermelhidão, olheiras, perda de luminosidade na pele…

Tudo isso se deve ao fato das células da epiderme reagirem imediatamente aos hormônios do estresse, causando vasoconstrição, provocando ainda que apareça mais pelos, que suemos mais e que nosso rosto sempre pareça cansado.

Pode te interessar: Risoterapia: uma técnica excelente contra o estresse

Sintomas psicológicos

Sintomas psicológicos do estresse nas mulheres

Quando a situação de estresse se torna mais intensa e persistente, a mulher pode ser afetada por realidades muito mais complexas que podem ter como efeito as seguintes doenças:

  • Anorexia ou bulimia.
  • Depressão. De acordo com um estudo realizado no Departamento de Psicologia da Universidade de Michigan este é, geralmente, o efeito psicológico mais recorrente.
  • Transtornos de ansiedade.

Como lidar com o estresse

Se há algo negativo no estresse é que nos tira anos de vida, nos envelhece e altera gravemente nossa saúde, nosso corpo fica cheio de toxinas e a cada dia se torna mais difícil de fazer nossas vidas diárias com a mesma força e coragem do passado.

É preciso controlar a situação. De que maneira? Te ensinamos:

  • Identifique a causa que enfoca seus problemas e tente solucioná-la sempre com o apoio de seus familiares ou amigos, juntamente com um profissional de saúde.
  • Encontre tempo para você mesma, mesmo que seja uma hora por dia, para caminhar, ouvir música e se sentir bem consigo mesmo.
  • Estabeleça prioridades e monitore seus estados de ânimo: em nossa vida, precisamos saber o que é importante, e nossa saúde é, naturalmente, um pilar fundamental. Tente pensar quais situações te incomodam, identifique-as e pense em como você pode abordá-las melhor.
  • Pratique o mindfulness. Essa prática milenar nos ajuda a estar mais presentes e a fazer contato com nossas necessidades.

Não deixe de ler: 5 formas de relaxar em menos de 10 minutos

Quais alimentos podem ajudar em situações de estresse?

Quais alimentos podem ajudar em situações de estresse?

  • Irão bem especialmente vitaminas A, C e E, que contém uma grande quantidade de radicais livres. Para isso, é bom ingerir cenoura, melão, brócolis, couve de Bruxelas, espinafre, batata ou batata doce, tomate, frutos secos.
  • A vitamina B fortalece o sistema nervoso central e tem um efeito sedativo. Você pode encontrá-la na levedura de cerveja, nos cereais, no abacate, no repolho, no feijão verde…
  • Os minerais também são essenciais, o magnésio, o cálcio e o potássio são básicos. Você pode encontrá-los em frutas e legumes, mas recomendamos o magnésio especialmente por suas incríveis propriedades para os estados de estresse.

Para concluir, já sabemos que o estresse afeta as mulheres de maneira diferente. Vamos, portanto, aprender a identificá-lo e dar uma resposta rápida a esses estados tão perigosos para o nosso bem-estar.

  • Lush, Jean (2011) Women and Stress: Practical Ways to Manage Tension. Revell (Boston)