O que é o esmegma e por que ele é produzido?

O aparecimento de uma substância branca e de odor fétido nos genitais pode ser comum, principalmente quando não há uma higiene adequada. Esta substância é chamada de 'esmegma'. Saiba mais sobre ela a seguir.
O que é o esmegma e por que ele é produzido?

Última atualização: 29 Maio, 2021

A higiene dos órgãos genitais, tanto masculinos quanto femininos, é muito importante para evitar o aparecimento de odores e possíveis infecções. Uma das consequências da falta de higiene é o aparecimento do esmegma.

Embora o acúmulo de esmegma seja mais comum em homens, também pode ocorrer na genitália feminina. Essa substância aparece em condições normais, porém, quando há uma quantidade excessiva, ela pode gerar um odor fétido, o que pode ser muito incômodo.

O que é o esmegma?

O esmegma é uma secreção natural do corpo humano cuja principal função é lubrificar o pênis e a vagina para facilitar a relação sexual. Nos homens, geralmente aparece no sulco balanoprepucial, logo abaixo da glande do pênis, secretado pelas glândulas de Tyson ou pápulas peroladas.

Nas mulheres, essa secreção aparece ao redor do clitóris e entre os pequenos e os grandes lábios da vagina. Geralmente não causa um odor desagradável quando há uma pequena quantidade acumulada, porém, o problema surge quando ele se mistura com outros componentes do corpo.

Quando isso ocorre, o esmegma adquire uma tonalidade esbranquiçada com consistência semelhante ao queijo e um odor bastante fétido. Dentre as substâncias com as quais a secreção pode se misturar para adquirir essas características, destacam-se as seguintes:

  • Células mortas da pele.
  • Secreções da próstata.
  • Glóbulos brancos.
  • Hormônios sexuais.

É muito comum encontrar essa secreção em homens com fimose ou que não são circuncidados. Isso ocorre porque, em ambas as situações, a glande fica coberta pelo prepúcio e, por isso, a higiene pode ser bastante complicada.

Saúde dos órgãos genitais
Situações como a fimose favorecem o acúmulo de esmegma e seu consequente odor.

Ele pode causar complicações?

O principal impacto do esmegma na vida de quem sofre com ele é psicológico. Quando um odor fétido emana dos órgãos genitais, a pessoa pode ter vergonha de manter relações sexuais, pois isso pode ser constrangedor.

Algumas análises microscópicas mostraram a presença de bactérias nesta substância. Portanto, o seu acúmulo excessivo causaria infecções. Além disso, em homens, isso pode desencadear uma patologia chamada balanopostite, que é a inflamação da glande e do prepúcio.

Por outro lado, o esmegma é capaz de endurecer com o tempo, o que pode fazer com que o prepúcio ou os lábios vaginais fiquem grudados. Quando isso ocorre, provoca dor e é necessária uma intervenção médica.

Durante anos, a presença de esmegma foi associada ao desenvolvimento de câncer de pênis ou de útero. No entanto, vários estudos mostraram que não há relação alguma. Ou seja, não há justificativa científica de que o esmegma seja um agente cancerígeno.

Tratamento e prevenção do esmegma

Na maioria dos casos, o acúmulo de esmegma não requer um tratamento ou um mecanismo de prevenção específico. Uma vez que se trata de um problema associado à falta de higiene, basta lavar a região com água morna e sabonete periodicamente para eliminar os excessos.

Desta forma, homens e mulheres com tendência à produção excessiva dessa substância devem manter uma higiene genital adequada diariamente. É importante que a lavagem seja uma rotina diária para evitar o aparecimento de maus odores, principalmente depois de manter relações sexuais.

Cabe lembrar que, durante e após a relação sexual, o corpo continua a produzir hormônios lubrificantes e sexuais, que fazem parte das substâncias que constituem o esmegma. Para evitar possíveis irritações na glande e na vagina, é preciso usar um sabonete neutro pouco abrasivo e não esfregar a área com muita força.

Por outro lado, quando o esmegma surge como resultado de uma fimose ou outra anormalidade, pode ser necessário aplicar antibióticos tópicos e outros cremes como parte do tratamento. Esses medicamentos ajudam a regular a função das glândulas de Tyson.

Em caso de complicações devido ao acúmulo de esmegma, é importante consultar um médico. Somente o profissional poderá solucionar esta situação e indicar o tratamento a ser seguido.

Mulher com problemas de saúde íntima
As mulheres também produzem esmegma e podem sofrer com as consequências dos maus odores.

A higiene genital é fundamental

A prevenção dos maus odores genitais e das diversas patologias que podem causá-los costuma ser simples e quase sempre está relacionada com a higiene. É preciso considerar que esta é uma área úmida, podendo favorecer a proliferação de microrganismos que geram maus odores.

O aparecimento do esmegma geralmente não traz consequências graves para a pessoa, e bastam algumas medidas de higiene para diminuir a concentração desta substância.

Pode interessar a você...
Espinhas no pênis: a que se devem?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Espinhas no pênis: a que se devem?

As espinhas no pênis são muito comuns e estão presentes em muitos homens. Na maioria dos casos, aparecem por motivos normais que não precisam de tratamento.



  • Van Howe RS, Hodges FM. The carcinogenicity of smegma: debunking a myth. Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology. 2006;20(9):1046-54.
  • Chung JM, Park CS, Lee SD. Microbiology of smegma: Prospective comparative control study. Investigative and Clinical Urology. 2019;60(2):127-132.
  • Sonthalia S, Singal A. Smegma Pearls in Young Uncircumcised Boys. Pediatric Dermatology. 2016;33(3):e186-e189.
  • Sonthalia S, Jha AK. Smegma pearl. Indian Dermatology Online Journal. 2017;8(6):520.
  • Sonnex C, Croucher PE, Dockerty WG. Balanoposthitis associated with the presence of subpreputial “smegma stones”. Genitourin Medicine. 1997 Dec;73(6):567.
  • Anyanwu LJ, Kashibu E, Edwin CP, Mohammad AM. Microbiology of smegma in boys in Kano, Nigeria. Journal of Surgical Research. 2012 Mar;173(1):21-5.