Engasgo em crianças: o que fazer e como prevenir?

10 de maio de 2020
O engasgo em crianças é um acidente frequente que pode levar à morte. Portanto, a melhor alternativa é evitá-lo, principalmente através da supervisão da alimentação e das brincadeiras, além de deixar sólidos pequenos fora do alcance das crianças.

Segundo os dados disponíveis, estima-se que o engasgo e a consequente asfixia em crianças seja um dos acidentes mais comuns e a terceira principal causa de morte não natural, tanto na infância quanto na velhice. Portanto, é necessário atuar em duas frentes: prevenção e abordagem.

A prevenção é a melhor alternativa no que diz respeito ao engasgo em crianças. Como é uma situação que pode levar à morte, é melhor eliminar os riscos principalmente a partir dos quatro meses de idade, quando este se torna um perigo latente.

Se mesmo com todas as precauções ainda assim ocorrer um episódio de engasgo, é importante saber o que fazer para evitar que as consequências sejam graves. Existem medidas simples de primeiros socorros que podem salvar a vida da criança e que, portanto, devemos saber.

Engasgo em crianças

O engasgo em crianças é obstrução das vias aéreas por um corpo estranho. Na pior das hipóteses, as vias aéreas ficam completamente obstruídas, impedindo o ar de atingir os pulmões e causando a morte.

A maioria desses casos de obstrução ocorre em crianças menores de 3 anos. O pico de casos aparece em crianças entre 6 e 12 meses. Quase sempre o objeto estranho que causa o engasgo é um alimento, que muitas vezes corresponde a uma oleaginosa ou a uma bala.

Outros alimentos perigosos incluem carnes e embutidos, além de ossos e espinhas. Devido à sua textura e forma, as salsichas também apresentam muitos riscos. Em geral, qualquer objeto sólido que caiba na boca da criança também é perigoso.

Criança usando respirador
O engasgo em crianças é uma situação perigosa que obstrui as vias aéreas e pode exigir hospitalização em alguns casos.

Não perca: 10 acidentes domésticos e como evitá-los

Medidas de prevenção contra o engasgo em crianças

O engasgo em crianças tem um resultado imprevisível e, portanto, é melhor evitá-lo. A primeira coisa a ter em mente é que a grande maioria dos casos ocorre na hora das refeições ou quando as crianças estão brincando. Portanto, é essencial supervisionar os pequenos nessas atividades.

Outras medidas de prevenção são as seguintes:

  • Fique atento durante a alimentação complementar e evite alguns alimentos: as oleaginosas e frutas que possuem caroço, como cerejas ou ameixas, não devem ser disponibilizadas para crianças antes dos 5 anos de idade ou até termos certeza de que elas sabem como comê-las.
  • Objetos pequenos e brinquedos: pequenos objetos sólidos, como pilhas ou bolinhas de gude, não devem ser deixados ao alcance das crianças. Cuidados especiais devem ser tomados com balões e brinquedos similares, pois, devido ao seu material, eles se fixam facilmente e obstruem as vias respiratórias.
  • Regras durante a refeição: as crianças devem comer à mesa e não deitadas. Também não devem comer enquanto correm e brincam. É necessário ensinar a mastigar corretamente.
  • Evite colares: as crianças nunca devem usar colares, muito menos se forem feitos de miçangas ou peças pequenas.

Leia também: 7 conselhos de alimentação para crianças de 3 anos

O que fazer se uma criança engasgar?

Manobra para desengasgar criança
A manobra de Heimlich é um método apropriado para tentar resolver um engasgo de forma urgente.

Se, apesar das medidas preventivas, uma criança engasgar, a primeira coisa a fazer é manter a calma. Isso permite uma avaliação rápida da situação para saber o que fazer. Quando a criança está engasgada, a primeira coisa que ela pode fazer é tossir, conversar ou chorar.

Se a criança tossir, é melhor deixá-la e incentivá-la a continuar. Às vezes, a intervenção inadequada faz com que o objeto estranho se mova e isso torna mais difícil de removê-lo. Evite bater nas costas, pressionar o abdômen ou dar-lhe algo para beber. Quando a tosse é ineficaz, o mais adequado é chamar os serviços de emergência e, enquanto eles chegam, fazer o seguinte:

  • Levante a criança e faça-a inclinar a cabeça.
  • Coloque um braço sob a axila da criança e segure o peito com a mão.
  • Com a outra mão, bata na parte superior das costas da criança entre as omoplatas. Você deve usar a parte inferior da palma da mão e não deve dar mais do que cinco golpes.

A manobra de Heimlich

No caso de a criança não conseguir expulsar o objeto que a está sufocando, deve-se executar a manobra de Heimlich até cinco vezes seguidas. Ela pode ser feita da seguinte maneira:

  • Você deve ficar atrás da criança e colocar os braços em volta da cintura dela.
  • Feche uma das mãos, em forma de punho, colocando a articulação do polegar acima do umbigo, no nível da boca do estômago.
  • Com a outra mão, você deve cobrir o punho e fazer uma forte pressão para dentro e para cima.
  • Se a criança estiver inconsciente, é apropriado fazer 30 pressões no tórax, seguidas de duas respirações na boca da criança, mantendo o nariz coberto. Isso deve ser feito até a ajuda chegar.

Fernández Martín, F. (2013). Escuchemos el lenguaje del niño: normalidad versus signos de alerta. Pediatría atención primaria, 15, 117-126.