Educação em casa: quando optar por ela?

3 de fevereiro de 2020
A educação em casa não é para todos. É uma decisão complexa que exige conhecer bem todas as suas arestas.

A educação em casa, ou homeschooling, é uma alternativa que tem cada vez mais adeptos entre os pais, que veem nela uma oportunidade de educar seus filhos fora da sala de aula e de um ambiente escolar que por algum motivo consideram inadequado.

No entanto, o ensino em casa não representa apenas uma mudança na formação acadêmica dos filhos, é também um estilo de vida diferente, cheio de exigências e novas responsabilidades que os pais devem estar dispostos e capacitados a assumir.

Afinal, o futuro e a preparação das crianças dependerão de que recebam uma educação adequada e competitiva para enfrentar os desafios que surgirão à medida que crescerem.

Aspectos da educação domiciliar

Crianças correndo na escola

A educação em casa exige muito tempo e dedicação dos pais. Também representa uma despesa adicional, uma vez que os recursos disponíveis para um homeschooling apropriado não são gratuitos.

Por fim, é necessário conhecer as leis educacionais de cada país. Enquanto em alguns países o ensino em casa é regulamentado pela legislação educacional oficial, em outros há mais flexibilidade e em alguns é proibida.

Além disso, também é importante conhecer os sistemas de validação. Existem países que permitem que crianças que estudam em casa façam exames mensais ou anuais, outros não dão esse reconhecimento.

Há países nos quais, para cursar o ensino superior, aceita-se um exame de admissão sem um diploma escolar, no entanto muitos exigem diploma escolar convencional ou é preciso validação.

Razões para escolher a educação em casa

São várias as razões pelas quais os pais escolhem a educação em casa. Explicamos as principais em seguida. Confira.

Ambiente escolar ruim

Educaçõ em casa evitaria bullying

O Departamento de Educação dos Estados Unidos conduziu uma pesquisa que descobriu que o principal motivo para os pais que escolheram o homeschooling é a preocupação com o ambiente escolar. Para 90% dos entrevistados, esse foi um fator que de alguma forma influenciou a saída do sistema escolar regular.

O bullying ou abuso escolar é uma grande preocupação para os pais. De agressões físicas a intimidações psicológicas, esse é um problema comum nas escolas. As vítimas de bullying perdem a autoestima, podem ter sérias consequências nas notas e chegam a sofrer de depressão.

Uma forma passiva de bullying é a marginalização social. Aqueles que sofrem não são atacados diretamente, mas acham difícil fazer amigos e participar de grupos. Por isso, nesses casos, os efeitos na criança são os mesmos que no bullying.

Também pode te interessar saber: Como os pais devem agir diante do bullying

Problemas físicos

Embora a maioria das escolas seja capaz de receber e atender crianças com deficiências físicas, alguns pais se sentem mais à vontade usando a ensino em casa para atender às necessidades específicas de seus filhos ou mesmo para evitar dificuldades de transporte.

Dificuldades de aprendizagem

Também, neste caso, as escolas regulares têm recursos e professores preparados para ensinar crianças com dificuldades de aprendizagem, como síndrome de Down ou autismo.

No entanto, há pais que preferem se encarregar dos cuidados e da educação de seus filhos nesses casos. Existem recursos especializados para orientar os pais que decidem se responsabilizar pela educação de seus filhos nessas circunstâncias.

Insatisfação com o sistema educacional

Pais que optam por educação em casa

Há pais que acreditam que a educação oferecida nas escolas públicas não é a mais adequada. Quem pensa assim vê vários problemas na educação regular.

  • Lotação das salas de aula.
  • Excesso de tarefas.
  • Déficit de professores de qualidade.
  • Consideram a educação personalizada mais eficaz.

Leia também: Uma educação de sucesso para crianças com Down

Dedicação a outra atividade

Alunos com talentos especiais em determinadas áreas, como esportes ou artes, geralmente têm horários muito exigentes e, inclusive, viagens constantes. Nesses casos, a educação em casa é uma boa alternativa para que eles continuem sua educação acadêmica.

Mudanças ou repouso prolongado

Às vezes, a educação em casa é uma opção temporária para situações especiais, como uma mudança de cidade ou a necessidade de repouso em casa devido a uma doença. Nesses casos, o homeschooling é uma maneira de manter em dia as aulas da escola.

Crenças religiosas ou valores familiares

Essa é outra razão pela qual os pais escolhem a educação em casa. Embora existam escolas religiosas de diferentes denominações, há quem considere que esses e outros valores são mais bem ensinados no seio familiar.

Prós e contras a considerar

Menina recebendo educação em sala de aula

Vantagens da educação em casa

  • Maior envolvimento dos pais.
  • Maior inter-relação com os filhos.
  • Os valores da família são transmitidos.
  • Horário flexível de ensino.
  • Não há abusos.
  • Pode-se optar por um ritmo mais rápido ou mais lento, de acordo com as necessidades individuais.
  • Possibilidade de focar mais nas áreas de interesse individual.
  • Dedicação individual
  • Menos distrações durante o horário de ensino.

Problemas da educação em casa

  • Menos tempo disponível para os pais.
  • Os pais precisam se preparar para atingir as metas acadêmicas.
  • Aumento do estresse e da fadiga dos pais.
  • Maior despesa e possivelmente menos renda, pois pode impedir que um dos pais trabalhe.
  • Em alguns países, não é validado para continuar o ensino superior.
  • Menos atividade e experiência social das crianças.
  • Nem todos os recursos da escola estão disponíveis, como laboratórios, quadras de esportes, etc.
  • Não há reconhecimento público pelas conquistas.

Por fim, antes de considerar a educação em casa, você deve levar em consideração todos esses fatores para garantir que seu filho receba a formação acadêmica e social que ele poderia ter nas escolas. Informe-se e considere a opção mais relevante.