Como os pais devem agir diante do bullying

11 de junho de 2019
O que podemos fazer como pais se nossos filhos sofrem intimidação? Neste artigo nós lhes dizemos como os pais devem agir diante do bullying  

Nos últimos anos o termo bullying preencheu páginas e mais páginas de notícias. O bullying está na boca de todos e, por mais que saibamos o que é, é difícil saber como agir diante do bullying quando é nosso filho quem sofre com esse problema. Devemos nos envolver ou não?

Por isso, queremos apresentar algumas ideias para você agir diante das situações de intimidação que seu filho sofre. Então, continue lendo e conheça mais.

O que é o bullying ou intimidação sistemática?

Menino que não soube agir diante do bullying  

O Bullying refere-se a uma dinâmica de abuso sistemático que ocorre entre os pares durante um período de tempo. Esse abuso nem sempre é físico, mas pode abranger todos os tipos de atitudes prejudiciais em relação à vítima, como insultos, exclusão social, piadas pesadas ou cyberbullying, entre outros.

Segundo dados de um estudo endossado pela Organização Mundial de Saúde, o assédio entre pares afeta quase 25% das crianças entre 11 e 18 anos na Espanha.

Diferentes investigações concluíram que os efeitos do bullying a curto, médios e longos prazos podem ser realmente negativos para a vítima. Assim então, vale a pena destacar que o assédio não é uma coisa de criança, como pais é nossa obrigação fazer algo para proteger os assediados.

Talvez você esteja interessado: Dia contra o abuso infantil: proteger as crianças é responsabilidade de todos

Como agir frente ao bullying?

O papel dos pais para lidar com o bullying é fundamental para erradicar um problema que pode afetar profundamente o desenvolvimento emocional e físico de uma criança ou adolescente. A pergunta que você deve se fazer não é se deve agir ou não, mas como deve fazê-lo. Para fazer isso, você deve entender como o bullying funciona.

1. O que é o bullying?

Em primeiro lugar, a situação ocorre quando uma pessoa é continuamente atormentada através de empurrões, fofocas, insultos, espancamentos e até ataques sexuais, por um agressor ou grupo de agressores. Geralmente, esses ataques são causados ​​por:

  • A aparência da vítima.
  • O nível social da vítima.
  • O comportamento: se a criança é tímida, ela pode ser alvo de ataques.
  • A raça ou religião.
  • Inclinações sexuais: neste ponto, geralmente não importa se a vítima tem inclinações homossexuais ou não. É suficiente que o grupo agressor perceba dessa maneira, para que seja acionado o bullying.

Quando você está avaliando se seu filho é realmente vítima de bullying, deve considerar se os atos se multiplicaram e se mantiveram ao longo do tempo, ou se foi uma situação específica, já que esta é a chave para falar sobre esse tipo de agressão.

2. Por que agir diante do bullying?

Mãe chorando por não saber agir diante do bullying  

Antes de avaliar como agir contra o bullying é necessário esclarecer por que é necessário que você, como pai / mãe, tome medidas sobre o assunto. Qualquer tipo de abuso sofrido com o tempo pode levar seu filho a:

  • Baixa autoestima
  • Estresse
  • Ansiedade
  • Depressão: casos de depressão grave podem levar ao suicídio. Não seria a primeira vez que uma vítima de bullying comete suicídio, por não poder suportar as vexações contínuas a que está sujeita.

Leia também: Depressão maior, a mais incapacitante: 6 aspectos que devemos conhecer

3. Estratégias de ação para os pais

Vamos ver juntos como agir contra a intimidação de nossos filhos passo a passo. Lembre-se de que, como pai, é muito importante que você permaneça calmo durante todo o processo. Sem dúvida alguma, você será o pilar sobre o qual seu filho vai se apoiar.

Primeiro passo: investigue o que aconteceu

  1. Escute seu filho: seja porque ele veio lhe dizer o que está acontecendo ou não, é importante que você o ouça sem recriminar porque ele não tenha falado antes.
  2. Faça seu filho se sentir seguro: conforte seu filho. Ele sofreu muito e precisa sentir amor e abrigo, não importa quantos anos ele tenha.
  3. Conheça os fatos: é importante que para agir você conheça em profundidade os fatos. Ouça sem julgar e veja suas reações. Tome nota do que aconteceu com a maior quantidade de detalhes: datas, lugares, testemunhas, cyberbullying, e provas do mesmo, etc…
  4. Deixe seu filho saber que ele fez bem em contar o que aconteceu: muitas vezes as crianças ou adolescentes sentem que traíram alguém, e essa culpa aumenta seus outros problemas.

Segundo passo para agir diante do bullying  

  1. Reúna-se com o professor de seu filho: é importante que ele esteja ciente da situação e aja em consequência disso.
  2. Fale com o diretor da instituição: se a intimidação não se interromper com a participação do professor, converse com as autoridades competentes. Em casos de séria intimidação que colocam seu filho em risco a curto prazo você deve solicitar uma reunião com a direção e o professor, para reduzir a atuação.
  3. Reúna-se com os pais do agressor: as autoridades escolares podem sugerir uma reunião com os pais do agressor. Tenha em mente que a situação pode se tornar muito desconfortável porque, como pais, eles vão acreditar em seu filho.
  4. Denuncie: se a intimidação continuar não hesite em denunciar o comportamento à polícia.

Contra o bullying – Disque Direitos Humanos – Disque 100 no Brasil: Lá você receberá um aconselhamento personalizado.

Em conclusão, não é fácil definir como agir frente ao bullying de um filho. Agir, às vezes pode parecer exagerado, mas não é. Portanto, se o seu filho sofrer situações de assédio, não hesite em tomar medidas sobre o assunto. O bullying não é uma coisa infantil.

  • Musalem, Ricardo. Castro, Paulina. (2014). Qué se sabe de bullying. https://doi.org/10.1016/j.rmclc.2014.12.002
  • Ministerio de Educación de Ontario. Intimidación: todos podemos detenerla. http://www.edu.gov.on.ca/eng/multi/spanish/bullyinges.pdf
  • ChildHelp. Prevención de la intimidación: Lo que los padres y los niños pueden hacer para detener la intimidación en conjunto. https://www.childhelp.org/blog/bullying-prevention-tips-parents-children/?lang=es