Estrias! Veja como tratá-las de forma natural.

· 1 de novembro de 2014
Os tratamentos tópicos podem melhorar a situação, mas as soluções definitivas costumam requerer cirurgia. Para prevenir o surgimento de estrias podemos ingerir alimentos ricos em vitamina A, C, D e zinco.

Quando a pele é excessivamente esticada, um dos resultados pode ser o surgimento de pontos, riscos, frequentemente de cor rosa, na pele. Essas são as estrias. Quando  surgem pela primeira vez costumam ter uma coloração bem intensa, mas se tornam mais claras com o tempo.

Porém, a textura e os riscos das estrias não somem sozinhos. Elas aparecem com frequência nas coxas, nas nádegas, nos braços (geralmente perto da axila), no abdômen e nos seios. Considere que são inofensivas e quase sempre não requerem atenção médica.

Mas se você é consciente dessas marcas indesejáveis e está envergonhada com a situação, deve se perguntar:

É possível se livrar das estrias?

Quer saber? Então, leia mais e descubra!

Causas

Antes de se livrar das estrias, o primeiro passo é determinar o que as está causando:

  • Gravidez
  • Perda ou ganho rápido de peso
  • Uso prolongado de corticosteroides
  • Surtos de crescimento, principalmente na adolescência
  • Grande aumento da massa muscular, principalmente nos braços e nas pernas
  • Transtornos genéticos, como a síndrome de Marfan ou a síndrome de Ehler-Danlos
  • Uso prolongado de esteroides

Tratamento das estrias

Agora, vejamos algumas maneiras de tratar as estrias. Estrias relativamente novas podem ser tratadas com creme de tretinoína, que ajuda a reconstruir o colágeno e pode ajudar a curar a pele, mas, só funciona se usado nas primeiras semanas de desenvolvimento das estrias.

Leia também: Como aumentar a produção natural de colágeno

Porém, mulheres grávidas não devem realizar esse tratamento, pois os efeitos da tretinoína tópica sobre o feto ainda são desconhecidos.

Tratamento das estrias

A terapia com laser pulsado promove o crescimento de colágeno e elastina e pode ajudar a alterar a textura das estrias quando essas são relativamente novas. Esses tratamentos de pulsos de luz de alta intensidade não afetam as camadas mais externas da pele, mas causam um dano intencional e controlado de cromóforos situados na derme.

As opções para as estrias velhas

A microdermoabrasão age sobre a pele suavemente, através de um aparelho que produz um jato de microcristais. Ele bombardeia a pele ao mesmo tempo em que aspira os cristais e a pele atingida pelo tratamento. Entretanto, só afeta a camada mais externa da pele, provocando o crescimento de uma nova superfície.

Os lasers Excimer promovem o desenvolvimento de melanina nas estrias e ajudam a equilibrar sua cor. Uma terapia que funciona em estrias novas e velhas é a esfoliação química com ácido glicólico.

Primeiramente, os médicos limpam a região a ser tratada, e logo depois, aplicam a solução química para ferir intencionalmente a pele, o que causa sua regeneração.

Uso de cremes

Esses produtos podem ser usados em casa e geralmente, são efetivos. Os cremes manterão a pele lubrificada e podem acelerar o clareamento da cor.

Algumas pessoas afirmam que obtêm resultados com essas aplicações, e outras dizem ver pouca ou nenhuma mudança.

Outros tratamentos tópicos comuns incluem o óleo de rícino, azeite de oliva, ácidos de frutas, envolturas de algas e outras plantas medicinais.

Leia também: 6 formas de usar óleo de rícino para melhorar a aparência do seu rosto

As estrias podem ser diminuídas com cremes, e em função de uma série de fatores, pode ser que o tratamento chegue muito perto do desaparecimento provocado por cirurgias.

Infelizmente, nada acaba por completo com todos os sinais das estrias. Mas, sem dúvida, os tratamentos indicados ajudam bastante a melhorar a sua aparência.

Então, as dicas foram úteis pra você? Sendo assim, continue lendo os próximos artigos com mais sugestões para a sua saúde, beleza e bem-estar.

  • Addor, F. A. S. A., Schalka, S., de Melo Cardoso Pereira, V., & de Oliveira Filho, J. (2010). Gestação e predisposição ao aparecimento de estrias: correlação com as propriedades biomecânicas da pele. Surgical and Cosmetic Dermatology.
  • Hernández, J. Á. G., García, M. H., Ángeles Tadeo López, M., Islas Norris, D. I., & González, D. M. (2012). El uso de productos no específicos es insuficiente para prevenir la aparición de las estrías gravídicas. Piel. https://doi.org/10.1016/j.piel.2012.06.001
  • López, E. A., Pérez, J. H., & Ramos, E. M. (2013). Evendencia cientifíca sobre el uso del aceite de rosa mosqueta en el embarazo: Una revisió de la bibliografía. Medicina Naturista.
  • Busatta, B. B., Medeiro, K. C., Velozo, L. R., Kakihata, C. M. M., Soares, F. dos S., Azevedo, M. R. B., & Bertolini, G. R. F. (2018). Uso do laser de baixa potência em estrias de distensão: ensaio clínico randomizado controlado. Scientia Medica. https://doi.org/10.15448/1980-6108.2018.2.28710