É correto incluir produtos sem glúten em nossa dieta?

· 13 de abril de 2019
Se não tivermos nenhum tipo de intolerância, a eliminação dos produtos com glúten da nossa dieta pode ser prejudicial, já que seus substitutos incluem mais açúcar e gordura trans.

Os produtos sem glúten se tornaram muito populares desde que começaram a falar abertamente, nas redes sociais e na mídia, sobre a doença celíaca, um distúrbio digestivo que dura a vida toda. No entanto, existem muitas pessoas que entraram neste mundo sem sofrer desta doença.

A moda os levou a iniciar uma nova dieta que pode causar estragos em sua saúde. Você é uma dessas pessoas? Hoje daremos algumas informações que podem servir de ajudar para você.

Dificuldades para processar o glúten?

Mulher fazendo dieta sem glúten

É sempre bom esclarecer os termos, para que não haja equívocos em relação a um determinado tópico. Em relação a este caso:

  • Doença celíaca: intolerância permanente ao glúten.
  • Glúten: conjunto de proteínas encontradas em cereais como o trigo, a cevada, o centeio e todos os seus derivados. Além disso, pode estar presente na maioria dos alimentos processados ​​que encontramos no mercado, uma vez que proporcionam maciez e elasticidade às massas.

Segundo a Associação Celíaca Argentina, no país sul-americano, 1 em cada 100 habitantes sofre desse distúrbio que pode causar lesões na mucosa intestinal. Isso dificulta a absorção de nutrientes como os carboidratos, proteínas, gorduras, minerais e vitaminas.

Não deixe de ler: Nem glúten, nem lactose: a dieta da moda

Alguns dados

Segundo a BBC Mundo, em 2015, 70 milhões de americanos removeram esse elemento de suas dietas. Por outro lado, no Reino Unido, 7% dos adultos o evitavam por motivos de intolerância e devido a alergias. No entanto, 8% da população só optou por produtos sem glúten para levar um estilo de vida mais saudável.

A esse respeito, eles observaram que 60% dos adultos já haviam comprado produtos sem glúten e 10% das famílias neste país já tinham um membro declarado como “inimigo” dessa proteína.

Uma moda perigosa

É perigoso cortar o glúten da dieta

Aderir à tendência “sem glúten” apenas para perder peso é um erro. Isso acontece quando a decisão é motivada sem qualquer exame ou consulta prévia com um especialista.

De fato, a Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou que, na Espanha, seis em cada cem consumidores de produtos sem glúten têm a saúde afetada, segundo o jornal ABC.

No entanto, apesar dos números relativamente baixos, a OMS indica que 83% dos cidadãos continuam comprando produtos especializados livres desta proteína pelo menos uma vez por semana.

Porém, os substitutos do trigo e da cevada geralmente contêm mais açúcar e gordura trans. Esses elementos se tornam seus verdadeiros inimigos quando você os consome de forma excessiva.

Dito isto, você poderia ganhar peso por se livrar do glúten sem uma preparação adequada. É muito importante buscar um profissional para orientá-lo nesse objetivo, se realmente esta for a opção mais indicada para você.

Não há motivos para excluir o glúten da dieta

O diretor do Observatório de Comunicação Científica da Universidade Pompeu Fabra (UPF), Gonzalo Casino, assegurou ao jornal La Vanguardia que não há razões científicas para estabelecer uma dieta sem glúten para uma pessoa saudável.

Casino liderou um estudo no qual foi demonstrado que não existem bases científicas que argumentem a alimentação sem esse elemento em pessoas que não sofrem de doença celíaca. Ele explicou que essa medida não é benéfica para a saúde, porque a fibra contida nos grãos e nos cereais é eliminada.

  • Ele considera que este nutriente é vital para a saúde, pois ajuda a combater doenças cardiovasculares, reduz os riscos de sofrer de alguns tipos de câncer e diabetes tipo 2.
  • Além disso, sua exclusão da dieta pode causar danos intestinais, levar à constipação e gerar doenças respiratórias.

Confira também: Churros sem glúten para celíacos: confira as receitas!

Tome cuidado com as modas

Não se pode negar que o glúten está presente na maioria dos produtos fast food. Não há dúvida de que excluí-los da dieta é uma opção saudável. Agora, não é apenas pelo fato de eliminar essa proteína. Mas sim porque as farinhas refinadas, os açúcares e gorduras ruins são reduzidos.

De acordo com o estudo de Cassino, o mercado de produtos sem glúten motivou a expansão da crença de que essa proteína é prejudicial à saúde.

Leve em conta que esses alimentos se tornaram um negócio de milhões de dólares. Se você quiser perder peso e não tiver problemas com o glúten, garantimos que há muitas opções que o ajudarão a alcançar o seu objetivo.

No entanto, você deve fazer isso sempre com a orientação de um especialista. Uma dieta mal planejada pode causar sérios danos ao seu corpo.

  • Alvarez-Jubete, L., Arendt, E. K., & Gallagher, E. (2010). Nutritive value of pseudocereals and their increasing use as functional gluten-free ingredients. Trends in Food Science and Technology. https://doi.org/10.1016/j.tifs.2009.10.014
  • Pellegrini, N., & Agostoni, C. (2015). Nutritional aspects of gluten-free products. Journal of the Science of Food and Agriculture. https://doi.org/10.1002/jsfa.7101
  • Bascuñán, K. A., Vespa, M. C., & Araya, M. (2017). Celiac disease: understanding the gluten-free diet. European Journal of Nutrition. https://doi.org/10.1007/s00394-016-1238-5
  • Missbach, B., Schwingshackl, L., Billmann, A., Mystek, A., Hickelsberger, M., Bauer, G., & König, J. (2015). Gluten-free food database: the nutritional quality and cost of packaged gluten-free foods. PeerJ. https://doi.org/10.7717/peerj.1337