Dor de garganta por estresse: a que se deve e como agir?

Você já ouviu falar sobre a dor de garganta por estresse? Ensinaremos a seguir tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.
Dor de garganta por estresse: a que se deve e como agir?

Última atualização: 07 Dezembro, 2021

A faringite é a dor ou irritação da cavidade orofaríngea. Os sintomas podem ser bastante intensos e até mesmo impedir que você cumpra as suas obrigações diárias. A dor de garganta por estresse é algo que ouvimos com frequência, mas é verdade que existe faringite por estresse? Continue lendo para descobrir o que os médicos pensam sobre isso.

O estilo de vida de nossa sociedade atual torna quase impossível viver sem estresse. As consequências são sentidas em vários aspectos, desde o físico até o emocional. Às vezes, ele está tão internalizado que nós simplesmente aprendemos a conviver com ele, e não percebemos o dano que ele causa ao corpo. Vejamos o que está por trás de uma dor de garganta por estresse.

Existe dor de garganta por estresse?

A dor de garganta por estresse é real.
Embora nem sempre seja fácil diagnosticar, vários fatores tornam possível o aparecimento da faringite por estresse.

Sim, dor de garganta por estresse é um problema real. Mas como em todos os casos, esta declaração apresenta algumas particularidades. Em primeiro lugar é necessário entender que o estresse é um mecanismo natural que o organismo aciona para lidar com situações ameaçadoras.

Ou seja, você se sente estressado para poder responder melhor aos desafios do dia a dia. Em doses pequenas não há problema mas, quando ele invade a sua vida, as alterações fisiológicas provocadas podem afetar a sua saúde. Por exemplo, existe um consenso unânime entre os pesquisadores de que o estresse enfraquece o sistema imunológico.

Ao fazer isso, o corpo fica exposto a doenças. É neste ponto que podemos entender a presença de uma dor de garganta causada pelo estresse. Um artigo publicado na Inflammation Research em agosto de 2012 aponta que até 40% dos casos de faringite são decorrentes de episódios infecciosos (rinovírus e adenovírus).

A equação está completa: o corpo fica mais enfraquecido para se defender das infecções devido ao estresse prolongado, e um número significativo de casos de dor de garganta pode ser provocado por elas. Por esse motivo, as evidências indicam que, além da faringite, o estresse diário também pode provocar o aparecimento de gripes, dores de cabeça, nas costas e outros problemas de saúde.

Nesta mesma linha de raciocínio, também é possível sofrer uma dor de garganta devido à ansiedade. Quando acontece um episódio de ansiedade, o corpo reage liberando cortisol e adrenalina na corrente sanguínea. Entre muitas outras coisas, esses hormônios podem provocar os seguintes sintomas:

  • Hiperventilação.
  • Tosse ansiosa.
  • Respiração rápida (pela boca).
  • Tensão nos músculos.

Esses mecanismos físicos podem ressecar ou irritar a cavidade orofaríngea, o que pode ser um catalisador para que ocorra uma dor de garganta por ansiedade.

O que você pode fazer para evitar a dor de garganta por estresse?

Uma vez que o estresse (ou a ansiedade de forma geral), são os responsáveis por esses episódios, a primeira coisa que você deve fazer é identificar se algum deles precede a dor de garganta. Isso é muito importante, pois a faringite pode se desenvolver por outras causas.

Se o estresse e ansiedade estiverem de fato associados à dor de garganta, você pode adotar uma série de hábitos para reduzir a influência deles na sua vida. Vejamos o que você pode fazer a respeito com as seguintes dicas:

  • Reduzir o consumo de cafeína: existem evidências de que uma ingestão desproporcional de cafeína pode provocar estresse, ansiedade e até depressão. Tente reduzir o consumo para uma ou duas xícaras por dia.
  • Pratique exercícios físicos regularmente: os pesquisadores concordam que os exercícios regulares reduzem o estresse. Procure fazer pelo menos 150 minutos de atividade física por semana, tempo sugerido pela OMS para uma vida saudável.
  • Mantenha uma alimentação saudável: uma dieta equilibrada ajuda a fortalecer o seu sistema imunológico e, portanto, protegê-lo contra doenças infecciosas. Inclua frutas, verduras e legumes ao seu plano de alimentação semanal.
  • Durma 8 horas completas: estudos mostram que o estresse pode provocar distúrbios do sono. Portanto, tente dormir entre 7 e 8 horas por noite, mas nunca em intervalos (as horas de sono devem ser contínuas).
  • Faça exercícios de respiração: eles podem te ajudar a controlar um episódio de ansiedade e estresse enquanto ele estiver acontecendo. Apresentamos algumas opções neste artigo.
  • Evite o álcool e o tabaco: este são dois hábitos que em excesso podem aumentar o estresse ou a ansiedade. Se você não consegue eliminá-los completamente da sua rotina, pelo menos tente reduzir a presença deles na sua vida.

Basta incluir hábitos saudáveis no seu dia a dia para evitar as dores de garganta por estresse. Se as mudanças parecerem muito abruptas em relação aos seus hábitos atuais, tente incorporá-las gradualmente. Desta forma, você evita o desenvolvimento de estresse e ansiedade como resultado da modificação da sua rotina.

O que eu faço se ainda tiver estresse e dores de garganta?

A dor de garganta por estresse pode ser tratada.
É sempre importante consultar um médico caso o problema de saúde se torne recorrente e incômodo.

Os hábitos que revisamos são os métodos básicos para minimizar o estresse. No entanto, eles podem ser insuficientes para casos de estresse ou ansiedade crônicos. Embora esses hábitos ajudem no tratamento dos episódios, é possível que também seja necessária a mediação de um profissional.

Também existe a possibilidade de que você tenha conseguido reduzir o estresse ou a ansiedade, mas continue sofrendo com dores de garganta. Tenha em mente que infecções bacterianas, alergias, doenças gastrointestinais (como refluxo) e fatores ambientais são outras causas para a dor de garganta.

Nesse sentido, consultar um especialista é a escolha acertada. Principalmente se você começou um tratamento que não foi eficaz até o momento. Um médico determinará as causas da faringite, o que por sua vez permitirá a escolha de um tratamento eficaz.

A dor de garganta por estresse é real, e também pode ser provocada pela ansiedade. O tratamento é feito atacando o problema, o que exige uma série de mudanças no estilo de vida. Se os episódios persistirem, é importante consultar um especialista para aprofundar nas causas e buscar o tratamento mais adequado.

Pode interessar a você...
Como tratar a dor de garganta com mel e água morna
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como tratar a dor de garganta com mel e água morna

A dor de garganta pode ser causada por uma infecção viral ou bacteriana. Caso ela não melhore com remédios naturais, consulte um médico.



  • DeLongis, A., Folkman, S., & Lazarus, R. S. The impact of daily stress on health and mood: psychological and social resources as mediators. Journal of personality and social psychology. 1998; 54(3): 486.
  • Edenfield, T. M., & Blumenthal, J. A. Exercise and stress reduction. 2011.
  • Glaser, R., & Kiecolt-Glaser, J. K. Stress-induced immune dysfunction: implications for health. Nature Reviews Immunology. 2005; 5(3): 243-251.
  • Jin, M. J., Yoon, C. H., Ko, H. J., Kim, H. M., Kim, A. S., Moon, H. N., & Jung, S. P. The relationship of caffeine intake with depression, anxiety, stress, and sleep in Korean adolescents. Korean journal of family medicine. 2016; 37(2): 111.
  • Renner, B., Mueller, C. A., & Shephard, A. Environmental and non-infectious factors in the aetiology of pharyngitis (sore throat). Inflammation research. 2012; 61(10): 1041-1052.
  • Sanford, L. D., Suchecki, D., & Meerlo, P. Stress, arousal, and sleep. Sleep, neuronal plasticity and brain function. 2014; 379-410.