15 doenças de pele comuns e como tratá-las

Nem todas as doenças de pele comuns são graves. No entanto, é importante identificar quais são os sintomas, causas e tratamentos.
15 doenças de pele comuns e como tratá-las

Última atualização: 19 março, 2022

Entre as doenças de pele mais comuns estão a psoríase, acne, herpes e vitiligo, entre outras. Algumas não provocam um grande desconforto, mas outras, no entanto, podem afetar a qualidade de vida da pessoa.

Em relação ao tratamento, este costuma ser tópico, embora varie de acordo com o tipo e a causa. Cremes ou pomadas podem ser usados, e também são aplicados alguns remédios caseiros e cuidados feitos em casa.

O que são doenças de pele?

Para começar, é importante observar que as doenças comuns de pele diferem dos sintomas das lesões cutâneas. As primeiras constituem um conjunto de condições de origem muito diversa: infecções bacterianas, virais ou por fungos, parasitas, inclusive fatores hereditários.

Por outro lado, existem patologias como o lúpus eritematoso sistêmico, que pode afetar vários órgãos (rins, cérebro), bem como as articulações. O mesmo se aplica às reações alérgicas, que podem ser decorrentes do consumo de algum medicamento, de uma picada de inseto ou até mesmo de uma picada de aranha.

Doenças de pele comuns

A seguir mostraremos as doenças de pele mais comuns, seus sintomas, causas e fatores que contribuem para o aparecimento ou agravamento de cada uma.

Vitiligo

O vitiligo é causado pela perda de células (melanócitos), que produzem o pigmento da pele (melanina). Embora essa doença possa afetar qualquer pessoa, ela é mais perceptível em pessoas com pele escura. A causa é desconhecida. Acredita-se que pode haver uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

O vitiligo não é contagioso ou grave. No entanto, aqueles que sofrem com ele podem se sentir emocionalmente afetados.

Por outro lado, alguns estudos alertam para um possível aumento no risco de câncer de pele não melanoma (CPNM) em pacientes com vitiligo, com maior predominância entre os caucasianos.

Acne

A acne é uma das doenças de pele mais comuns. Ela é comum em pessoas entre as idades de 14 e 18 anos. Caracteriza-se pela presença de folículos inflamados, entupidos com sebo, células mortas e bactérias.

Espinhas aparecem no rosto, pescoço, ombros, costas e até braços. Existem vários fatores genéticos, ambientais e pessoais que determinam a gravidade do quadro. Embora geralmente ela diminua com o tempo, a acne adulta também pode se manifestar.

Adolescente com acne.
A acne é típica da adolescência e juventude. Com o tempo, ela tende a desaparecer na maioria das pessoas.

Herpes

Esta doença se deve a uma infecção causada pelo vírus herpes simplex ou HSV. Existem vários tipos:

  • Herpes labial, que produz feridas na boca.
  • Herpes genital, que é sexualmente transmissível e pode afetar, além dos órgãos sexuais, o ânus ou a área ao redor dele.

Em ambos os casos as lesões são caracterizadas por uma bolha vermelha que queima ou dói. Essa bolha supura um líquido amarelo antes de formar uma crosta. Ela pode reaparecer em resposta a situações estressantes.

Herpes zoster

Esta forma é causada pela reativação do vírus varicela-zoster. Os sintomas mais comuns de herpes zoster geralmente são semelhantes aos do outro herpes, com queimação, sensibilidade, bolhas cheias de líquido e crostas.

Catapora

A catapora é causada pelo vírus acima mencionado. No entanto, nesse caso o paciente apresenta febre, mal-estar, dor de garganta e a erupção é mais generalizada. É uma doença muito contagiosa.

Impetigo

Uma das doenças de pele mais comuns é o impetigo, que é bastante comum em crianças.

Ela tem origem infecciosa e é provocada por estafilococos (S. aureus ou pyogenes). Existem dois tipos: bolhoso e não bolhoso.

No impetigo ocorre uma erupção cutânea com presença de irritação ao redor da boca, queixo e nariz, mas também em outras áreas como peito, costas e axilas. As bolhas se enchem de líquido e estouram, formando crostas.

Dermatite de contato

Esta dermatite é de origem alérgica. Ocorre quando a pessoa entra em contato com uma substância (alérgeno) que desencadeia uma reação. A dermatite provoca coceira, vermelhidão, ressecamento e descamação.

Eczema

Outra doença de pele comum é a dermatite atópica. Esse tipo de eczema é recorrente em pessoas com pele já sensibilizada ou com um histórico familiar ou pessoal de alergias, incluindo intolerâncias alimentares. Os sintomas são vermelhidão da pele, coceira, e geralmente a doença é exacerbada em determinadas circunstâncias ou diante de certos agentes.

Psoríase

A psoríase é devida ao acúmulo de células mortas da pele, pois seu ciclo de vida é acelerado. O sintoma mais comum é a descamação, que se parece com manchas brancas ou prateadas no couro cabeludo, cotovelos, joelhos e outras partes do corpo. Ela pode se apresentar com coceira.

Pé de atleta

Das várias doenças de pele comuns, o pé de atleta se caracteriza por começar e se desenvolver em uma área específica: o espaço entre os dedos. É causado por fungos conhecidos como dermatófitos, que são os mesmos que causam a micose.

Os sintomas são os seguintes:

  • Erupções cutâneas.
  • Ardência.
  • Vermelhidão.
  • Descamação.

Essa é uma doença altamente contagiosa pelo contato direto com a pessoa infectada ou pelo uso de qualquer objeto pessoal, como toalhas, sapatos ou chinelos. Da mesma forma, usar meias ou sapatos molhados ou apertados e andar descalço em locais públicos favorece o desenvolvimento do pé de atleta.

Celulite (infecção)

A infecção bacteriana de pele conhecida como celulite é uma condição diferente da alteração do tecido adiposo de mesmo nome, que afeta apenas do ponto de vista estético. Pelo contrário, essa celulite exige cuidado, por isso requer atenção médica imediata.

Ela é causada por bactérias ou fungos que infectam a pele, entrando por feridas abertas. Geralmente se manifesta com erupções cutâneas, vermelhidão da pele, inchaço, sensibilidade, dor, sensação de calor e febre.

Queratose actínica

A queratose actínica é uma das causas mais frequentes de consultas dermatológicas, o que nos faz entender o motivo de ela estar entre as doenças de pele comuns. Ela se caracteriza por ser uma mancha áspera e escamosa com o aspecto de uma mancha espessa.

Ela pode medir cerca de 2 centímetros ou menos, e aparece principalmente em áreas do corpo frequentemente expostas ao sol. São consideradas lesões pré-cancerosas.

Cistos epidermóides

Esses cistos são pequenos caroços cheios de queratina que crescem sob a pele. Às vezes eles têm a aparência de um furúnculo, embora sem pus.

Os cistos podem aparecer no couro cabeludo, rosto e pescoço. Os maiores são sensíveis e doem quando pressionados. Eles não são pré-cancerosos.

Sarna

A sarna ou escabiose é outra doença de pele comum. É causada por ácaros chamados Sarcoptes scabiei. Ela provoca muita coceira. É contagiosa, embora sua manifestação seja condicionada pela falta de higiene.

Câncer de pele

O câncer de pele é provocado pelo crescimento de células anormais, causado principalmente pela radiação ultravioleta. Por isso, ele costuma ser mais frequente em áreas expostas ao sol (rosto, braços).

Entre os primeiros sintomas visíveis geralmente estão os seguintes:

  • Manchas ou lesões escuras, inclusive nas mucosas.
  • Pintas que sangram, aumentam de tamanho ou escurecem.
  • Lesões com bordas irregulares que coçam ou ardem.

Fatores ambientais e genéticos influenciam em sua manifestação e desenvolvimento. Ter um histórico familiar aumenta o risco de sofrer com essa doença. O tipo mais perigoso é o melanoma.

O melanoma é uma doença de pele comum.
O melanoma é uma forma de câncer de pele. Embora sua remoção quase sempre resolva o problema, o ideal é não deixá-lo evoluir.

Tratamento das doenças de pele comuns

O tratamento para estas doenças de pele comuns depende do tipo, da causa e até da gravidade de cada quadro. As opções incluem as seguintes:

  • Cirurgia no caso de câncer, para remoção do tecido maligno.
  • Quimioterapia e radioterapia.
  • Tratamento tópico com cremes e pomadas para amenizar sintomas como coceira, no caso da psoríase, por exemplo.
  • Corticosteroides e anti-inflamatórios.
  • Retinóides.
  • Antifúngicos e antibióticos.
  • Anti-histamínicos para a dermatite de contato.
  • Fototerapia.
  • Tratamentos estéticos para despigmentação no caso de vitiligo.

Cuidados e prevenção das doenças de pele comuns

Além dos tratamentos recomendados pelo médico, alguns remédios caseiros podem ajudar no controle dos sintomas. Desde que isso seja feito sob supervisão médica e tais remédios não sejam aplicados para substituir a medicação convencional prescrita.

Esses cuidados incluem banhos de camomila, aveia ou outros produtos naturais; o uso de aloe vera de forma tópica; aplicação de gelo no local para reduzir o ardor ou inflamação.

Embora nem todas as doenças comuns de pele possam ser prevenidas, é possível evitar o aparecimento de algumas tomando certas medidas, como uma higiene adequada, não ter contato com substâncias que possam irritar a pele e evitar a exposição excessiva ao sol.

This might interest you...
Infecções de pele: tipos, causas e tratamentos
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Infecções de pele: tipos, causas e tratamentos

As infecções de pele costumam causar grande desconforto. Por isso, é vital reconhecer as causas mais comuns e como tratá-las.



  • Acosta Colmán I, Ávila G, Acosta M, et al. Manifestaciones clínicas y laboratoriales en el Lupus Eritematoso Sistémico-LES. Mem. Inst. Investig. Cienc. Salud. 2016; 14(1): 94-109.
  • Chouela E. Epidemiología y genética de la psoriasis. Dermatología Argentina. 2011; 17 (3): 236-239.
  • Daoud Z., Ramos Amador J, Morillo Gutiérrez B, Muñoz Hiraldo E. Infecciones por virus Herpes simplex 1 y 2 (v.2/2018). Guía ABE. Infecciones en Pediatría. Guía rápida para la selección del tratamiento antimicrobiano empírico [en línea]. URL disponible en http://www.guia-abe.es/
  • Enríquez-Mejía M. Fisiopatología del lupus eritematoso sistémico. Revista de Medicina e Investigación. 2013; 1(1):8-16.
  • Varios. Diagnóstico y tratamiento de la queratosis clínica. México DF: Instituto Mexicano del Seguro Social, 2008.
  • Puig L, Villarasa E. Tiña interdigital de los pies (pie de atleta): su diagnóstico y últimos avances en su tratamiento. Madrid: Grupo Saned, 2008.