O que é dermatite atópica?

15 de setembro de 2019
A dermatite atópica é uma doença de pele que aumentou nos últimos anos. Atualmente, um quinto das crianças sofre com ela. Geralmente afeta os pequenos, mas pode ocorrer em qualquer idade. 

A dermatite atópica é uma doença de pele que causa vermelhidão e coceira. É mais comum em crianças, mas pode ocorrer em qualquer idade. Geralmente é duradoura ou crônica, mas remete por alguns períodos e depois é exacerbada. 

Acredita-se que esta doença afete atualmente aproximadamente 20% das crianças em todo o mundo. É um pouco mais frequente nos países desenvolvidos do hemisfério norte, mas ocorre em todo o planeta. De 3 a 5% das crianças com dermatite atópica continuarão sofrendo até a idade adulta. 

A incidência desta doença está aumentando. Isso se deve aos efeitos da poluição ambiental e a hábitos inadequados de vida, nos quais predominam o estresse e o sono ruim. Até o momento, nenhuma cura foi encontrada para essa doença, mas há várias investigações em andamento. 

Descrição da dermatite atópica 

Dermatite atópica causa coceira

A dermatite atópica, também conhecida como eczema, é um distúrbio que se manifesta como vermelhidão e coceira na área da pele. A pele atópica é caracterizada por sua secura. Isso leva à descamação e irritação, causando sintomas irritantes, como coceira. Às vezes, resulta no aparecimento de pequenos inchaços aquosos. 

Segundo a Associação Espanhola de Pediatria, a dermatite atópica pode ser classificada em três grupos: 

  • Do lactente. Começa a se manifestar aos cinco meses de vida e localiza-se principalmente na face, com exceção da boca, nariz e área ao redor dos olhos. Às vezes, também aparece no couro cabeludo, orelhas e costas das mãos. O prurido é constante. 
  • Infantil. É um tipo de dermatite atópica que começa em torno de 2 anos e permanece até os 7 anos, ou até a puberdade. Ocorre principalmente nos cotovelos e joelhos, embora possa aparecer em qualquer parte do corpo. 
  • Do adulto. Esta dermatite ocorre após a puberdade, e nela, aparecem algumas placas na pele, geralmente com escoriações. Afeta principalmente as costas das mãos, a zona de flexão dos pulsos, pernas e pés. 

Você pode estar interessado em ler também: Como fazer um sabonete caseiro de glicerina, própolis e argila para a dermatite

Causas 

A ciência não estabeleceu com precisão as causas desta doença. O que se sabe é que existem vários fatores que podem influenciar seu desencadeamento ou agravamento. Esses fatores são: 

  • Genética. Até o momento, acredita-se que a principal causa da dermatite atópica seja a predisposição genética. Filhos de pais que tiveram febre do feno ou algum tipo de alergia desenvolvem a doença com mais frequência. 
  • Idade da mãe. Verificou-se que quanto mais velha a mãe estiver no momento do parto, maior a probabilidade de a criança sofrer de dermatite atópica. 
  • Meio ambiente. A doença aparece com mais frequência em cidades poluídas, de clima frio. Também é mais frequente em lugares onde o tabaco é fumado ou há muita poeira. 

Da mesma forma, foi estabelecido que o estresse e a insônia são desencadeadores da doença. O suor também parece influenciar, assim como o uso de roupas de lã ou nylon. A dermatite atópica geralmente aparece naqueles que têm alergias alimentares ou de outro tipo. 

Leia também: 6 alterações que você deve fazer em sua dieta para cuidar da pele

Sintomas e diagnóstico 

Marcas da dermatite

O principal sintoma da dermatite atópica são as lesões de pele. Estas têm uma aparência exsudativa, crostrosa e de cor vermelha. E são acompanhadas por uma coceira muito intensa e prolongada. Muitas vezes, isso leva a distúrbios emocionais por causa da recorrência do prurido. 

Nos lactentes as lesões são vesiculares e exsudativas. Nas crianças, a aparência das lesões é seca, coriáceas e espessa. Nos adultos, as lesões também são coriáceas e são hiper ou hipopigmentadas, ou seja, com pouca ou muita cor. 

Sem dúvida alguma, aqueles que sofrem desta doença há muito tempo correm maior risco de desenvolver catarata entre 20 e 30 anos de idade. A ciência não sabe o motivo. E também são mais propensos a desenvolver eczema herpético, se tiverem herpes simples

O diagnóstico da doença é geralmente feito a olho nu. Um exame de pele e uma análise do histórico médico são geralmente suficientes. Às vezes, alguns testes são feitos com adesivos, mas raramente são necessários testes de laboratório. 

Então, você está tendo sintomas de dermatite atópica? Nesse caso, visite seu dermatologista de confiança o mais rápido possível. O profissional será responsável por fornecer um diagnóstico e tratamento adequados.

  • Garnacho-Saucedo, G., Salido-Vallejo, R., & Moreno-Giménez, J. C. (2013). Actualización en dermatitis atópica. Propuesta de algoritmo de actuación. Actas Dermo-Sifiliográficas, 104(1), 4-16.
  • Al-Shobaili HA, Ahmed AA, Alnomair N, Alobead ZA, Rasheed Z. Molecular Genetic of Atopic dermatitis: An Update. Int J Health Sci (Qassim). 2016;10(1):96–120.
  • Barnes KC. An update on the genetics of atopic dermatitis: scratching the surface in 2009. J Allergy Clin Immunol. 2010;125(1):16–31. doi:10.1016/j.jaci.2009.11.008
  • Thomsen SF. Atopic dermatitis: natural history, diagnosis, and treatment. ISRN Allergy. 2014;2014:354250. Published 2014 Apr 2. doi:10.1155/2014/354250
  • Kolb L, Ferrer-Bruker SJ. Atopic Dermatitis. [Updated 2019 Feb 22]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK448071/
  • Kapur S, Watson W, Carr S. Atopic dermatitis. Allergy Asthma Clin Immunol. 2018;14(Suppl 2):52. Published 2018 Sep 12. doi:10.1186/s13223-018-0281-6