Doença de Paget: tudo o que você precisa saber    

19 de outubro de 2019
A doença de Paget é uma doença que afeta os ossos, alterando sua densidade e, com isso, suas características e funcionalidade.  

A doença de Paget é uma doença que afeta os ossos, alterando suas características e funcionalidade. Assim, as estruturas ósseas podem variar em termos de consistência, densidade e tamanho uniforme. Também é chamado de osteíte deformante.

Atualmente, está provado que afeta mais frequentemente certos ossos, como coluna vertebral, crânio, pelve ou fêmur.

Como funciona o tecido ósseo? 

Em geral, no tecido ósseo podem ser encontradas células características: osteoclastos e osteoblastos. Os primeiros são responsáveis ​​por destruir o tecido ósseo antigo ou desatualizado, enquanto os últimos regeneram as áreas correspondentes. Dessa maneira, nossos ossos são renovados continuamente, graças às funções coordenadas dessas células.

No entanto, na doença de Paget, os osteoclastos e osteoblastos agem de forma mais rápida e hiperativa. Isso faz com que certas regiões dos ossos cresçam de maneira anormal, e possam ser mais frágeis.

Sintomas da doença de Paget 

Uma alta porcentagem de casos clínicos é assintomática, ou seja, os pacientes não apresentam sintomas. No entanto, é possível que os indivíduos desenvolvam uma série de sinais ou alterações associadas a esse transtorno. Então, entre os sintomas mais comuns estão:

  • Dor intensa nos ossos que se mantém constante ao longo do tempo, em repouso ou executando um movimento.
  • Desconfortos nas articulações que podem levar à osteoartrite. Como regra geral, aparecem com mais frequência em certas estruturas, como quadril, joelhos ou ombros.
  • Cefaleia ou dor de cabeça: pode aparecer junto com a perda auditiva.
  • Cifose ou dormência na coluna vertebral.
  • Crânio pagético: aumento das dimensões desse conjunto de ossos.
  • Formação de outras deformidades ósseas, como o fêmur em cajado ou a tíbia em sabre.
  • Aumento da temperatura na pele perto dos ossos afetados.
  • Suscetibilidade a fraturas.
Pessoa com a perna imovilizada

Veja também: 5 exercícios que você deve praticar se quiser cuidar dos ossos

Causas 

A causa do desenvolvimento desta doença é desconhecida. No entanto, de acordo com uma pesquisa, pode ser devido a uma infecção de origem viral, como o sarampo. Também está sendo verificada a influência de fatores genéticos (história familiar) e fatores ambientais (exposição a certas substâncias químicas).

Diagnóstico 

Em geral, a equipe médica realiza uma série de exames médicos que permitem a identificação desse transtorno, e o descarte de outros com sintomas semelhantes. Para isso é realizado:

  • Exame físico: especialistas verificam os sintomas, se houver antecedentes, e o histórico clinico do paciente.
  • Radiografias nas quais são avaliadas as áreas de criação e destruição rápida do osso.
  • Tomografia axial computadorizada ou TAC.
  • Radiografia gama
  • Biópsia óssea
  • Outros exames de rotina, como análise de sangue e urina.

Tratamento da doença de Paget 

Normalmente, não é necessário um tratamento concreto para esta doença, pois grande parte dos casos é assintomática. No entanto, a equipe médica pode recomendar a aplicação de certas terapias nos casos mais graves:

  • Primeiramente, o uso de medicamentos ou remédios: principalmente compostos de bifosfonatos e calcitonina. Também podem ser recomendados anti-inflamatórios, para reduzir a inflamação e analgésicos, para aliviar a dor ou o desconforto.
  • Finalmente, intervenções cirúrgicas, em caso de fratura, dor intensa, ou deformação grave dos ossos.
Ossos afetados por Paget

Você pode estar interessado: Bebida de dente-de-leão: um remédio caseiro para cuidar dos seus ossos

Prevenção

Infelizmente, ainda não foi encontrada uma série de medidas que podem reduzir efetivamente o risco desta doença. No entanto, é importante cuidar da nossa saúde para desfrutar de uma qualidade de vida adequada.

Para isso, apenas precisamos realizar uma atividade física moderada juntamente com o consumo de uma dieta equilibrada, adequada e saudável. Também é aconselhável evitar a prática de hábitos não saudáveis, como alcoolismo, fumo, ou consumo de substâncias tóxicas, como drogas.

Por fim, deve-se notar que a doença de Paget está relacionada a variantes genéticas, que predispõem a pessoa a sofrer alterações no metabolismo ósseo. Por esse motivo, é importante relatar se há casos familiares e realizar um histórico clínico completo que, além dos familiares afetados, inclua o grau de afetação e limitação que produz.

  • Fishlock, A., & Patel, N. (2018). Paget’s disease of bone. Orthopaedics and Trauma. https://doi.org/10.1016/j.mporth.2018.05.009
  • Siris, E. S., Roodman, G. D., & Ralston, S. H. (2013). Paget ’ s Disease of Bone. Primer on the Metabolic Bone Diseases and Disorders of Mineral Metabolism. https://doi.org/10.1002/9781118453926.ch80
  • Consiglieri, G. D., & Sonntag, V. K. H. (2014). Paget’s Disease. In Encyclopedia of the Neurological Sciences. https://doi.org/10.1016/B978-0-12-385157-4.00771-5
  • Ralston, S. H., Langston, A. L., & Reid, I. R. (2008). Pathogenesis and management of Paget’s disease of bone. The Lancet. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(08)61035-1
  • Klein, G. R. (2006). Surgical Manifestations of Paget ’ s Disease. October. https://doi.org/10.1038/sj.hdy.6801015