Diga o que você come e direi o que você tem

· 21 de setembro de 2015
Uma alimentação equilibrada é sinônimo de um corpo saudável, por isso não devemos nos esquecer de basear a nossa dieta no consumo de frutas e verduras, assim como de gorduras saudáveis.

A alimentação desempenha um papel muito importante em nossa vida e em nossa saúde, já que através dela podemos oferecer ao organismo os nutrientes e substâncias das quais ele precisa para funcionar corretamente. Assim, mostraremos que o que você come é fundamental.

No entanto, no outro extremo da boa alimentação, uma má alimentação poderia se converter no pior inimigo da saúde. Isso pois alimentos pouco saudáveis não contam com nutrientes e estão carregados de substâncias que podem fazer mal ao organismo.

Os números de má alimentação no mundo são muito preocupantes, já que o ritmo da vida cotidiana somado ao interesse econômico da indústria alimentícia fez com que muitas pessoas vissem no fast food uma opção de alimentação.

Pizza, hambúrguer, batata frita, cachorro-quente, carnes processadas, doces e refrigerantes, entre outros. Esses alimentos estão transformando nossos hábitos alimentares em uma verdadeira bomba relógio contra a saúde.

Mitos e verdades sobre o que você come

O tema da alimentação é muito amplo, e seria necessário analisar cada dieta separadamente para determinar possíveis problemas de saúde relacionados com a mesma.

No entanto, a nível geral, há várias formas de analisar o que se come para termos uma ideia do tipo de condição que podemos sofrer, ou com as quais já sofremos.

O que você come é fundamenta para definir a composição e saúde do seu corpo.

Proteínas

É importante aprender a diferenciar os tipos de proteínas necessárias para o nosso corpo daquelas que podem nos fazer mal. As proteínas de origem vegetal e as provenientes das carnes magras têm um efeito positivo no organismo. Ajudam a criar massa muscular e também a fortalecê-la.

Por outro lado, as carnes vermelhas contêm gorduras tóxicas, restos de toxinas, medicamentos, dissolventes, aditivos e hormônios, entre outros compostos que podem afetar o sistema digestivo e causar doenças.

Várias pesquisas determinaram que comer carne vermelha cinco vezes por semana leva a um risco quatro vezes maior de padecer de câncer de cólon, em comparação com aqueles que a consomem uma vez por mês.

Leite

Mitos sobre o que você come

Durante décadas foi falado que o consumo de leite era essencial para obter níveis de cálcio adequados para o organismo. No entanto, a verdade é que esta informação foi desmentida. Atualmente, sabe-se que não necessariamente precisamos tomar leite para obter cálcio.

O que as pesquisas descobriram é que o consumo de leite está relacionado ao surgimento de diferentes problemas de saúde. Por exemplo, problemas circulatórios, respiratórios, alergias e diabetes, entre outros.

Além disso, sabe-se que ele contém proteínas como a caseína, que poderia influenciar o desenvolvimento de diferentes tipos de câncer.

Açúcar

Este alimento é um dos mais consumidos em todo o mundo, e também um dos mais prejudiciais para o organismo. O açúcar leva ao vício e, além disso, é a principal causa da diabetes, doença que afeta 300 milhões de pessoas em todo o mundo, e que ao ano provoca cerca de 5% das mortes.

O açúcar reduz a imunidade, alimenta as células cancerígenas, libera adrenalina, acumula gorduras e provoca nervosismo e depressão.

Leia também: A importância de uma boa alimentação para um estilo de vida saudável

A pirâmide alimentar modificada

Benefícios da salada e o que você come

Até algum tempo atrás, a pirâmide alimentar tinha os doces no topo, seguidos dos laticínios, das frutas e verduras e, finalmente, dos carboidratos.

Na atualidade a pirâmide foi completamente modificada. Agora contém os hidratos acima, seguidos dos laticínios e do vinho tinto. Mais abaixo estão os frutos secos, aves, peixes, mariscos e cereais integrais.

Por último, na base da pirâmide, estão as frutas, verduras, o azeite de oliva extra virgem e gorduras saudáveis ricas em ômega 3.

Cada um deve ser consciente do tipo de alimentação que mantém e quais alimentos está consumindo. Assim, pode fornecer ao organismo os nutrientes essenciais para cada uma de suas funções.

A carência de nutrientes pode causar diversos problemas de saúde no curto prazo, que podem inclusive ser difíceis de solucionar. Além disso, é importante lembrar que a má alimentação é a principal causa da obesidade, de problemas cardiovasculares, depressão, problemas no fígado e nos rins, entre outros.

Leia mais: Os perigos da má alimentação

Outro ponto importante é que os alimentos perdem muitas de suas propriedades durante o seu processamento e cocção. Recomenda-se ingerir, sempre que possível, alimentos orgânicos, já que estes contêm menos químicos adicionados. Além disso, não foram submetidos a fertilizantes e pesticidas que podem afetar negativamente a saúde.

Para terminar, é muito importante ficar atento ao controle nutricional do que se come quando se sofre de algum tipo de transtorno alimentar. Se necessário, a falta de nutrientes deve ser satisfeita através do consumo de suplementos. No entanto, o ideal é sempre ingeri-los por meio de alimentos naturais.

  • Candeias, V., Nunes, E., Morais, C., Cabral, M., & Silva, P. R. D. (2005). Princípios para uma Alimentação Saudável.
  • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentção Saudável para a pessoa idosa: um manual para profissionais de saúde. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2009. (2014). Guia alimentar para a população brasileira Promovendo a Alimentação Saudável. Ministério Da Saúde. https://doi.org/10.1111/j.1467-8624.2009.01380.x.How