Diagnóstico e tratamento da uveíte

A uveíte é uma doença ocular caracterizada pela inflamação da úvea, um tecido intermediário do olho. Seu diagnóstico e tratamento vão depender da causa subjacente.
Diagnóstico e tratamento da uveíte

Última atualização: 02 Fevereiro, 2021

O que você sabe sobre o diagnóstico e o tratamento da uveíte? Esta é uma patologia caracterizada pela inflamação da úvea, a camada intermediária de tecido ocular localizada entre a esclera e a retina. Segundo portais como a Clínica Mayo, a doença se manifesta com vermelhidão nos olhos, visão turva e dor. Além disso, tende a piorar rapidamente.

Como mostram os estudos médicos, a forma crônica desse distúrbio está associada a complicações como o glaucoma e o descolamento de retina. Por isso, é fundamental conhecer seus sinais, diagnóstico e tratamento. Descubra-os a seguir!

O que é a uveíte?

A uveíte é uma forma de inflamação ocular. A úvea é a lâmina ocular intermediária e, portanto, é altamente irrigada por capilares sanguíneos. Na verdade, é por esses canais que entram as células imunes que provocam a resposta inflamatória indesejável.

A página médica do Portal Clínic Barcelona fornece dados muito interessantes sobre a distribuição da uveíte. Alguns deles são os seguintes:

  • Esta doença ocular é considerada uma doença rara pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
  • Junto com a diabetes mellitus, a uveíte é a principal causa de cegueira na faixa etária ativa, o que se traduz em um alto impacto socioeconômico.
  • Nos Estados Unidos, 10% de todos os casos de cegueira são provocados ​​pela uveíte. Na Espanha, cerca de 47.000 pessoas são afetadas pela doença.

Todos esses números revelam que esta é uma doença muito mais disseminada do que poderia ser considerada à primeira vista. Além disso, o portal citado aponta que existem diferentes tipos de uveíte dependendo do local de acometimento. Estes são os seguintes:

  • Irite: afeta a parte frontal do olho. É acompanhada por vermelhidão ocular, dor e fotofobia (rejeição à luz).
  • Uveíte intermediária: neste caso, a substância gelatinosa que dá o tom dos olhos e que preenche a cavidade vítrea (humor vítreo) se inflama. Podem se formar acúmulos de células inflamatórias flutuantes nesta substância.
  • Uveíte posterior: inflamação da retina ou da coroide.
  • Panuveíte: quando a doença se manifesta na parte frontal e posterior do olho.

Uma vez descrita a incidência desta doença na população geral e os possíveis subtipos, é hora de mergulhar no diagnóstico e no tratamento da patologia.

Médico examinando olho
A uveíte é uma doença ocular associada à cegueira. A Organização Mundial da Saúde (OMS) a classifica como uma doença “rara".

Diagnóstico e tratamento da uveíte

Para combater a doença, primeiro é necessário conhecer suas causas. O National Eye Institute (NIH) explica os possíveis motivos que levam ao aparecimento da uveíte. Alguns deles são os seguintes:

  • Um ataque incorreto do próprio sistema imunológico do corpo (doenças autoimunes).
  • Processos infecciosos que ocorrem dentro do olho.
  • Tumores associados ao aparelho ocular.
  • Danos e lesões oculares.
  • Entrada de substâncias tóxicas no olho.
  • Certas doenças, como HIV, toxoplasmose, tuberculose e muitas outras.

Diagnóstico

O diagnóstico da uveíte requer um histórico médico detalhado do paciente, uma vez que as causas podem ser múltiplas e muito pouco relacionadas entre si. O exame oftalmológico costuma ser a primeira das etapas, já que essa patologia está associada à perda de visão.

O oftalmologista pode sugerir a realização de vários testes, como:

  • Exames de acuidade visual.
  • Exame fundoscópico (da parte posterior do olho).
  • Medição da pressão ocular.
  • Inspeção do olho com lâmpada de fenda.

Infelizmente, em pessoas com uveíte intermediária, podem ser necessários exames para avaliar o sistema nervoso central. A razão? Vários estudos a identificaram como um sintoma de esclerose múltipla em seus estágios iniciais.

Outras fontes afirmam que um exame de sangue pode facilitar o diagnóstico da doença. Esse distúrbio ocular pode apresentar várias complicações quando detectado, mas o primeiro passo é sempre diferenciar se a causa é infecciosa ou não infecciosa.

Tratamento da uveíte

O tratamento da uveíte se baseia na eliminação da inflamação da úvea, aliviando a dor local e evitando maiores danos aos tecidos. Ainda assim, a causa determinará o fármaco de escolha, já que uma infecção bacteriana no olho não tem nada a ver com um distúrbio autoimune. Assim, os medicamentos geralmente utilizados podem ser divididos em três grupos:

  1. Anti-inflamatórios: medicamentos esteroides, geralmente prescritos na forma de colírios.
  2. Antibióticos ou antivirais: com o objetivo de combater e eliminar o foco infeccioso viral ou bacteriano que causa a dor.
  3. Moduladores do sistema imunológico: drogas imunossupressoras que têm como alvo elementos específicos do sistema imunológico do paciente.
Mulher aplicando colírio
O tratamento da uveíte varia de acordo com a sua causa. É necessário estabelecer se a sua origem é infecciosa ou não.

O que devemos lembrar sobre a uveíte?

Como vimos, a uveíte é um distúrbio ocular caracterizado por um processo inflamatório de múltiplas causas. Essa patologia pode ser explicada por processos infecciosos como colonizações bacterianas no olho, doenças neurodegenerativas tão complexas quanto a esclerose múltipla, entre outras.

Por esse motivo, o diagnóstico e o tratamento dessa enfermidade podem ser complexos. De qualquer forma, diante de uma dor ocular persistente, a consulta médica torna-se essencial.

Pode interessar a você...

Como tratar os olhos lacrimejantes em bebês
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como tratar os olhos lacrimejantes em bebês

Os olhos lacrimejantes em bebês podem ser o resultado de um bloqueio do canal lacrimal ou do desenvolvimento de conjuntivite. Veja como tatá-los