Cuidados antes e depois de uma cesariana

O cuidado que deve ser realizado antes e depois de uma cesárea é muito importante para evitar a infecção e prevenir complicações tanto para a mãe quanto para o bebê.
Cuidados antes e depois de uma cesariana

Última atualização: 01 Março, 2021

Hoje, a cesariana é considerada  o procedimento mais seguro para resolver as possíveis complicações que podem surgir durante um parto vaginal. Portanto, a cesariana é um tipo de intervenção cirúrgica. Consiste em fazer uma incisão no abdômen e no útero da mulher para extrair o bebê.

É importante não confundir a cesárea com a episiotomia, que consiste em fazer uma incisão no períneo para facilitar o parto, diferentemente da cesárea, que é realizada acima da pelve.

Anteriormente, essa operação só era usada em casos em que a vida da mãe corria perigo e o feto estava vivo. Porém, posteriormente essa técnica passou a ser usada nos casos em que a realização do parto natural era inviável, conforme apontam diversos estudos.

Atualmente, é a operação cirúrgica obstétrica mais frequente nas sociedades dos países desenvolvidos. Nos últimos anos, o número de cesarianas aumentou consideravelmente.

Na literatura científica, indica-se que na década de 60 apenas 5% dos partos eram realizados por cesárea e na década de 90 esse percentual subia para 25%. Mais informações sobre isso podem ser encontradas em várias publicações da Organização Mundial da Saúde e outras instituições.

Quando é realizada uma cesariana?

Os ginecologistas recomendam a cesariana quando o parto vaginal pode ser arriscado tanto para a gestante quanto para o bebê. Algumas possíveis complicações podem ocorrer porque o parto é complicado e prolongado. A mulher pode ter uma pélvis anormal, pode estar exausta ou ter malformações uterinas.

Se o feto ou o bebê estiver em sofrimento, o médico também costuma realizar uma intervenção cirúrgica.

Outra razão pode ser que existam complicações como a pré-eclampsia ou eclampsia, bem como nascimentos múltiplos ou deslocamento do bebê, ou seja, quando a cabeça fica virada para cima em vez de em direção à pélvis. Outras razões pelas quais o médico pode optar por realizar a cesariana e não por meios naturais podem ser:

  • Masocromia.
  • Pelvis contraída.
  • Evidência de infecção intrauterina.
  • Falha na indução do parto.

Tenha em mente que diferentes especialistas podem ter opiniões diferentes sobre quando recomendar uma cesariana.

Preparações antes da cesariana

Preparações antes da cesariana

A primeira coisa que a mulher que vai ser submetida a uma cesárea deve fazer é entender por que a operação deve ser realizada. Portanto, o médico responsável deve explicar o procedimento corretamente.

Um resumo do procedimento deve ser apresentado para preparar mentalmente a paciente. Normalmente, a maioria das cesarianas segue os mesmos passos.

Por outro lado, algumas mães decidem solicitar uma cesárea planejada. No entanto, é sempre recomendável planejar um parto vaginal, a menos que a cesariana seja clinicamente necessária. É por isso que você deve ter em mente os riscos associados ao procedimento.

Assim como com os riscos, é fundamental explicar ao paciente os benefícios do procedimento, caso seja absolutamente necessário. As cesáreas planejadas apresentam menor risco de complicações, como infecções.

Você também precisa criar um plano de cesariana com seu médico. Antes de ser operado, devem ser realizados os respectivos exames médicos e agendada a operação.

No dia anterior à operação, a gestante deve tentar dormir bem. Os pelos púbicos não devem ser raspados, pois podem aumentar o risco de infecção. Por outro lado, se o paciente tiver deficiência de ferro, o médico pode recomendar um aumento do ferro por meio de alimentos ou suplementos.

Confira também: O medo de fazer uma cesariana

Cuidados após a operação

Cuidados após a operação

Após a operação, a mãe é levada para uma sala de recuperação, onde ela vai passar oito horas deitada na cama para descansar. Depois é melhor se sentar na cama ou em uma cadeira.

No início, você pode sentir fortes dores, que são tratadas com analgésicos. No começo da recuperação, você não pode comer ou beber, então receberá os nutrientes necessários por via intravenosa.

Geralmente, leva três dias para a mãe voltar para casa. No entanto, geralmente leva de quatro a seis semanas para que você possa retornar às atividades normais.

Durante a recuperação, você deve evitar pegar objetos pesados ​​e atividades, pois o sangramento pode aumentar com isso. Por outro lado, absorventes ou duchas higiênicas não devem ser usados até que o sangramento dos lóquios pare.

Você também não pode fazer sexo e é muito importante que a mãe se mantenha hidratada bebendo bastante água. No caso de sofrer de febre ou dor abdominal, deve consultar o seu médico, pois podem ser sintomas de uma infecção.

Pode interessar a você...
Cesárea ou parto normal?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Cesárea ou parto normal?

Escolher entre a cesárea ou o parto normal é uma dúvida comum entre as mulheres durante a gestação. Confira o artigo para tirar algumas dúvidas.