Criar filhos sozinhas, é tudo o que nos espera

21 de março de 2019
Famílias monoparentais sempre existiram. A criação dos filhos será difícil. Vai exigir que você dê mais, tanto material quanto emocionalmente. Haverá problemas, mas você vai criar-filhos felizes. 

Não é fácil criar filhos sozinha. No entanto, é um desafio, sempre houve mulheres que criaram e educaram seus filhos sozinhas. Há milhões que conseguiram criar filhos felizes e amados, que se tornam adultos satisfeitos e realizados, que sabem amar e são felizes.

Criar filhos sozinhas: uma decisão importante

A maternidade é um estágio maravilhoso na vida das mulheres, mas ao mesmo tempo complexo. Se você tem o apoio de seu parceiro, pode tornar a estrada mais fácil, mas nem sempre é o caso.

Uma relação tóxica não é o melhor exemplo para as crianças. Há muitas mulheres que decidem continuar com a gravidez, apesar de terem rompido com o pai do bebê que está chegando.

Criar filhos sozinhas: uma decisão importante

Há também mulheres que foram abandonadas por homens irresponsáveis. Embora a opção de ser mãe solteira possa não estar em seus planos quando iniciou o relacionamento, e a encha de dúvidas, assume com amor e coragem o desafio de criar seus filhos sozinha.

Por outro lado, mulheres que decidem recorrer à inseminação artificial para realizar o sonho de ser mães, estão se tornando mais frequentes. Elas estão decepcionadas com seus relacionamentos com homens, ou não encontraram o parceiro certo, e o relógio biológico diz a elas que chegou a hora.

Leia também: Como é a personalidade das pessoas que não têm medo de estar sozinhas?

Os desafios de criar filhos sozinhas

Se você decidiu criar filhos sozinha, agora você é uma família monoparental. A ausência do pai não precisa estigmatizar seus filhos. Haverá problemas, mas eles podem ser resolvidos. Depende de você que eles possam crescer como crianças saudáveis, amadas e felizes.

Sem dúvida, é mais difícil que estando acompanhada, mas não é impossível. As recomendações básicas para que você se organize em seu papel como mãe solteira são:

Organize sua rede de apoio

Muito provavelmente, você não está totalmente sozinha. Pense e organize quem são as pessoas que irão acompanhá-la durante a gravidez, parto, e cuidados com o bebê. Seus pais, irmãos, primos ou amigos, são sua rede de apoio.

Se seu parceiro deixou a responsabilidade do seu filho com você, evite se deixar levar pela depressão. Certamente você encontrará ao seu redor, mais de uma pessoa que está feliz com a ideia de que você será mãe, e está disposta a apoiá-la com tudo o que estiver ao seu alcance.

Alguns a apoiarão em tarefas mais complexas, outros em aspectos mais simples, mas cada contribuição, por menor que seja, ajuda a tornar as dificuldades mais leves.

Organize seu trabalho, seu tempo, e seu orçamento

Todas as despesas associadas à manutenção de seus filhos são por sua conta, por isso não há espaço para a improvisação. Você vai fazer malabarismos para cuidar de seus filhos, cumprir seus compromissos de trabalho, e ser mãe.

Você deve conseguir um emprego que seja compatível com o fato de ser responsável por seus filhos: levá-los e trazê-los para o berçário ou escola, fazer o dever de casa, levá-los ao médico, e uma longa lista de muitas outras coisas.

Procure dispor de tempo ao criar filhos sozinha

Além disso, sua renda deve cobrir o orçamento que você precisa para cobrir todas as necessidades básicas de sua prole: atendimento médico, alimentação, vestuário, educação, recreação…

Você deve organizar sua agenda sem se sobrecarregar. Tudo a seu tempo, para que haja espaço para as responsabilidades, e para a diversão. E isso inclui uma quantidade importante de paciência para quando as coisas não saírem como planejado. O que não foi feito hoje pode ser deixado para amanhã.

Prepare-se para a grande pergunta

Evite ficar surpresa quando lhe perguntarem sobre o pai do seu filho. Não faz sentido que você tenha um mau momento ou, pior, que seu filho veja você ser afetada por isso.

Se você tomou a decisão de fazer uma inseminação artificial, tem que ser capaz de falar disso com naturalidade, a mesmo que você usará no dia em que for a hora de falar aos seus filhos sobre a origem deles.

Se o seu parceiro a deixou ou morreu, você deve falar sobre isso sem ser oprimida pelos sentimentos ruins. Vai levar tempo, mas você irá dar essa resposta sem dor ou raiva. Lembre-se que muitas vezes você tem que falar sobre o pai de seus filhos, especialmente para eles mesmos.

Evite desacreditar ou culpar

Se você teve um relacionamento infeliz com o pai de seu filho, evite que sentimento de frustração, raiva, ou ressentimento a envolvam e levem você a culpar os seus filhos. Eles não são responsáveis se relacionamento do casal não deu certo.

Seus filhos têm o direito de conhecer suas origens, e você tem o dever de fornecer a informação mais precisa e neutra possível. Evite influenciar posturas negativas em seus filhos em relação ao pai. Mesmo que seja difícil reconhecer: esse homem é responsável por 50% da vida de seus filhos.

Deixe-os saber a verdade sobre sua origem e tomem as decisões que considerarem apropriadas para si mesmos. Isto é especialmente importante para crianças concebidas por inseminação artificial. Mais cedo ou mais tarde, eles perguntarão quem é, ou onde está seu pai.

Não deixe de conferir: 7 recomendações para repreender os filhos

Cultive o perdão

É fácil dizer, mas certamente não é tão fácil perdoar um pai ausente. É um processo que leva tempo. Primeiro você diz “eu te perdoo”, muito mais tarde você se conscientizará de que conseguiu realmente perdoar.

Procure suporte especializado ao criar filhos sozinha

Se o seu parceiro morreu ou se ele a abandonou, você deve não apenas perdoá-lo, mas também a si mesma. A qualquer momento pode acontecer que você se sinta culpada pelo que aconteceu. Você decidiu ter um filho com essa pessoa, e foi ela quem lhe deu a maravilhosa oportunidade de ser mãe, então vá, perdoe a si mesma.

Na mesma medida que você pode perdoar, poderá ajudar seu filho a ativar seus próprios mecanismos de perdão para seu pai, e também para você. O perdão é uma grande expressão de amor, aquele que os une, e que você cultiva com o seu filho, que é o mais importante.

Procure suporte especializado

Uma supermãe não é aquela que pode tudo. É aquela que reconhece quando precisa de ajuda. Se você precisar procurar ajuda psicológica para que seus filhos possam superar a ausência do pai, faça-o.

Apesar de ter fortes razões para abrigar sentimentos obscuros, isso não ajuda em nada para o seu bem-estar pessoal, e o dos seus filhos. A terapia familiar pode ajudá-los a entender e a resolver as lacunas emocionais.

Se você não tiver o orçamento para pagar por um serviço desse tipo, procure grupos de apoio em sua localidade, grupos em redes sociais, ou aconselhamento familiar, que os centros sociais ou congregações religiosas possam oferecer.

Para finalizar

Embora você não preencha o vazio do pai ausente, dê o seu melhor como mãe. Para criar filhos sozinha você precisa de mais amor, paciência, compreensão e comprometimento. É difícil, mas você pode. Seus filhos vão agradecer e reconhecer isso no presente e no futuro.