Quais sinais indicam que uma criança é mimada demais?

Crianças malcriadas não são apenas um desafio para os adultos, mas também crescem sem ter adquirido habilidades pessoais básicas. Saiba como evitar que isso aconteça.
Quais sinais indicam que uma criança é mimada demais?

Última atualização: 03 Julho, 2021

Todos nós já vimos crianças gritarem e darem pontapés no meio de um supermercado, baterem em outras crianças ou desrespeitarem seus pais. Em geral é fácil detectar, de fora, quando uma criança é mimada demais, pois seus comportamentos são contundentes e perturbadores.

No entanto, quando é nosso filho que comete essas transgressões, não é tão fácil aceitar. Crianças mimadas demais não são apenas um desafio para pais e professores; na verdade, elas são as mais afetadas por esse tipo de atitude.

Acabam experimentando a rejeição de outras pessoas e se envolvendo em conflitos constantes. Além disso, atingem a idade adulta sem ter adquirido muitas ferramentas pessoais essenciais. Portanto, é importante detectar e corrigir esses comportamentos.

Ações que podem transformar seu filho em uma criança mimada demais

Todos mimamos nossos filhos com presentes, com a sua comida predileta, com passeios e com carinho. No entanto, quando esse mimo for exagerado, será prejudicial para os que estão ao seu redor e, principalmente, para o seu futuro.

Crianças mimadas demais não nascem assim. Seu comportamento é o resultado de um estilo de criação inadequado implementado em casa. Mostramos, portanto, alguns dos erros que você pode ter cometido se achar que seu filho é mimado demais.

Limites inadequados

As crianças precisam de limites para crescer emocional e psicologicamente saudáveis. Orientações tão simples como “não coma balas antes do jantar” ou “você tem que guardar os brinquedos depois de usá-los” ajudam a orientar e dar segurança.

No entanto, esses limites devem ser claros, coerentes e consistentes. Se você ceder para que seu filho não chore ou para evitar um conflito, estará retirando autoridade e enviando sinais confusos.

Menino fazendo birra com a mãe
Definir limites claros e concisos para as birras infantis pode fazer a diferença entre um comportamento perturbador ou não a médio prazo.

Superproteção

Alguns pais, para facilitar a vida dos filhos, acabam privando-os da oportunidade de aprender a tolerar a frustração. As crianças devem adquirir responsabilidades de acordo com a sua idade e assumir as consequências de seus atos.

Portanto, é normal querer ajudar seu filho, mas não fazer tudo por ele. Isso fará com que ele sinta que só tem direitos, e não responsabilidades.

Autoritarismo

O extremo oposto também não é adequado. Não podemos nos relacionar com nossos filhos apenas com base em ordens, comandos, gritos e ameaças.

As crianças precisam se sentir amadas, respeitadas, ouvidas e levadas em consideração. Caso contrário, o vínculo se deteriora e a rebeldia e os problemas de comportamento podem aumentar.

Mau exemplo

Você já parou para pensar em como se dirige ao seu filho? Se você tende a levantar a voz para ele, entrar em lutas pelo poder e dizer “não” a tudo, não é surpreendente que ele repita e imite esses comportamentos com você e com outras pessoas. Lembre-se de que você é a sua principal referência.

Sinais de que uma criança é mimada demais

Como já comentamos, não é fácil admitir que nosso filho é malcriado. No entanto, se você está se perguntando se este é o seu caso, observe a presença dos seguintes sinais.

1. Acessos de raiva frequentes

As birras são comuns entre as idades de 2 e 4 anos. Porém, além dessa idade, sua presença pode indicar que a criança é mimada demais.

Neste ponto, elas já não ocorrem mais por falta de outros recursos para expressar suas emoções, mas são usadas ​​para manipular os adultos e atingir seus objetivos.

2. Excesso de caprichos

Crianças mimadas demais não valorizam o que têm e nunca ficam satisfeitas. Se seu filho se cansa rapidamente de seus brinquedos e pede novos, se pede para preparar seu jantar favorito e depois prefere outra coisa, preste atenção.

Quando uma criança quer tudo, quer agora e não aceita uma recusa, é importante rever o que está acontecendo.

3. Falta de educação

Para viver em sociedade, todos devemos tratar uns aos outros com respeito e consideração. Isso inclui pedir licença, agradecer ou dizer “por favor“, mas também evitar ser rude com outras pessoas.

Se uma criança se dirigir a outras pessoas de forma desrespeitosa ou desdenhosa, se fizer comentários ofensivos, bater ou levantar a voz, estamos diante de um alerta vermelho.

4. Desobediência

É normal que as crianças nem sempre obedeçam da primeira vez e que resistam ao que não querem fazer. No entanto, a criança mimada demais ignora deliberadamente as ordens e pedidos dos pais e não assume as suas responsabilidades.

Criança fazendo birra no mercado
As cenas de birra, gritos e pontapés em locais públicos deixam todos desconfortáveis, tanto os pais quanto outras pessoas que estão por perto.

Como corrigir e lidar com uma criança mimada demais?

Felizmente, se identificarmos uma atitude problemática na criança, é possível corrigi-la. Para fazer isso, teremos que analisar onde falhamos e fazer alguns ajustes na maneira de criá-la:

  • Estabeleça regras claras e tente cumpri-las. Não ceda à fadiga ou à pressão.
  • Permita que seu filho assuma a responsabilidade. Não faça por ele o que ele pode fazer por si mesmo.
  • Troque ordens e ameaças por respeito e diálogo. Explique as razões por trás dos seus pedidos ou recusas aos desejos deles. O tradicional “porque eu disse” não é suficiente.
  • Comece a ser um modelo positivo. Dirija-se a seu filho como gostaria que ele tratasse os outros e tente não ficar no nível dele quando ele gritar, chorar ou desafiar você.
  • Reforce os comportamentos positivos. Valorize as boas atitudes do seu filho e passe mais tempo com ele fazendo atividades gratificantes para os dois.

As mudanças na família levam tempo

Educar é uma tarefa complexa e exigente. Todos os pais e mães cometem vários erros. Não se culpe; em vez disso, fique orgulhoso por ter reconhecido a situação e tome medidas para remediá-la.

Modificar a dinâmica familiar não é fácil e é provável que, no início, seu filho apresente resistência. Porém, ao fazer isso, você estará garantindo um melhor desenvolvimento psicológico e, portanto, uma vida mais feliz. Não perca de vista esse objetivo valioso.

Pode interessar a você...
8 dicas para educar seus filhos
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 dicas para educar seus filhos

Por mais que você estude, educar seus filhos é uma tarefa para a qual nunca estará completamente preparado. Compartilhamos algumas dicas aqui.



  • Céspedes, A. (2007). Niños con pataleta, adolescentes desafiantes. Como manejar los trastornos de conducta en los hijos. Ed Vergara, Chile.
  • Aguayo Alcívar, A. A. (2013). Sobreprotección infantil en las relaciones interpersonales en los niños del primer año de educación básica (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil Facultad de Filosofía, Letras y Ciencias de la Educación).
  • Solórzano González, T. X., & Cobar Chávez, M. L. (2005). Padres autoritarios y su influencia en la conducta violenta en la niñez (Doctoral dissertation, Universidad de San Carlos de Guatemala).