Contusão óssea: causas, sintomas e tratamentos

Uma contusão óssea é uma lesão causada por uma batida ou torção. Ela apresenta sintomas muito semelhantes aos de uma fratura. Continue lendo para saber quais são suas causas, sintomas e tratamentos.
Contusão óssea: causas, sintomas e tratamentos

Última atualização: 20 Junho, 2021

As fraturas ósseas estão entre as lesões traumáticas mais frequentes. Elas são caracterizadas pela quebra total do osso. No entanto, existe uma lesão semelhante, chamada de contusão óssea, que os especialistas definem como a quebra parcial de uma parte do osso.

Os ossos são estruturas calcificadas constituídas em grande parte por duas seções distintas: uma cortical e uma trabecular. A primeira delas é a mais resistente e encontra-se do lado de fora, enquanto a segunda é constituída por tecido conjuntivo fibroso vascularizado.

A contusão óssea ocorre quando uma seção da porção trabecular do osso se quebra. Isso gera um acúmulo de sangue na região e causa hematoma. Estudos mostram que essa lesão é mais comum em adultos, mas a prevalência em crianças também é elevada.

Quais são os sintomas de uma contusão óssea?

As contusões cutâneas são fáceis de identificar, pois elas causam uma mudança na cor da pele que é evidente desde o início. No entanto, contusões ósseas ou edemas ósseos são mais complexos de diagnosticar.

O sintoma mais característico da contusão óssea é a dor na região afetada. Essa dor pode aumentar com o movimento e diminuir com o repouso. Nos casos mais graves, a dor pode permanecer durante o repouso e até mesmo durante o sono.

Pessoas que sofrem contusões ósseas também podem apresentar os seguintes sintomas:

  • Inflamação próxima à região lesionada
  • Articulações próximas inchadas ou rígidas
  • Área ferida mole à palpação
  • Mudança de cor na pele

Estes sintomas podem durar de 12 a 24 semanas; tudo depende da gravidade da lesão e de quanto tempo leva para o corpo da pessoa se recuperar por completo.

Quais são os sintomas de uma contusão óssea?
Os ossos possuem uma parte externa mais rígida e uma parte interna mais fibrosa. A contusão óssea afeta a parte trabecular interna.

Principais causas

A causa mais comum de uma contusão óssea é um trauma ou uma batida forte em alguma parte do corpo, como é o caso das fraturas. As regiões mais comumente afetadas são aquelas em que o osso está em contato próximo com a pele, como joelhos, tornozelos e cotovelos.

Neste sentido, destacam-se as lesões esportivas, os acidentes veiculares e as quedas de grandes alturas. As entorses articulares também podem causar edemas ósseos.

Algumas condições médicas, como a artrite reumatoide, podem causar contusões ósseas. Nesse caso, isso ocorre porque os ossos são afetados por uma doença de base, o que os torna mais propensos a sofrer lesões.

Quando é aconselhável ir ao médico?

Uma contusão óssea pode causar sérios problemas se não for tratada adequadamente. Por esse motivo, é fundamental consultar um médico quando você suspeitar da sua presença.

Uma das complicações deste tipo de lesão é a osteonecrose, que surge quando o edema não é reabsorvido adequadamente. Isso ocorre quando não há sangue suficiente na região do osso, motivo pelo qual as células começam a morrer.

Você também deve consultar um médico se apresentar algum dos seguintes sintomas após a lesão:

  • Grande aumento de volume na região afetada
  • Inflamação severa na articulação próxima à lesão
  • Incapacidade de mover o membro afetado
  • Dor intensa que não diminui ao tomar analgésicos

Diagnóstico da contusão óssea

O especialista se concentrará primeiro em estabelecer como a lesão ocorreu. Ele também determinará a intensidade da dor e se você apresenta outros sintomas. Para isso, ele fará várias perguntas e realizará um exame físico completo, pois a contusão pode estar associada a outros problemas, como a ruptura de um ligamento.

O diagnóstico exato da contusão óssea é feito através de exames de imagem. Por isso, podem ser realizadas radiografias e ressonâncias magnéticas. As radiografias não mostram se há contusão, mas revelam o estado geral do osso.

A ressonância magnética, por sua vez, focará a medula óssea, possibilitando identificar se há uma lesão. Esse exame permite observar com precisão a localização, extensão e tamanho do edema.

Tratamentos disponíveis

Uma contusão óssea não é uma lesão que requer tratamento cirúrgico, pois a recuperação ocorre por conta própria em poucos meses. No caso de contusões leves, os médicos recomendam repouso e prescrevem o uso de medicamentos anti-inflamatórios não esteroides para o alívio dos sintomas.

Aplicar gelo de 15 a 20 minutos por dia pode reduzir a inflamação na área, mas é importante não aplicá-lo diretamente na pele. Se a contusão ocorreu nas extremidades inferiores, é importante manter a perna elevada.

No caso de contusões graves, você deve reduzir a quantidade de peso que exerce sobre o membro afetado e, se necessário, usar muletas. A imobilização do membro é recomendada apenas em casos em que as articulações e os ligamentos são afetados.

Dor no pulso
Para aliviar a dor causada pela contusão óssea, você pode ter que tomar analgésicos. O ideal é que um profissional da área da saúde determine a dosagem e o modo de uso.

Dicas para prevenir lesões ósseas

Você pode evitar uma contusão óssea e outros problemas osteoarticulares melhorando a condição geral dos seus ossos. Algumas mudanças no seu estilo de vida podem ter um impacto significativo.

Entre os hábitos e atividades que contribuem para manter os ossos em bom estado, destacam-se os seguintes:

  • Manter uma dieta balanceada com os nutrientes adequados.
  • Fazer exercícios físicos ou praticar esportes regularmente.
  • Usar equipamentos de proteção ao praticar esportes de contato.
  • Não fumar e reduzir o consumo de álcool.

O cálcio é o principal componente dos ossos, por isso é importante garantir ao corpo um bom suprimento desse mineral para o cuidado adequado dos ossos. A ingestão diária ideal de cálcio para homens e mulheres é de 1000 miligramas, mas estudos mostram que pelo menos 50% da população não ingere essa quantidade.

Uma contusão óssea é um problema que você deve levar a sério

Uma contusão óssea pode parecer um problema leve que se resolve por conta própria. No entanto, pode levar a complicações sérias se não for tratada adequadamente. Felizmente, o tratamento é muito simples, consistindo no uso de anti-inflamatórios não esteroides e no monitoramento regular.

A fisioterapia pode ser necessária nos casos em que a lesão é muito grave e afeta a mobilidade articular. No entanto, o processo de recuperação é relativamente rápido e as sequelas e complicações são raras.

Pode interessar a você...
10 dicas para manter os ossos fortes e saudáveis
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
10 dicas para manter os ossos fortes e saudáveis

Sempre que falamos em osteoporose, relacionamos a doença a mulheres entre 55 e 70 anos. Veja essas dicas para manter os ossos fortes e saudáveis.



  • Muñoz Ch Sara, Paolinelli G. Paola. Reacciones del hueso frente al estrés agudo: estudio radiológico. Rev. chil. radiol. 2005; 11( 2 ): 81-90.
  • Bastos R, Andrade R, Vasta S, Pereira R, Papalia R, van der Merwe W, Rodeo S, Espregueira-Mendes J. Tibiofemoral bone bruise volume is not associated with meniscal injury and knee laxity in patients with anterior cruciate ligament rupture. Knee Surg Sports Traumatol Arthrosc. 2019 Oct;27(10):3318-3326.
  • Filardo G, Andriolo L, di Laura Frattura G, Napoli F, Zaffagnini S, Candrian C. Bone bruise in anterior cruciate ligament rupture entails a more severe joint damage affecting joint degenerative progression. Knee Surg Sports Traumatol Arthrosc. 2019 Jan;27(1):44-59.
  • Novaretti JV, Shin JJ, Albers M, Chambers MC, Cohen M, Musahl V, Fu FH. Bone Bruise Patterns in Skeletally Immature Patients With Anterior Cruciate Ligament Injury: Shock-Absorbing Function of the Physis. Am J Sports Med. 2018 Jul;46(9):2128-2132.
  • Bordoni V, di Laura Frattura G, Previtali D, Tamborini S, Candrian C, Cristallo Lacalamita M, Del Grande F, Filardo G. Bone Bruise and Anterior Cruciate Ligament Tears: Presence, Distribution Pattern, and Associated Lesions in the Pediatric Population. Am J Sports Med. 2019 Nov;47(13):3181-3186.
  • Beckmann J, Roth A, Niethard C, Mauch F, Best R, Maus U. Knochenmarködem und atraumatische Femurkopfnekrose : Therapie [Bone marrow edema and atraumatic necrosis of the femoral head : Therapy]. Orthopade. 2015 Sep;44(9):662-671.