Conselhos para prevenir e tratar a cistite  

3 de setembro de 2014
A higiene íntima é fundamental para evitar a cistite. Evite a umidade na região e o uso de roupas justas, que causar calor e o suor.

A cistite é uma infecção na bexiga causada por bactérias, o que pode muitas vezes ser um problema doloroso e incômodo.

A cistite pode ser atribuída a diferentes motivos, sendo principalmente a reação aos medicamentos, má higiene ou devido a outras doenças. Conheça mais a seguir.

O tratamento habitual para tratar esta infecção é por meio de antibióticos, no entanto, existem alguns alimentos que podem ajudar a combatê-la, como os diuréticos e antioxidantes, já que estimulam a eliminação de líquidos.

Sintomas

  • Dor no abdômen
  • Sensação de ardor ao urinar
  • Calafrios
  • Mal-estar geral
  • Febre

Conselhos para evitar a cistite

Beba água suficiente

Beber-agua

É necessário que o corpo tenha água suficiente para o bom funcionamento do organismo. Ao dizer “água” nos referimos também a infusões, chás, caldos, bebidas e, em geral, tudo o que seja líquido e hidrate o corpo.

Se você já sofre de cistite, tome o máximo de água possível. Às vezes é o melhor remédio, já que o que se necessita para aliviar a cistite é que existam mais bactérias, e a urina é a encarregada de expulsá-las. Procure tomar bastante água!

Conheça: 5 erros de hidratação mais comuns

Recomendações adicionais

  • Beba um copo de água com duas colheres de vinagre de sidra de maçã antes de cada refeição.
  • Tome uma infusão de salsa em jejum.
  • Antes de ir dormir, ferva duas colheres de camomila e 3 dentes de alho cru em um litro de água, espere a água esfriar um pouco e, com uma toalha, faça banhos vaginais.
  • Tome três copos de mirtilo por dia, esta fruta é muito boa para o corpo, já que contém uma substância que impede que as bactérias se fixem na parede das vias urinárias, o que facilita sua expulsão pela urina.
  • Ferva duas colheres de tomilho e 2 de alecrim em um litro de água, faça banhos vaginais com um pano com esta água.
  • Ferva uma colher de hortelãzinho em uma xícara de água e tome depois de cada refeição.

Não espere muito para ir ao banheiro

O pior que você pode fazer é esperar muito tempo para ir ao banheiro, isto causa a debilitação da bexiga pelo conteúdo de urina. É importante permitir ao corpo eliminar essas substâncias residuais que geralmente são componentes que não necessitamos mais.

Aplique calor

Esquente um pouco de água e molhe uma toalha com ela. Observe se a toalha não está muito quente e a coloque sobre a sua bexiga; isto vai ajudar a aliviar a dor, a combater a inflamação e o inchaço. Também é bom para aliviar a tensão muscular.

Procure ter uma excelente higiene

infeccion-vaginal

Todo fator que aumente a umidade na área vaginal pode ser um ativador de infecções.

Leia também: 5 remédios naturais para aliviar a irritação vaginal

Começamos com o uso de protetor íntimo; este tem sido muito questionado pelos especialistas, já que o seu uso foi relacionado com diferentes infecções vaginais, pois pode aumentar as condições de umidade e a transpiração na vulva.

Igualmente, se você não troca constantemente o protetor, este pode abrigar infecções externas o tempo suficiente para que invadam as vias urinárias.

Agora, mudamos o tema para as relações sexuais, porque neste momento também é indispensável a higiene para a prevenção da cistite. Solicite que seu parceiro limpe bem suas áreas íntimas e lembre-se de que nunca é demais o uso do preservativo.

Quando terminar de ter relações sexuais, tome um banho, porque os fluídos que ficam ali também são causadores de infecções.

Usar roupa íntima menos apertada

Isto é recomendado com o intuito de deixar a área genital seca, já que ao usar algo muito apertado, o calor corporal fará com que a pele transpire, causando umidade.

Como já dissemos anteriormente, o ideal é que a área vaginal não tenha mudanças de temperatura nem de pH.

Quando ir ao médico?

O ideal neste casos é procurar o médico o quanto antes, ainda mais se a infecção estiver acompanhada dos seguintes sintomas:

  • Lopes, H. V., & Tavares, W. (2005). Diagnóstico das infecções do trato urinário. Revista Da Associação Médica Brasileira. https://doi.org/10.1590/S0104-42302005000600008
  • Ribeiro, R. M., & De Rossi, P. (1999). Cistite. Revista Brasileira de Medicina.