Conselhos para casais com frustração sexual

1 de abril de 2020
Estresse, cansaço, fadiga, períodos difíceis e algumas disfunções podem causar frustração sexual na vida do casal. Por isso, é melhor conversar e pedir ajuda, se necessário.

Os relacionamentos amorosos podem ser afetados de várias maneiras e por vários motivos. Estresse, problemas, cansaço e até certas disfunções podem causar frustração sexual no casal. Neste artigo, oferecemos algumas dicas para superar essa situação.

A frustração sexual

Conselhos para casais com frustração sexual
As causas da frustração sexual são muito variadas, mas conversar sobre o assunto é fundamental para superá-la.

A frustração sexual pode ser desencadeada pela falta de sexo ou porque a prática não é totalmente satisfatória. Nos dois casos, ela pode causar certas consequências, tais como:

  • Diminuição da autoestima
  • Estresse e nervosismo
  • Distanciamento emocional do casal
  • Discussões
  • Alterações do estado de humor
  • Obsessão por sexo ou infidelidade

As causas da insatisfação podem ser muitas e variadas. A pessoa pode estar passando por um período difícil ou estressante, com uma queda no desejo sexual, ou pode haver uma falta de comunicação sexual com o parceiro.

A situação também pode ser motivada pela existência de conflitos entre as duas partes ou disfunções sexuais que impedem um relacionamento sexual satisfatório. Seja qual for o caso, a pergunta é: o que podemos fazer se nos sentirmos sexualmente frustrados?

Dicas para casais sexualmente frustrados

Conheça a si mesmo

Masturbação feminina
A masturbação permite que você conheça o seu próprio corpo e descubra o que lhe dá prazer.

Primeiro, devemos nos conhecer no campo sexual. Muitas frustrações surgem porque os membros do casal não sabem exatamente o que querem ou o que lhes satisfaz.

Nesse sentido, os preconceitos culturais, os tabus e a educação sexual que recebemos podem desempenhar um papel negativo e causar insatisfação e frustração sexual.

Por isso, devemos primeiro determinar o que nos satisfaz, conhecer melhor a nossa própria sexualidade e o nosso próprio corpo. Nesse sentido, a masturbação pode ser um método para nos descobrirmos.

Você também pode gostar de ler: Transtorno do desejo sexual hipoativo em homens

Fale sobre a frustração sexual

É inútil esperar que o parceiro adivinhe o que nos satisfaz ou o que gostaríamos que ele fizesse. Por isso, devemos falar claramente sobre o que mais gostamos nas relações íntimas.

Além disso, se houver problemas “ocultos”, o ideal é falar sobre eles. Pode ser que alguma prática seja satisfatória para um, mas não para o outro.

Por tudo isso, devemos ser honestos com nossos parceiros. Devemos sempre promover a comunicação e a expressão dos nossos desejos e necessidades.

Também seria uma boa ideia tentar fazer algo novo juntos, sempre tendo falado sobre a novidade escolhida previamente. É possível que algumas novas práticas possam nos ajudar a experimentar novas sensações e a superar a frustração sexual.

Não se concentre apenas no orgasmo

Casal fazendo sexo
O sexo não é apenas chegar ao orgasmo. É fundamental apreciar cada carícia e cada sensação.

Muitas vezes, atingir o orgasmo pode se tornar uma obsessão. No entanto, o sexo tem mais prazeres do que o orgasmo. As carícias e o carinho podem ser igualmente agradáveis.

Devemos entender que muitas vezes o nosso estilo de vida nos impede de nos sentir relaxados quando fazemos sexo. O estresse acumulado e a fadiga podem dificultar que o casal alcance o orgasmo, e até mesmo fazer com que este não seja possível

No entanto, isso pode se tornar um círculo vicioso se levarmos em conta apenas o orgasmo e considerarmos que um relacionamento sexual satisfatório só termina com ele.

De fato, podemos ficar estressados ​​e frustrados por não termos atingido o orgasmo, o que nos deixará ainda mais estressados. Dessa maneira, só vamos aumentar a nossa frustração sexual.

Por isso, o melhor é se concentrar em apreciar todas as etapas do contato: desde as preliminares até o momento posterior de carícias e carinho. O orgasmo virá.

Leia também: Anorgasmia feminina: diferentes tipos e possíveis soluções

Peça ajuda se existir alguma disfunção sexual

Em muitos casos, existem problemas sexuais relacionados a certas disfunções.

  • No caso dos homens, os problemas mais comuns são a disfunção erétil e a ejaculação precoce.
  • No caso das mulheres, os mais comuns são o vaginismo, a anorgasmia e o distúrbio de desejo sexual hipoativo (TDSH).

Embora essas disfunções possam ter uma causa patológica, todas elas estão relacionadas ao estresse e à ansiedade. Por esse motivo, se esses problemas existirem, em primeiro lugar deve-se consultar um especialista e, posteriormente, pode ser interessante fazer terapia de casal.

Os benefícios da terapia podem ser muito positivos e ajudar o casal a resolver seus problemas. Ela vai ajudar a melhorar as relações e a completar a sua educação sexual, tratando, ao mesmo tempo, problemas individuais. O objetivo é alcançar o bem-estar, tanto durante as relações sexuais quanto fora delas.

  • Helen S. Kaplan, Manual ilustrado de terapia sexual, Grijalbo Mondadori, 1975, Barcelona, España. Título original, The Illustrated Manual of Sex Therapy, Quadrangle/The New York Times Book Company, 1975, Nueva York, EUA.
  • Sallee DT, Casciani JM, “Relationship between sex drive and sexual frustration and purpose in life”, J Clin Psychol. 1976 Apr;32(2):273-5.
  • Beryl A. Chernick, “Ethical Issues in Sex Therapy and Research”, Can Med Assoc J. 1978 Apr 8; 118(7): 782.