Como tratar a faringite viral?

14 Novembro, 2020
A faringite viral é uma inflamação causada por um vírus. É uma infecção comum, que na maioria dos casos não causa complicações e cujos sintomas desaparecem em poucos dias.

A faringite viral é a forma mais comum dessa doença. Entre 60 e 80% das faringites são causadas por vírus, mas em muitos casos elas ainda são tratadas com antibióticos, o que é errado, pois estes devem ser usados ​​apenas se a origem for bacteriana.

O mais comum é que esta forma da doença ocorra com mais frequência durante as estações ou períodos frios. É uma infecção contagiosa, então a melhor medida de prevenção é evitar o contato com alguém que já está doente.

O que é a faringite viral?

Essa doença é uma inflamação do revestimento da faringe causada por uma infecção viral. A faringe é uma estrutura anatômica em forma de tubo que conecta a cavidade oral com a laringe e o esôfago. Localiza-se no pescoço e, em um adulto, mede em torno de 13 centímetros.

Agora, deve-se levar em conta que a faringe pode ficar inflamada por vários motivos. Às vezes, isso acontece porque há uma infecção bacteriana ou a presença de um fungo. Além disso, em até 30% dos casos não há um agente patogênico.

Portanto, a faringite viral é apenas aquela causada por um vírus. O curso da doença depende do tipo de vírus envolvido e do manejo da patologia. Apenas em casos raros ocorrem complicações.

Garganta inflamada
A faringite viral é a irritação da mucosa da faringe. É causada por um vírus e é altamente contagiosa.

Não deixe de ler: Remédios para aliviar os sintomas da faringite

Causas de faringite viral

A faringite viral geralmente está associada a uma infecção viral. Em outras palavras, é um dos sintomas de outra doença infecciosa. Quando essa inflamação se manifesta sem a presença de outra patologia, é chamada de faringite viral inespecífica.

Neste último caso, a doença geralmente tem início gradual e causa poucos danos. O normal é que o quadro se resolva em dois ou três dias. Em outros casos, os vírus e patologias associadas costumam ser os seguintes:

Como identificar a faringite viral

O sintoma característico desta doença é a dor de garganta. Além disso, existem outras manifestações que podem ocorrer com maior ou menor intensidade, dependendo de cada pessoa. Geralmente são os seguintes:

  • Garganta seca.
  • Dor ao engolir alimentos, ou mesmo saliva.
  • Inflamação das amígdalas, também conhecida como amigdalite.
  • Febre não superior a 38 ºC.
  • Dor de cabeça.
  • Glândulas do pescoço inflamadas.
  • Sensação de cansaço ou fadiga.

Os sintomas podem variar, dependendo do tipo de vírus que causa a doença. Na faringite viral aguda, a faringe aparece vermelha e coberta de muco; na crônica, a mucosa é pálida, fina e coberta por um muco espesso.

Em geral, o diagnóstico é clínico e é feito a partir do que o paciente relata e do seu exame físico. Em alguns casos, o profissional pode solicitar exames como uma cultura de orofaringe para descartar uma faringite bacteriana.

Adolescente com dor de garganta
A dor de garganta é a principal manifestação clínica desta infecção. Além disso, podem ocorrer problemas de deglutição e febre.

Você também pode estar interessado: Muco na garganta, o que podemos fazer?

Como tratar?

Não há um tratamento específico para a faringite viral. Com frequência, nesses casos, o paciente pode aliviar os sintomas com ​​remédios caseiros, como gargarejos com água salgada morna. Consiste em diluir 3 gramas de sal em um copo de água morna e fazer gargarejos três vezes ao dia.

Também é aconselhável beber muita água, porque isso ajuda a resfriar a garganta e também ajuda o corpo a se livrar dos vírus. É melhor seguir uma dieta leve, descansar e evitar substâncias irritantes como o tabaco e alimentos condimentados.

É muito importante evitar o uso de antibióticos se a faringite for viral. Eles não vão ajudar em nada e, em vez disso, a pessoa que os ingere torna as bactérias resistentes a essas drogas.

A faringite raramente apresenta complicações. No entanto, há evidências de que os casos de faringotonsilite aguda têm se tornado mais agressivos nos últimos anos. É uma forma de faringite que atinge as amígdalas. Neste caso, 80% dos pacientes se contagiaram através de um vírus.

  • Wilson A. Pharyngitis. Essential Infectious Disease Topics for Primary Care. 2008;15-24. doi:10.1007/978-1-60327-034-2_2
  • Wolford RW, Goyal A, Belgam Syed SY, et al. Pharyngitis. [Updated 2020 May 22]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK519550/
  • Boktor SW, Hafner JW. Influenza. [Updated 2020 May 26]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK459363/
  • Coco A, Kleinhans E. Prevalence of primary HIV infection in symptomatic ambulatory patients. Ann Fam Med. 2005;3(5):400-404. doi:10.1370/afm.376
  • van der Veen EL, Sanders EA, Videler WJ, van Staaij BK, van Benthem PP, Schilder AG. Optimal site for throat culture: tonsillar surface versus posterior pharyngeal wall. Eur Arch Otorhinolaryngol. 2006;263(8):750-753. doi:10.1007/s00405-006-0046-6
  • Satomura K, Kitamura T, Kawamura T, et al. Prevention of upper respiratory tract infections by gargling: a randomized trial. Am J Prev Med. 2005;29(4):302-307. doi:10.1016/j.amepre.2005.06.013