Prejuízos do tabaco na cavidade oral

07 Dezembro, 2019
Está demonstrado cientificamente que o consumo de tabaco produz um maior risco de câncer oral, lesões orais e doenças periodontais. Quer saber mais? Detalhamos no seguinte artigo.
 

No hábito de consumo do tabaco, o primeiro lugar em que a droga entra em contato com nosso corpo é pela boca. Por isso, suas manifestações nela serão mais evidentes. O tabaco gera inúmeros prejuízos a nível de cavidade oral.

Somente com observar os dentes de qualquer paciente, um profissional é capaz de distinguir à primeira vista se é um fumante ou não. Com isso, um de seus principais objetivos será prevenir ou reduzir, na medida do possível, o hábito do tabagismo de seus pacientes.

Manifestações orais nos fumantes

As manifestações orais nos pacientes fumantes podem variar de um para outro. No entanto, no geral aparecem certas alterações que, muito além do estético, comprometem a saúde. A seguir, detalhamos as mais importantes.

  • Manchas na superfície dos dentes.
  • Rugas na pele.
  • Mau hálito.
  • Redução da capacidade de sentir gosto.
  • Demora na cicatrização de feridas.
  • Maior risco de periodontite e gengivite.
  • Problemas na osseointegração dos implantes dentais.
  • Aumenta exponencialmente o risco de câncer oral. Este risco reduz notavelmente após 5 ou 10 anos de parar de fumar. Além disso, há que considerar o demonstrado efeito sinérgico de abandonar o hábito de fumar.
  • Maior risco de apresentar candidíase oral.
  • Manchas nas bochechas, gengivas e paladar.
  • Alterações na composição e na quantidade de saliva produzida.

1. Estética dental

Dentes de fumador
 

O consumo de tabaco pode causar manchas nos dentes e outras de cor marrom nas gengivas.

Na maioria dos fumantes é possível encontrar manchas nos dentes, próteses e restaurações de cor amareladas e marrons. Estas manchas podem ser eliminadas com uma limpeza com ultrassons. Ademais, pode-se encontrar manchas pouco estéticas de cor marrom nas gengivas.

2. Olfato e gustação

Nos fumantes, tanto o sentido do olfato como o da gustação são dissipados pelo tabaco. Nesse sentido, um fumante precisa de até 12 ou 14 vezes mais sal em um alimento para identificá-lo como salgado.

3. Cicatrização de feridas

Existem estudos, como o que foi publicado no Journal of Wound Ostomy & Continence Nursingque relacionam diretamente o consumo do tabaco com o atraso na cicatrização de feridas, maior dor pós-operatória, bem como maior risco de infecçõesIsso é devido ao fato dessa substância produzir vasoconstrição, reduzindo o fluxo de sangue até a ferida.

4. Doenças periodontais

Os pacientes fumantes apresentam um risco muito maior de sofrer periodontite, perdendo uma maior quantidade de osso, aumentando a profundidade das bolsas periodontais. Ademais, com mais risco de perder um número maior de dentes por causa dela. Ainda que o paciente trate a doença, a resposta ao tratamento será pior nos fumantes.

Pode te interessar: Combater a gengivite com 5 remédios de origem natural

5. Implantes dentais

Fumar prejudica gravemente o sucesso no tratamento com implantes dentais, tanto a curto prazo na integração do implante com o osso, como a longo prazo reduzindo a vida média do implante. Além disso, aqueles pacientes que deixam de fumar uma semana antes da colocação dos implantes e oito semanas depois, têm a mesma taxa de risco de fracasso do que aqueles não fumantes.

 

6. Câncer oral

Problemas dentais

No tabaco são encontrados componentes altamente cancerígenos. Portanto, não é estranho que seja uma das causas principais de câncer oral.

Está cientificamente demonstrada a relação entre o tabaco e o câncer oralA incidência do câncer oral é mais alta em homens do que em mulheres. Ademais, a soma do álcool e do tabaco aumenta exponencialmente este risco.

7. Melanose do fumante

O tabaco pigmenta a mucosa oral e das gengivas, provocando manchas de cor marrom. Contudo, as manchas não são malignas e desaparecem aproximadamente um ano após deixar o hábito de fumar. 

8. Efeitos sobre a saliva

A saliva dos fumantes contém substâncias presentes na fumaça do cigarro, que são potencialmente cancerígenas, conforme destaca uma publicação do Journal of Dentistry.  Ademais, foi observada uma concentração maior de bactérias que predispõe o aparecimento de cáries, como o Streptococcus mutans. 

Leia também: 5 hábitos que ajudam a cuidar da saúde dental

9. Cáries

Em suma, existe uma relação direta entre o tabaco e a perda de dentes. Esta relação pode ser devida tanto a periodontite, como ao aumento de bactérias cariogênicas na saliva, que aumentam o risco de aparecerem cáries.

 

Em resumo…

O tabaco traz inúmeros prejuízos para a cavidade oral, sem esquecer todos aqueles problemas e doenças que podem surgir, como por exemplo câncer de pulmão, aneurismas, infartos, etc.

Aparte de seu lado viciante e do dano que gera aos fumantes passivos pela aspiração da fumaça, está demonstrado cientificamente que produz um maior risco de câncer oral, lesões orais, assim como doenças periodontais.

Dessa maneira, a melhor técnica para evitar todos estes problemas é a prevenção, evitando fumar e eliminando o hábito das pessoas já viciadas.

 
  • Ahmadi-Motamayel F, Falsafi P, Hayati Z, Rezaei F, Poorolajal J. Prevalence of oral mucosal lesions in male smokers and nonsmokers. Chonnam Med J. 2013;49(2):65–68. doi:10.4068/cmj.2013.49.2.65. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3759684/#:~:text=The%20prevalence%20of%20lesions%20was,in%20a%20higher%20age%20range.
  • Moravej-Salehi E, Moravej-Salehi E, Hajifattahi F. Passive Smoking: Oral and Dental Effects. Iran J Public Health. 2015;44(4):600–601. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4441979/
  • McDaniel JC, Browning KK. Smoking, chronic wound healing, and implications for evidence-based practice. J Wound Ostomy Continence Nurs. 2014;41(5):415–E2. doi:10.1097/WON.0000000000000057. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4241583/
  • Nosratzehi T. Salivary Chemical Factors in Relation with Oral Cancer in Smokers and Non-Smokers: a Literature Review. J Dent (Shiraz). 2017;18(4):237–243. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29201965/
  • Morse DE, Psoter WJ, Cleveland D, et al. Smoking and drinking in relation to oral cancer and oral epithelial dysplasia. Cancer Causes Control. 2007;18(9):919–929. doi:10.1007/s10552-007-9026-4. https://link.springer.com/article/10.1007/s10552-007-9026-4
  • Rooban T, Vidya K, Joshua E, et al. Tooth decay in alcohol and tobacco abusers. J Oral Maxillofac Pathol. 2011;15(1):14–21. doi:10.4103/0973-029X.80032
  • Kasat, V., & Ladda, R. (2012). Smoking and dental implants. Journal of International Society of Preventive & Community Dentistry, 2(2), 38–41. https://doi.org/10.4103/2231-0762.109358
  • Sodio en la dieta. MedlinePlus. https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/002415.htm
  • Ono, Y., Torii, K., Fritsche, E., Shintani, Y., Nishida, E., Nakamura, M., Shirakata, Y., Haarmann‐Stemmann, T., Abel, J., Krutmann, J. and Morita, A. (2013), Role of the aryl hydrocarbon receptor in tobacco smoke extract–induced matrix metalloproteinase‐1 expression. Exp Dermatol, 22: 349-353. doi:10.1111/exd.12148
  • Fields, L. Foods and Habits That Stain Your Teeth. WebMD. https://www.webmd.com/oral-health/features/foods-stain-teeth-feature#1