Como evitar e tratar as escaras

· 27 de agosto de 2017
É fundamental mudar os pacientes que estão suscetíveis a desenvolver escaras de postura com frequência, já que permanecem muito tempo em uma mesma posição.

Quando uma pessoa fica muito tempo deitada ou recostada devido a uma doença ou à idade, é comum a formação de escaras.

A pele é submetida a muita pressão e em certas áreas pode aparecer primeiro vermelhidão, depois bolhas, e posteriormente uma chaga ou úlcera.

Para que isso não aconteça ou possa ser tratado, recomendamos que leia este artigo com atenção.

O que são as escaras?

Os pacientes que devem manter repouso por longos períodos costumam sofrer com o desenvolvimento das também conhecidas “úlceras por pressão”.

Estas feridas podem ser muito dolorosas e aumentar a incapacidade das pessoas para se mover.

As escaras ocorrem devido à pressão que os ossos exercem contra o colchão.

No meio está a pele, que fica sem irrigação sanguínea e vai ocorrendo a necrose. Também pode se dever à umidade de uma região quando a pessoa sofre de incontinência urinária.

A maceração do sacro e a pressão de estar deitado não são uma boa combinação.

Como prevenir a formação de escaras

Estas chagas se classificam segundo a quantidade de camadas de pele que afetam. Vão desde a simples vermelhidão até atingir o osso.

As escaras podem causar infecção e muito sofrimento, já que vão se agravando se a pessoa não muda de posição.

Os fatores de risco que aumentam a formação de escaras são:

  • Idade avançada;
  • Imobilidade total;
  • Incontinência urinária ou falta de controle do aparelho excretor;
  • Desnutrição ou desidratação;
  • Doenças de cura lenta;
  • Transtornos mentais (demência, confusão, Alzheimer);
  • Uso de medicamentos sedativos;

Visite este artigo: 8 truques para fortalecer seus ossos

Como prevenir as escaras?

Este problema é muito comum nos pacientes mais velhos e tanto os doentes quanto os cuidadores e familiares devem estar atentos para evitar seu desenvolvimento.

Alguns conselhos para prevenir as escaras:

1. Mudar a postura a cada 2 ou 3 horas

Segundo as possibilidades do doente, é necessário girá-lo de lado com a finalidade de que o sangue circule e, ao mesmo tempo, a pele não fique pressionada sempre no mesmo lugar.

Por exemplo, pode-se usar travesseiros para as costas e rodeá-lo pela direita ou pela esquerda.

2. Inspecionar as áreas vulneráveis

Há partes do corpo onde as escaras são mais comuns: calcanhares, quadris, sacro, joelhos, orelhas e ombros.

Quando há vermelhidão, é preciso tratá-la rapidamente para evitar que a chaga apareça.

3. Manter a higiene corporal

Por mais que a pessoa esteja deitada, ela transpira e se suja. Uma higienização completa ou banho diário são fundamentais para reduzir o risco de surgimento de escaras.

  • Deve-se sempre usar sabonete neutro e não esfregar;
  • A secagem também é importante, já que a umidade acelera o processo de vermelhidão.

4. Reduzir os pontos de pressão

Hábitos para prevenir as escaras

Ao usar travesseiros ou elementos especiais que são encontrados em lojas de reabilitação ou cuidados de doentes, é possível evitar que estas regiões da pele pressionem o colchão, sofá ou cadeira de rodas.

  • Por exemplo, quando as pernas se pressionam entre elas, pode-se colocar uma almofada entre os joelhos.
  • Há almofadas e outros elementos que podem servir nestes casos.

5. Alimentar e hidratar bem o paciente

A dieta equilibrada e de acordo com as necessidades da pessoa é fundamental para melhorar sua saúde e contar com todos os nutrientes de que precisa.

Além de água, infusões ou sopas, é recomendável a gelatina, para aumentar o consumo de líquidos.

Quer saber mais? Leia: 5 conselhos para eliminar líquidos retidos em seu organismo

6. Evitar a pressão dos calcanhares

Hábitos para prevenir as escaras

Pode-se colocar uma almofada debaixo das pernas para que os pés fiquem pendurados, sempre tendo em conta que os lençóis e mantas não comprimam os dedos.

Para isso, deixe a roupa de cama mais folgada possível.

7. Massagear

Duas ou três vezes por dia, é muito importante fazer massagens para aumentar a circulação e evitar que os músculos adormeçam.

É recomendável o uso de loções ou cremes especiais.

Nunca massageie as proeminências ósseas, já que podem exercer mais pressão na fina camada da pele que as rodeia.

8. Mudar a roupa e os lençóis

Certifique-se de que as roupas que o paciente está usando são adequadas.

  • Elas não podem estar muito apertadas, mas também não podem estar muito soltas já que, no primeiro caso, não permite que a pele “respire” e, no segundo, pode enrolar e exercer mais pressão em certas regiões.
  • A roupa não pode ter botões, zíper e nem costuras grossas.
  • No caso dos lençóis, é muito importante trocá-los periodicamente, principalmente para evitar a umidade e a sujeira.

9. Exercitar

Se o doente não pode se movimentar por seus próprios meios, a pessoa encarregada deve lhe ajudar a exercitar as pernas, braços, pescoço, etc.

Estas movimentações melhoram a circulação e reduzem o tempo de pressão contra a cama.

Visite este artigo: 7 chaves para melhorar a circulação de suas pernas em 20 dias

Remédios naturais para tratar as escaras leves

As escaras só podem ser tratadas com remédios caseiros em casos leves. Alguns que podem servir são:

1. Babosa

Babosa contra as escaras

Podemos consegui-la em creme ou diretamente, cortando o talo de forma horizontal (e retirando o gel de dentro).

A babosa esfria a pele, aumenta o fluxo sanguíneo, evita a infecção e alivia no mesmo instante.

2. Leite de magnésio

Pode ser encontrado nas casas de produtos naturais e serve para reduzir a vermelhidão e o inchaço. Deve ser aplicado com um algodão três vezes por dia.

3. Mel

Por suas propriedades antibacterianas, ajuda quando a chaga é de formação recente. Além disso, umedece a pele.

Aplique um pouco de mel e cubra com um curativo.