Como conviver com uma pessoa com transtorno bipolar

16 de novembro de 2019
Você já imaginou o que significa conviver com uma pessoa com transtorno bipolar? Quem já o fez entende que não é uma tarefa simples

A maioria das pessoas que se pergunta como conviver com uma pessoa com transtorno bipolar é porque já passou por essas situações e sabe que é um desafio.Saiba mais sobre o assunto aqui.

Inclusive, aqueles que convivem com alguém que tem essa condição a definiram como escalar uma montanha, pois as emoções são mutáveis. Ou seja, enquanto algumas vezes pode-se estar em cima, em outros momentos as quedas podem ser esmagadoras.

Por si só, os relacionamentos que temos com as outras pessoas são complexos. Agora imagine se é com uma pessoa cujo humor muda constantemente.

O que é o transtorno bipolar?

Mulher bipolar

O transtorno bipolar é aquele caracterizado por alterações no humor, que se manifestam com estados de euforia, seguidos por episódios depressivos ou mistos.

Pessoas com transtorno bipolar apresentam súbitas mudanças de humor. Embora existam vários subtipos, este pode variar entre episódios eufóricos ou depressivos.

Essas mudanças podem ocorrer anualmente entre dois e três ciclos; em outros casos, pode acontecer que um episódio seja seguido por outro, em vários dias.

Leia também: Descubra como evitar a neuroinflamação devido à depressão

O que se pode esperar durante episódios eufóricos?

Quando a pessoa passa por episódios eufóricos, pode sentir-se da seguinte maneira:

  • Muita alegria, otimismo, força e encorajamento.
  • Ansiedade, nervosismo ou sentir-se alterada.
  • Pode conversar rapidamente e passar de um tópico para outro, sem fazer uma pausa.
  • Pode sentir que é capaz de executar muitas tarefas ao mesmo tempo.
  • Criatividade e muita energia.
  • As horas de sono diminuem e há menos descanso.
  • Se as pessoas sentem que suas necessidades não são atendidas ou não conseguem o que desejam, podem ter uma atitude irritável.
  • É possível que se arrisquem em alguns projetos ou assumam comportamentos incomuns, como fazer compras excessivas ou gastar dinheiro desnecessariamente.
  • Geralmente sentem muito mais interesse sexual.

O que você pode esperar durante os episódios depressivos?

  • A pessoa sente tristeza.
  • Preocupação excessiva e sensação de abandono.
  • Perda de interesse em atividades que lhe excitavam anteriormente.
  • Dificuldade de concentração
  • Cansaço e apatia

Como pode ser visto, a pessoa com transtorno bipolar pode passar de sentir-se “o máximo” para ” sentir-se completamente abandonadas”. Bem, isso acontece devido à mudança do episódio eufórico para o depressivo.

Não perca este artigo: Sintomas de doenças mentais que deveria conhecer

Como conviver com uma pessoa com transtorno bipolar?

Mulher triste

Viver com uma pessoa com transtorno bipolar não é fácil, assim como indicam os estudos existentes. Em muitos casos, as pessoas ao seu redor podem sentir-se ofendidas ou invadidas em seu espaço.

A sensibilidade das pessoas ao seu redor também pode ser prejudicada, especialmente com as exigências sexuais, mas as pesquisas sugerem que o apoio é muito importante.

Um detalhe importante que todas as pessoas que convivem com alguém que sofre desse distúrbio devem ter em mente, é que esforçar-se para mudar seu comportamento não mudará as coisas.

Algumas pessoas, especialmente os casais, costumam observar com atenção seus hábitos, sua perspectiva ou coibir certas maneiras de se comportar para impedir que aqueles que sofrem desse distúrbio fiquem zangados ou deprimidos. No entanto, isso não impedirá suas reações.

Dicas para viver com alguém que sofre de transtorno bipolar

  • Procure ajuda profissional: tanto para a pessoa com o transtorno, como para o seu parceiro, ou para as pessoas ao seu redor.
  • Se o casal ou a pessoa com quem compartilham não tiver um diagnóstico, é importante que vejam a necessidade de procurar ajuda para que, após o tratamento, as coisas fluam melhor.
  • Recorra ao amor e à compreensão: dar apoio, em vez de julgar ou “repreender” a pessoa com o transtorno. A melhor recomendação é fazer com que a pessoa entenda que nos preocupamos com ela, e queremos apenas o melhor para o seu bem-estar.
  • Eliminar o estigma em relação aos transtornos mentais: entenda que não há problema em procurar um psicólogo ou psiquiatra, pois esses profissionais podem nos ajudar a mudar para melhorar as nossas vidas.
  • Incentive a pessoa a fazer atividades físicas: especialmente quando se sentir deprimida. Isso a ajudará a se sentir melhor, e fará com que veja que está acompanhada. Devemos sempre transmitir-lhe quietude e tranquilidade.
  • Não se converta em uma vítima: não se sinta responsável pelo que acontece. Se desejar, você pode participar de psicoterapias para que sinta apoio.

O que mais podemos fazer?

  • Em primeiro lugar, também devemos cuidar de nossa saúde mental para não nos sentirmos desgastados.
  • Cuidar-nos fisicamente, fazer exercícios, nos alimentarmos de forma saudável, e fazer atividades que sejam gratificantes.

Seguindo essas diretrizes, podemos nos sentir melhor, não apenas nós mesmos, mas também àquelas pessoas que estão passando um mau momento por causa do distúrbio bipolar.

As pessoas que sofrem de transtorno bipolar podem às vezes nos machucam, mas geralmente isso não acontece porque querem. Por isso é importante procurar ajuda profissional para lidar com esses episódios.

 

  • Gutiérrez-Rojas, L., Martínez-Ortega, J. M., & Rodríguez-Martín, F. D. (2013). La sobrecarga del cuidador en el trastorno bipolar. Anales de Psicologia. https://doi.org/10.6018/analesps.29.2.124061
  • Herrero Villanueva, J. A., & Serrano Parra, M. D. (2006). Planes de cuidados al paciente con depresión y trastorno bipolar. Oferta Terapéutica En Enfermería de Salud Mental.
  • María, D., Lic, P., Perinot, L., & Gagliesi, P. (2015). Trastorno Bipolar Guía para pacientes, Familiares y allegados. Fundación Foro.
  • Suárez, M. Z., Montes, M. G., Jarabo, D. S., & Forteza, G. L. (2015). Trastorno bipolar. Medicine (Spain). https://doi.org/10.1016/j.med.2015.08.003