Como agir quando seu parceiro mente para você?

Mentir é algo que pode criar uma desconfiança profunda. Por esse motivo, a mentira não deve fazer parte de nenhum relacionamento saudável.
Como agir quando seu parceiro mente para você?

Última atualização: 06 janeiro, 2022

Em um relacionamento, seja namoro ou casamento, as mentiras não deveriam ter lugar. Muito menos de forma constante. Porém, em algum momento da vida, pode surgir uma situação que faça com que um dos dois tenha que esconder certas informações do outro. Portanto, é normal que quando o momento chega, você se pergunte como agir quando seu parceiro mente para você.

Lembre-se de que cada casal é diferente e que as situações podem ser muito variadas. Por esse motivo, não existe uma fórmula mágica universal que possa ser aplicada igualmente a todos os casos, em todos os momentos. No entanto, é possível levar em consideração algumas questões.

Mentiras não devem fazer parte de um relacionamento

Um relacionamento deve ser baseado em valores, confiança e honestidade. Não apenas por amor, mas por respeito por aquela pessoa com quem você compartilha a vida. Portanto, é fundamental cuidar e cultivar esses valores de diferentes formas no dia a dia e não apenas por meio de gestos específicos, como um jantar de aniversário ou um presente, por exemplo.

Se você descobriu que seu parceiro está mentindo para você ou que aconteceu uma situação de infidelidade, é normal que se sinta magoado e até indignado. Também é normal que sinta desconfiança e seja difícil para você lidar com certos pensamentos e emoções ao interagir com seu parceiro.

Mentiras no casal.

Dependendo da situação e da mentira, você terá que agir de uma forma ou de outra. No entanto, em geral, você deve tentar, tanto quanto possível, administrar adequadamente seus pensamentos, emoções e sentimentos.

Repreender seu parceiro a cada momento, fingir que controla sua agenda e todos os seus movimentos a cada minuto ou pedir-lhe que tome uma certa medida drástica não são maneiras de resolver problemas. Ao contrário, pode gerar mais complicações e aumentar o desconforto de todos os envolvidos.

Mentiras doem. Por isso, você deve tentar processar e controlar essa dor para encontrar uma solução saudável e seguir em frente.

Vingança não é a resposta

O ressentimento é um dos sentimentos mais prejudiciais em qualquer relacionamento . Faz com que você se concentre apenas na sua dor e tenha em mente apenas a falha que seu parceiro cometeu e o quanto isso te incomoda. Isso complicará a tarefa de virar a página e seguir em frente.

Focar no passado, além de ser doloroso, não vai trazer nenhum benefício para você, nem é saudável. Mas como agir então?

Você pode querer recorrer à vingança e passa pela sua cabeça querer pagar na mesma moeda e fazer você experimentar a dor que sente quando seu parceiro mente para você. Esta não é a solução. Pode ser que, se o fizer, no início terá um certo sentimento de satisfação, mas tenha em mente que depois só conseguirá magoar o seu parceiro e é muito provável que depois você se sinta pior.

Também não deve exibir sua superioridade moral e pretender que seu parceiro aja como você sempre quer ou espera que ele aja.  Embora seja verdade que você pode esperar reciprocidade em questões de amor, lealdade e honestidade, no final todos os expressam da maneira que sabem, querem e podem.

Cuidado, não se trata de justificar qualquer falta com frases como “essa é a sua maneira de expressar o amor…”. Por exemplo, agressão física ou abuso psicológico não podem ser justificados a partir desta perspectiva. Portanto, não é necessário ver tudo preto ou branco.

  • Não se deixe dominar por suas expectativas sempre.
  • Não tente controlar o seu parceiro.
  • Evite extremos: não justifique tudo nem pretenda que tudo seja feito do seu jeito.
  • Vaidade e “superioridade moral” não são boas companhias quando se trata de resolver problemas. Muito menos como casal.

Também pode ler: A convivência em casal

O que você pode fazer se seu parceiro mentir para você?

A comunicação é muito importante em todas as relações e é essencial que seja sincera. Esta é uma ferramenta poderosa que permitirá a você – tanto você quanto seu parceiro – expressar preocupações, bem como propor soluções e, claro, ouvir a outra parte e buscar um consenso.

Falar com respeito e sinceridade pode não só corrigir as dificuldades de ambos os lados, mas também promover o crescimento de ambos no nível pessoal, o que, por sua vez, pode ajudá-los a crescer como casal.

Se seu parceiro está mentindo para você, converse com ele. Seja claro sobre o que você sente e pensa, mas sempre com respeito. Desta forma, você criará um ambiente adequado para que todos possam se expressar e esclarecer várias questões.

Depois de falar, se você alcançou uma boa resolução, é importante começar a aplicá-la aos poucos. Para isso, comece por ser um pouco mais receptivo às demonstrações de compromisso e honestidade de seu parceiro.

Também é importante que seu parceiro demonstre interesse em encontrar a melhor solução. Sem isso, você não será capaz de realmente avançar em  ou restaurar a confiança necessária.

Se você acha que já tentou de tudo e nada está dando certo, procurar a ajuda de um terapeuta profissional e fazer terapia com seu parceiro pode ajudar. Um terapeuta fornecerá ferramentas com as quais você irá recuperar seu parceiro ou irá ajudá-lo a ver se é melhor para vocês dois encerrarem o relacionamento.

This might interest you...
8 passos para reinventar a relação do casal
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
8 passos para reinventar a relação do casal

Quando a convivência do casal já não é mais a mesma, pode ser necessário reinventar a relação para evitar a separação. Saiba mais aqui!



  • Canto Ortiz, Jesús M.; García Leiva, Patricia; Jacinto, Luis Gómez.  Celos y emociones: Factores de la relación de pareja en la reacción ante la infidelidad. Athenea Digital (Revista de Pensamiento e Investigación Social). 2009. 17(3): 39-55.

  • Espinoza Romo, Alejandra Viridiana; Correa Romero, Fredi Everardo; García y Barragán, Luis Felipe. Percepción social de la infidelidad y estilos de amor en la pareja. Enseñanza e Investigación en Psicología, vol. 19, núm. 1, enero-junio, 2014, pp. 135-147.

  • Rivera Aragón Sofía, Díaz Loving Rolando, Villanueva Orozco Gerardo Benjamín Tonatiuh, Montero Santamaria Nancy. El conflicto como un predictor de la infidelidad. Acta de investigación psicol. 2011; 1(2): 298-315.

  • Valdez Medina, José Luis; González Colín, Beatriz; Maya Martínez, Mario Ulises et al. Las Causas Que Llevan A La Infidelidad: Un Análisis Por Sexo. Acta de Investigación Psicológica. 2013; 3(3): 1271-1279.