Reduza as cólicas do bebê com estes 4 remédios caseiros

· 1 de setembro de 2017
Um estudo aponta que a ansiedade produzida pela chegada ao mundo pode estar por trás das cólicas, por isso é bom recriar o ambiente do ventre materno para relaxar o bebê.

As cólicas do bebê são muito frustrantes, quem teve filhos sabe disso. Ele chora durante horas, apesar de tudo parecer estar em ordem.

Não tem febre, as fraldas estão secas, acabou de comer e, no entanto, continua soluçando como se uma dor profunda o atravessasse. E você não pode fazer nada, nem ao menos perguntar o que acontece.

O estresse é enorme, você chega inclusive a pensar que não é uma boa mãe ou um bom pai. Pensa “eu sou a pessoa adulta aqui, não deveria controlar a situação e protegê-lo de todos os males?”.

Se você está lendo isso, certamente viveu esta cena em mais de uma ocasião. Mas, por quê? A causa exata das cólicas em bebês ainda é desconhecida.

Na verdade, se define como episódios de choro de longa duração repetidos ao longo da semana, sem origem aparente.

No entanto, um estudo revelou que uma porcentagem de crianças apresenta uma sensibilidade maior do que outras. 

E a verdade é que, se pararmos para pensar, parece razoável. Imagine a tranquilidade do ventre materno e preste atenção no que acontece ao seu redor.

Imagine o contraste de escuridão e luz; o batimento da mãe e o barulho; satisfação contínua e fome… Essa antítese provoca uma ansiedade nos bebês, que se manifesta da única maneira que sabem: chorando.

Por isso, é fundamental que os ajudemos a relaxar.

Reduza as cólicas em bebês com 4 remédios

1. Infusão de camomila

Chá de camomila para acalmar as cólicas do bebê

A camomila tem uma substância chamada glicina que possui efeitos relaxantes. Além disso, todos os seus componentes são muito suaves, por isso seu organismo a tolera sem problemas.

  • Contudo, se você está temerosa, comece umedecendo a chupeta antes de dar a infusão diretamente.
  • Se o bebê tolerar bem, é hora de tomar um gole na mamadeira.
  • Caso continue bem, poderá beber com mais assiduidade.

Por outro lado, os bebês costumam ter gases e o remédio será muito bom para isso também.

Leia também: O que os gases intestinais podem revelar sobre a saúde

2. Crie um ambiente relaxado

Como aliviar as cólicas do bebê

Você pode tomar esta medida para acalmar o bebê, assim como para prevenir o aparecimento das cólicas. Coloque uma luz tênue, rode com ele e lhe dê algo agradável para segurar.

Inclusive, você pode recorrer a aquelas gravações que reproduzem os sons de quando estávamos no ventre.

Assim, ele se sentirá em um local seguro, no local em que tudo era paz e tranquilidade, onde não precisava se esforçar para conseguir nada. Seu estresse se reduzirá e, com isso, vai parar de chorar.

  • Se preferir, pode optar por outras músicas relaxantes, como a de Mozart ou outros compositores, mas não deixe seu bebê em silêncio.
  • Lembre-se de que ele não conheceu tal estado até que chegar ao mundo. Na verdade, esta é uma das razões pelas quais é tão difícil dormir sozinho.

Recomendamos ler: 5 coisas que você deve fazer antes de ser mãe

3. Balançar

Como aliviar as cólicas do bebê

Outra forma de levá-lo de maneira simbólica a aquele lugar seguro é balançá-lo de cima para baixo com a cabeça em seu peito.

  • Este movimento os transportará a sua primeira casa, já que é muito similar ao que percebiam quando a mamãe caminhava.
  • Logo, ao ter a orelha próxima ao coração, notarão o batimento que os acompanhava naquele momento, o que constitui uma excelente ferramenta para aliviar a cólica dos bebês.

4. Banho de água morna para reduzir as cólicas do bebê

De novo, estamos falando de replicar o ambiente do útero. Ali, as crianças estavam rodeadas de líquido amniótico. Por isso, a sensação de flutuação os tranquiliza muito.

Aqui, podemos recorrer às gravações das que falávamos anteriormente. Na verdade, se unirmos estas duas medidas, o ambiente será quase idêntico ao que tanto sentem falta.

A experiência de chegar ao mundo é muito traumática. Nunca tinham respirado ar, por exemplo. Não havia a necessidade.

Esse é o seu primeiro esforço. Por isso, não é de estranhar que algumas crianças muito sensíveis encontrem a vida como um lugar hostil que as esgota.

Apesar de estarmos sempre ao lado para ajudá-los, para eles deve ser tão difícil como aterrissar em uma ilha deserta seria para nós.

Em suma, a diferença é que os adultos têm a palavra e eles o choro.