O que os gases intestinais podem revelar sobre a saúde

15 de janeiro de 2020
Certamente alguma vez você já sentiu mal-estar estomacal e teve gases. Descubra a seguir o que eles podem revelar sobre o seu estado de saúde.

O excesso de ar no intestino causa distensão abdominal. Os gases intestinais são causados pelas bactérias produzidas pelos alimentos que ingerimos. Se não tivermos hábitos como uma boa alimentação, a prática de exercícios e a ingestão das vitaminas adequadas, os gases serão constantes.

Entre as possíveis causas estão: comer com pressa, engolir muito ar ao ingerir os alimentos (falando ao comer, por exemplo) ou consumir quantidades exageradas de comida.

Os gases intestinais não são considerados uma doença, e sim um sinal de alerta de que há algo errado no sistema digestivo.

Por outro lado, é provável que você esteja comendo grandes quantidades de açúcares e celuloses. Esses carboidratos não são digeridos nem absorvidos facilmente, por isso acabam nos intestinos e são eliminados com a evacuação.

No entanto, há outros alimentos, como a couve-flor, lentilhas, passas ou brócolis, que causam o mesmo efeito. Neste caso, os gases são completamente naturais.

Quando devo me preocupar?

Mulher com gases

Os gases costumam ser um incômodo passageiro e, em geral, não são indício de uma doença grave. No entanto, nunca é demais consultar um médico para ter certeza quando ocorrem com frequência e são acompanhados por outros sintomas.

Por que tenho tantos gases?

Há hábitos que favorecem a expulsão de ar pelos intestinos. Como já mencionamos anteriormente:

  1. Comer rápido demais.
  2. Mascar chiclete ou comer baças.
  3. Beber com canudinho.
  4. Uso de dentaduras.

No entanto, o humor da pessoa também influencia a presença de gases intestinais. Isso ocorre porque, quando uma pessoa está nervosa, ela tende a engolir mais ar, mesmo sem perceber.

De fato, de acordo com uma pesquisa publicada em 2017, emoções como ansiedade e estresse afetam o desenvolvimento de distúrbios como a síndrome do intestino irritável (SII). Aparentemente, essas emoções influenciam as comunicações bidirecionais entre o intestino e o cérebro.

Sinais de alerta

Falta de apetite

  • Se os gases começam após a ingestão de algum medicamento.
  • Dor abdominal intensa e constante, sobretudo em pessoas idosas.
  • Falta de apetite, vômitos, enjoos ou diarreia.
  • Prisão de ventre e perda de peso.
  • Mudanças na cor das fezes.
  • Incômodo ao comer.
  • Inchaço no estômago.
  • Acidez estomacal.

Causas

  • Quando a pessoa não mastiga da forma adequada, os alimentos têm dificuldade para chegar ao cólon.
  • No momento em que os alimentos chegam ao cólon, são digeridos por uma enorme quantidade de bactérias. Quanto mais difícil for o processo, mais gases.
  • Os adoçantes e produtos com conservantes demoram muito para ser digeridos.
  • As pessoas que não têm uma quantidade suficiente de lactase têm dificuldade para decompor qualquer laticínio.
  • O ritmo intenso da rotina provoca estresse e ansiedade, o que inevitavelmente altera o funcionamento do intestino, produzindo uma quantidade elevada de ar.
  • Se você sofre de prisão de ventre, os gases são uma realidade pois são provocados pelas fezes que estão presas.
  • Por outro lado, como indicado pelos especialistas da Clínica Mayo, o excesso de gases pode ser a indicação de outros distúrbios, como pancreatite autoimune, diabetes, doença de Crohn, colite ulcerativa, síndrome do intestino irritável, refluxo gastroesofágico, entre outros.

Prevenção

Alimentação saudável

O objetivo é diminuir a quantidade de gases, seja por arrotos ou flatulências. Para isso, é indispensável fazer uma mudança na alimentação. Estas são algumas recomendações:

  • Evite chupar balas.
  • Coma macarrão somente 1 vez por semana.
  • Sempre que possível, coma frutas maduras.
  • Diminua a quantidade de queijos e iogurte.
  • Limite o consumo de tomate, cenoura e aipo.
  • Troque as frituras pelos assados e cozidos.
  • Não consuma produtos com um alto teor de açúcar.

Alimentos não recomendados

  • As leguminosas devem ser ingeridas somente em forma de purê. Fique longe de lentilhas, grão-de-bico e feijão.
  • Há vegetais que provocam muitos gases. Diminua a ingestão de repolho, pepino, alface e brócolis.
  • As farinhas e cereais não são um bom complemento.
  • Evite os laticínios, especialmente o leite.
  • Evite rabanetes, batata e cebola crua.
  • Reduza ou corte o consumo de refrigerantes.
  • Bebidas alcoólicas.
  • Chocolate.

Tratamento para os gases intestinais

Exercícios com bola

Fazer exercícios é muito recomendável para melhorar o funcionamento do sistema digestivo. Isso não apenas reduzirá os gases, mas também a dor e a inflamação abdominal. Algumas das atividades que podem ajudar são:

  • Caminhar com ombros retos e as mãos para trás.
  • Andar de bicicleta, fazer ioga ou pilates.
  • Subir e descer escadas.

No entanto, um especialista pode receitar suplementos com alto teor de probióticos, que oferecem bactérias benéficas para ajudar no processo digestivo.

Por outro lado, se o paciente sentir uma dor intensa que se repete várias vezes ao dia, o ideal é tomar um medicamento contra as cólicas intestinais. Ele age diretamente no intestino ao relaxar os músculos abdominais.

Nota importante

É importante não se automedicar. A automedicação esconderá a causa da dor, e isso dificultará a determinação do tratamento apropriado. Nesse sentido, ao tomar um medicamento, podemos chegar a acreditar que os gases não se devem a nenhuma outra doença, quando, na verdade, pode não ser o caso.

  • Pellissier, S., & Bonaz, B. (2017). The Place of Stress and Emotions in the Irritable Bowel Syndrome. In Vitamins and Hormones. https://doi.org/10.1016/bs.vh.2016.09.005
  • Hasler WL. Gas and Bloating. Gastroenterol Hepatol (N Y). 2006;2(9):654–662.
  • Azpiroz F. Intestinal gas dynamics: mechanisms and clinical relevance. Gut. 2005;54(7):893–895. doi:10.1136/gut.2004.048868