Doença de Crohn

28 Outubro, 2017
A doença de Crohn é uma doença inflamatória intestinal crônica que afeta o trato gastrointestinal e que se manifesta de forma intermitente ao longo da vida do indivíduo.
 

A doença de Crohn é uma patologia que consiste na inflamação crônica da espessura da parede de várias sessões do trato digestivo, geralmente no intestino. Isso dá lugar a sintomas como diarreia, dor abdominal, febre, etc.

Doença inflamatória intestinal

A doença Inflamatória Intestinal (EII) se caracteriza pela inflamação crônica da parede intestinal de etiologia não específica e que apresenta cursos recorrentes.  Dentro da EII encontramos duas grandes patologias, a colite ulcerosa e a doença de Crohn.

Intestinos em pacientes com Doença de Crohn

Enquanto que a colite ulcerosa só afeta à mucosa da parede do cólon, a doença de Crohn afeta a toda a espessura da parede intestinal e a todos os segmentos intestinais, ainda que habitualmente o faça de forma segmentada e assimétrica.

Não se sabe com certeza qual é a etiologia da doença, por isso a teoria mais aceita até agora é a multifatorialidade, ou seja, a doença de Crohn seria consequência de fatores genéticos, ambientais, microbiológicos e imunológicos.

Sintomas da doença de Crohn

  • Diarreia, normalmente com sangue.
  • Dor abdominal.
  • Protuberância abdominal.
  • Perda de peso.
  • Cansaço.
  • Tenesmo fecal.
 
  • Febre.

A doença de Crohn pode dar lugar a complicações como:

  • Abscessos.
  • Fístulas.
  • Obstrução intestinal.
  • Estenose.
  • Doença perianal.
  • Megacólon tóxico.

Além disso, a doença de Crohn foi associada a uma maior pré-disposição ao câncer de cólon, ainda que os estudos não tenham sido concluídos pelo desconhecimento da etiologia da doença.

Manifestações extra intestinais

Relacionadas com o grau de atividade:

  • Arteriopatia periférica.
  • Eritema nodoso.
  • Episclerite.
  • Estomatite aftosa.
  • Fígado gorduroso.
Veia com arteriosclerose em paciente com Doença de Crohn

Independente do grau de atividade:

  • Pioderma gangrenoso.
  • Psoríase.
  • Espondilite anquilosante.
  • Uveíte e sacroileíte.

Diagnóstico da doença de Crohn

O diagnóstico da doença inflamatória intestinal se realiza por meio dos dados clínicos, de laboratório e histológicos, e as provas endoscópicas e radiológicas, pois não há nenhuma prova específica para detectar a doença.

É necessário descartar sempre a enteropatia celíaca e as infecções intestinais, pois ambas patologias podem estar inflamando a mucosa.

A falta de um exame efetivo para a detecção da doença inflamatória intestinal dá lugar a um atraso importante no diagnóstico.

 

Endoscopia

A endoscopia é usada para o diagnóstico inicial e diferencial, para determinar o grau de extensão e a severidade das lesões, assim como a presença ou não de neoplasia, para valorizar a resposta ao tratamento, e como método terapêutico em alguns casos.

Endoscopia em paciente com Doença de Crohn

A ileocolonoscopia é o teste de escolha na avaliação inicial da doença de Crohn.

Radiologia

São realizados diversos estudos radiológicos, entre os quais incluímos radiografias, ecografias, o TAC e a ressonância magnética. Os estudos radiológicos nos ajudam à detecção de edema, úlceras, estenose, fístulas e afetações extra intestinais.

Histologia

A biopsia na doença de Crohn é um exame muito importante para o diagnóstico diferencial com outras possíveis patologias. As principais características antomopatológicas da doença de Crohn são:

  • Afetação descontínua da parede.
  • Presença de granulomas.
  • Presença de linfócitos e células plasmáticas.
  • Irregularidades das criptas intestinais.

Exames de laboratório

Será feito o exame da calprotectina, que determinará se há inflamação intestinal ou não segundo exista a presença desta proteína nas fezes ou não.

 

Além disso, se realizará uma análise geral para avaliar o estado do paciente.

Classificação da doença de Crohn

Diferencia-se aos pacientes segundo a idade de início, a localização e o tipo de padrão da doença, segundo a Classificação de Montreal.

  • Idade.
    • A1: menos de 16 anos.
    • A2: de 16 a 40 anos.
    • A3: a partir dos 40 anos.

O índice de atividade de Harvey permite conhecer o estado da doença de Crohn segundo critérios clínicos.

  • Localização.
    • L1: Íleon.
    • L2: Cólon.
    • L3: Íleon e cólon.
    • + L4: se existe afetação do tubo digestivo superior.
  • Tipo de problema.
    • B1: Tipo inflamatório.
    • B2: Tipo estenosante.
    • B3: Tipo fistulizante.
    • + P: se existe afetação perianal.

Índice de atividade da doença de Crohn

Avalia-se o bem-estar geral do paciente, a dor abdominal, o número de deposições líquidas por dia, ou seja, número de diarreias e a presença de massas abdominais e de complicações.

A pontuação total do índice pode nos indicar que a doença está em remissão, moderadamente ativa ou marcadamente ativa, o que estabelecerá a gravidade e o tratamento da doença de Crohn.

 

 

  • Baumgart, D. C., & Sandborn, W. J. (2012). Crohn’s disease. In The Lancet. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(12)60026-9
  • Lichtenstein, G. R., Hanauer, S. B., Sandborn, W. J., Inadomi, J., Baroni, D., Bernstein, D., … Zuckerman, M. J. (2009). Management of Crohn’s disease in adults. American Journal of Gastroenterology. https://doi.org/10.1038/ajg.2008.168
  • Franke, A., & Parkes, M. (2013). The genetics of Crohn’s disease. In Molecular Genetics of Inflammatory Bowel Disease. https://doi.org/10.1007/978-1-4614-8256-7_5
  • Fritz, T., Niederreiter, L., Adolph, T., Blumberg, R. S., & Kaser, A. (2011). Crohn’s disease: NOD2, autophagy and ER stress converge. Gut. https://doi.org/10.1136/gut.2009.206466
  • Enfermedad de Crohn. MedlinePlus, en línea: https://medlineplus.gov/spanish/crohnsdisease.html.
  • Melvin I. Roat , MD, FACS, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University. Epiescleritis. https://www.msdmanuals.com/es-es/hogar/trastornos-de-la-piel/hipersensibilidad-y-trastornos-cut%C3%A1neos-inflamatorios/eritema-nudoso.
  • Bernard J. Hennessy , DDS, Texas A&M University, College of Dentistry. Estomatitis aftosa recidivante. https://www.msdmanuals.com/es-es/hogar/trastornos-bucales-y-dentales/s%C3%ADntomas-de-los-trastornos-orales-y-dentales/estomatitis-aftosa-recidivante?query=Estomatitis%20aftosa.
  • Aaron E. Walfish,  MD, Mount Sinai Medical Center; & Rafael Antonio Ching Companioni , MD, Icahn School of Medicine, Elmhurst Hospital Center. Enfermedad de Crohn. Manual MSD. https://www.msdmanuals.com/es-es/hogar/trastornos-gastrointestinales/enfermedad-inflamatoria-intestinal/enfermedad-de-crohn?query=Uveitis%20y%20sacroileitis.
  • Castaño Llano, Rodrigo. (2010). Ileocolonoscopia en la enfermedad inflamatoria intestinal. Revista Colombiana de Gastroenterologia25(3), 282-294. Retrieved June 28, 2020, from http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0120-99572010000300009&lng=en&tlng=es.
  • Hugo Monrroy & Patricio Ibáñez. Clasificación de la gravedad de la enfermedad inflamatoria intestinal. Gastroenterol. latinoam 2013; Vol 24, Nº2: 85-90. https://gastrolat.org/clasificacion-de-la-gravedad-de-la-enfermedad-inflamatoria-intestinal/.