Cílios magnéticos: vantagens e dicas para uso seguro

Os cílios magnéticos são a nova alternativa para embelezar os olhos e alcançar um visual marcante e impressionante. A melhor parte é que eles são fáceis de colocar e baratos.
Cílios magnéticos: vantagens e dicas para uso seguro

Última atualização: 21 Junho, 2021

Atualmente existem vários produtos, tratamentos e técnicas para melhorar o volume, comprimento, quantidade e curvatura dos cílios. Alguns deles são cílios postiços, extensões de cílios e a nova tendência: os cílios magnéticos.

Apesar de os cílios postiços serem a primeira opção para embelezar o visual, muitas mulheres abandonaram essa técnica. O motivo são as alergias e infecções causadas pela cola necessária para aderir à pálpebra.

No entanto, os cílios magnéticos são fixados sem a necessidade do uso de qualquer substância, pois contêm ímãs muito pequenos que aderem a qualquer superfície magnetizada. Se quiser continuar aprendendo sobre essa nova moda que veio para ficar, continue lendo este artigo!

O que são os cílios magnéticos?

Os cílios magnéticos são tiras de pelos que podem ser naturais ou sintéticos. Contêm dois ou cinco ímãs retangulares muito pequenos que permitem a adesão a uma superfície magnetizada. Assim como nas opções anteriores de embelezamento, você pode escolher o comprimento e a espessura da tira.

Os cílios magnéticos se adaptam facilmente a qualquer olho, independentemente do tamanho.

Cílios magnéticos

Como os cílios magnéticos são colocados?

Colocar os cílios magnéticos é um processo simples que requer paciência, mas é apenas uma questão de prática. Atualmente, existem dois procedimentos de colocação. São os seguintes:

  • O primeiro é usar duas fitas magnéticas para os cílios e uni-las aos cílios naturais. Ou seja, os seus próprios cílios devem estar entre as duas tiras de ímãs.
  • O segundo é aplicar um delineador em gel com ímãs na pálpebra do olho, e depois colocar a tira de cílios.

Para removê-los, o processo é ainda mais fácil. Basta puxar as tiras com os dedos. Em seguida, você deve guardá-las para reutilizá-las.

Cílios de duas tiras

Esta variedade é composta por duas tiras de pelos para cada olho, contendo micro ímãs. Primeiramente, coloca-se a tira superior sobre a base da pálpebra. Depois que fixou, coloca-se a tira de baixo unindo com a de cima, deixando os cílios naturais no meio.

Embora esse procedimento possa ser complicado, há ferramentas para torná-lo mais fácil. Existem pinças magnetizadas que permitem que você coloque as tiras nos ímãs para colocá-los no olho.

Vantagens

Os cílios magnéticos têm múltiplas vantagens em comparação com outros produtos no mercado (por exemplo, extensão de cílios e fios colocados um a um). Entre seus benefícios, estão os seguintes:

  • Não precisam de cola: mulheres que evitam usar os cílios postiços porque a cola causa alergia ou danifica a pele podem usá-los com ímãs.
  • Fáceis de aplicar e retirar: enquanto os cílios postiços e extensões requerem técnica e ferramentas para a sua colocação, os magnéticos podem ser aplicados sem que se tenha conhecimento prévio do assunto e utilizando apenas os dedos. Não é necessário contratar um especialista ou ir a um centro de estética.
  • Acabamento natural: às vezes os produtos para cílios, ao invés de realçar o olhar, sobrecarregam fazendo com que pareça artificial. Este não é o caso dos cílios magnéticos.
  • São baratos: comparados com o serviço de aplicação de extensões de cílios, os magnetizados podem custar um terço do valor.
  • Podemos reutilizá-los: cerca de 20 vezes.

Como usá-los com segurança?

Embora o uso desses produtos com ímã não provoque interferência ocular, é extremamente importante ter cuidado para não estar sujeito a infecções. Além disso, o uso adequado permite prolongar a vida útil dos cílios.

Aqui estão as sugestões para levar em consideração para a colocação de cílios magnéticos:

  • Não os compartilhe com outra pessoa, uma vez que infecções oculares, como conjuntivite, podem ser transmitidas pelas tiras.
  • Mantenha os cílios em local fechado, longe de poeira e umidade.
  • Você pode usar maquiagem ou rímel nos olhos depois de aplicar os cílios, mas não antes.
  • Lave as mãos para evitar infecções oculares.
  • Após o uso, é necessário limpá-los com água micelar para retirar os restos de maquiagem e poeira.
  • Se você tiver uma infecção ocular, não use os cílios magnéticos. Eles podem causar mais irritação e ser contaminados.
  • Aplicar os cílios em um ambiente agitado pode fazer com que eles não se fixem corretamente e pode até causar ferimentos.
  • Não os use se você tiver que fazer uma ressonância magnética. Este método se baseia em um poderoso ímã que poderia arrancá-los.
Cílios postiços
Existem ferramentas que facilitam a colocação das tiras magnéticas nas pálpebras.

Os cílios magnéticos são reaproveitados e reduzem a poluição ambiental

Em última análise, os cílios magnéticos são uma excelente alternativa reutilizável, barata e que economiza tempo em relação às alternativas antigas, como cílios postiços ou extensões.

Porém, embora não precisem de cola, é extremamente importante seguir as recomendações de uso. Para evitar infecções e até prolongar sua vida em até 30 vezes, é conveniente seguir as indicações. Da mesma forma, é fundamental aplicá-los com paciência e com as mãos limpas.

Pode interessar a você...
O que devo fazer para ter cílios grandes?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
O que devo fazer para ter cílios grandes?

O uso excessivo de máscara para cílios pode causar-lhe a queda e o enfraquecimento. Para ter cílios grandes você precisa fornecer-lhes cuidados diá...



  • Galvis-Ramírez V, Tello-Hernández A, Álvarez-Osorio L, Rey-Serrano J. Prevalencia de infección por Demodex folliculorum en pacientes que acuden a consulta general de oftalmología. Rev. salud pública. 2011. 13 (6): 990-997.
  • Navarrete-Rodrígueza E, Sienra-Mongeb J, Ureña-Ortiza R. Alergia Ocular. Rev. Fac. Med. 2018. 61 (3): 1-10.
  • Ramírez O, Novo Torres A, Volpe Ch. El ojo hermoso. Cir.plást. iberolatinoam. 2007. 33 (2): 79-90.
  • Pérez-Alcázar G. Imanes permanentes: características, aplicaciones y futuro. Rev. Acad. Colomb. Cienc. Ex. Fis. Nat. 2016. 40(155):221-233.