Chá Matcha: o que é e quais são os seus usos?

16 Agosto, 2020
O chá Matcha, assim como o chá verde, vem da planta Camellia sinensis. No entanto, seu perfil nutricional é diferente e ele também possui uma forma distinta de cultivo. Para que ele é usado? Descubra a seguir.

O chá matcha é um produto que se tornou popular por suas curiosas propriedades. Ele provém da mesma planta do chá verde tradicional, Camellia sinensis, mas é um produto em pó com um perfil nutricional diferente, pois seu cultivo também é peculiar.

Para cultivar esse tipo de chá, os agricultores cobrem as plantas 20 a 30 dias antes da colheita para evitar a luz solar direta. Dessa forma, a produção de clorofila aumenta, assim como o conteúdo de aminoácidos. Por isso, a planta adquire uma tonalidade verde mais escura.

Quando chega a hora da colheita, as melhores folhas são colhidas manualmente e as hastes e veias da planta são removidas. Então, elas são moídas e um pó verde brilhante é obtido e distribuído sob o nome de chá matcha. Detalharemos suas propriedades e usos a seguir.

Propriedades nutricionais do chá matcha

Como mencionamos, o chá matcha é caracterizado pelo seu perfil nutricional único. Embora tenha semelhanças com o chá verde, sua concentração nutricional é maior. De acordo com o SELF Nutrition Database, uma porção de chá matcha (1 colher de chá ou 1 grama) contém:

  • Proteína (entre 250 e 300 mg)
  • Aminoácidos (cerca de 272 mg)
  • Lipídios (cerca de 50 mg)
  • Minerais como potássio, magnésio, cálcio, zinco, fósforo e ferro
  • Vitaminas A, B1, B2, B6, C, E e K

Por outro lado, uma estimativa publicada no Journal of Chromatography A sugere que o número de catequinas contidas nesse tipo de chá é até 137 vezes maior que em outros tipos de chás verdes. Por esse motivo, em questões de saúde, esta é uma das opções preferidas.

Chá matcha
Embora provenha da mesma planta do chá verde, o chá matcha é cultivado de maneira diferente e, portanto, seu perfil nutricional é único.

Principais usos do chá matcha

Nos últimos anos, o chá matcha tem sido usado como um complemento nutricional para promover a saúde e o bem-estar. O pó é batido com água quente e é obtida uma bebida para complementar a dieta. Agora, devido à sua textura e sabor, algumas pessoas estão usando-o para fazer sobremesas, coquetéis e outros tipos de bebidas.

No entanto, em geral, a maioria dos consumidores o prefere por seus benefícios para a saúde. Embora muitos ainda não o conheçam, várias pesquisas determinaram que seus componentes são adjuvantes na prevenção de algumas doenças.

Talvez você também possa se interessar: O que são fitoquímicos?

Saúde do cérebro

A bebida feita com este chá natural costuma ser recomendada para melhorar a saúde do cérebro. Devido ao seu teor de substâncias estimulantes, como a cafeína e a L-teanina, pode contribuir para um maior estado de alerta e um aumento no nível de energia.

Um estudo publicado na Food Research International descobriu que o matcha pode provocar melhorias na atenção, tempo de reação e memória, em comparação com o placebo. Embora seja um assunto que ainda exija pesquisa, os resultados sugerem que ele pode ser um bom complemento para melhorar o desempenho do cérebro.

Saúde do coração

Devido à sua concentração de catequinas, esse tipo de chá também fornece efeitos protetores para a saúde do coração. De acordo com uma revisão de estudos publicados na revista médica Current Medicinal Chemistry, as catequinas têm atividade antioxidante, anti-inflamatória, antiplaquetária e antiproliferativa.

Devido ao acima exposto, o matcha e outras variedades de chá verde são auxiliares na redução dos níveis elevados de colesterol, problemas de pressão arterial e outros fatores que aumentam o risco de doenças cardiovasculares crônicas.

Doenças cardiovasculares
O chá matcha não é um substituto para tratamentos médicos diante de doenças cardiovasculares. No entanto, devido ao seu teor de catequinas, pode servir como um auxílio para cuidar do coração em adultos saudáveis.

Peso corporal

Outro uso do chá matcha tem a ver com o peso corporal. Como se não bastasse, ele também é um dos muitos produtos milagrosos que prometem reduzir os quilos extras em pouco tempo. Simplificando, como parte de uma dieta saudável, ele pode ajudar na perda de peso.

Em uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition, consumir extrato de chá verde ajudou a aumentar a queima de gordura em até 17% durante a prática de exercícios moderados. Além disso, outras pesquisas associaram seu consumo a um maior gasto energético.

De qualquer forma, este é um assunto que ainda está sendo investigado e cuja evidência ainda é insuficiente para fazer afirmações. Quando se trata de perder peso, é essencial priorizar as recomendações do médico e do nutricionista.

Não deixe de ler: O que você deve saber sobre os medicamentos para emagrecer

Efeitos colaterais e contraindicações do chá matcha

Na maioria dos adultos saudáveis, o chá matcha é considerado seguro, desde que seu consumo seja moderado. Duas ou três xícaras por dia são suficientes, cada uma feita com um grama do produto. No entanto, devido ao seu teor de cafeína, este chá pode causar efeitos colaterais, especialmente quando as doses são excedidas ou naqueles que têm sensibilidade a essa substância.

Tais efeitos incluem:

  • Irritabilidade
  • Insônia
  • Dores de cabeça
  • Palpitações
  • Tonturas
  • Náusea e vômitos

Além disso, conforme detalhado em uma revisão da literatura publicada no Chinese Medical Journal, as catequinas neste chá podem afetar a absorção de ferro, prejudicando pacientes com anemia por deficiência de ferro, por exemplo. Também pode afetar a absorção de zinco.

Pacientes com doenças cardíacas, problemas renais ou úlceras estomacais devem evitar consumir este chá sem consultar o médico. Seus componentes podem interferir na ação dos medicamentos utilizados para tratar essas condições.

  • Weiss, D. J., & Anderton, C. R. (2003). Determination of catechins in matcha green tea by micellar electrokinetic chromatography. Journal of Chromatography A, 1011(1–2), 173–180. https://doi.org/10.1016/S0021-9673(03)01133-6
  • Schroder, Lennard & Marahrens, Philip & Koch, Julian & Heidegger, Helene & Vilsmeier, Theresa & Phan-Brehm, Thuy & Hofmann, Simone & Mahner, Sven & Jeschke, Udo & Richter, Dagmar. (2018). Effects of green tea, matcha tea and their components epigallocatechin gallate and quercetin on MCF‑7 and MDA-MB-231 breast carcinoma cells. Oncology Reports. 41. 10.3892/or.2018.6789.
  • Babu PV, Liu D. Green tea catechins and cardiovascular health: an update. Curr Med Chem. 2008;15(18):1840–1850. doi:10.2174/092986708785132979
  • Tian C, Huang Q, Yang L, et al. Green tea consumption is associated with reduced incident CHD and improved CHD-related biomarkers in the Dongfeng-Tongji cohort [published correction appears in Sci Rep. 2017 May 31;7:45949]. Sci Rep. 2016;6:24353. Published 2016 Apr 13. doi:10.1038/srep24353
  • Venables, M. C., Hulston, C. J., Cox, H. R., & Jeukendrup, A. E. (2008). Green tea extract ingestion, fat oxidation, and glucose tolerance in healthy humans. American Journal of Clinical Nutrition87(3), 778–784. https://doi.org/10.1093/ajcn/87.3.778
  • Bérubé-Parent, S., Pelletier, C., Doré, J., & Tremblay, A. (2005). Effects of encapsulated green tea and Guarana extracts containing a mixture of epigallocatechin-3-gallate and caffeine on 24 h energy expenditure and fat oxidation in men. British Journal of Nutrition, 94(3), 432–436. https://doi.org/10.1079/bjn20051502
  • Chacko SM, Thambi PT, Kuttan R, Nishigaki I. Beneficial effects of green tea: a literature review. Chin Med. 2010;5:13. Published 2010 Apr 6. doi:10.1186/1749-8546-5-13